Inicio Revistas Hortifrúti Potássio melhora a frutificação do mamoeiro

Potássio melhora a frutificação do mamoeiro

0
864

 

Aureliano Nogueira da Costa

Engenheiro agrônomo, doutor em Solos e Nutrição de Plantas e pesquisador do Incaper

aureliano@incaper.es.gov.br

Créditos Aureliano Costa
Créditos Aureliano Costa

A fertilidade do solo e a nutrição de plantas são os principais fatores que influenciam na produtividade e qualidade dos frutos do mamoeiro em função das exigências durante todo o ciclo da planta que, de modo progressivo, aumenta a demanda por macronutrientes e micronutrientes em função do crescimento e desenvolvimento do mamoeiro.

O mamoeiro, para responder com alta produtividade e qualidade dos frutos, depende da disponibilidade de água e nutrientes para atender às crescentes exigências nutricionais que, após o terceiro mês do plantio inicia a emissão de flores e formação de frutos, o que continua até o final do ciclo do mamoeiro.

A partir do nono mês pós-plantio inicia-se o processo de colheita, quando os nutrientes são exportados em função da retirada dos frutos e reafirma a necessidade de identificação das exigências nutricionais da planta para manter o fluxo contínuo de crescimento, emissão de flores, desenvolvimento da planta e produção

O sucesso da recomendação de adubação e calagem do mamoeiro depende, principalmente, do diagnóstico da fertilidade do solo e da nutrição, que é um processo criterioso que deve ser feito com base nos resultados da análise física e química do solo para identificar a disponibilidade dos nutrientes no solo e a absorção pela planta, por meio da diagnose foliar.

Aureliano Nogueira da Costa, engenheiro agrônomo, doutor em Solos e Nutrição de Plantas e pesquisador do Incaper - Créditos Aureliano Costa
Aureliano Nogueira da Costa, engenheiro agrônomo, doutor em Solos e Nutrição de Plantas e pesquisador do Incaper – Créditos Aureliano Costa

Nutrição do mamoeiro

O mamoeiro apresenta um crescimento e desenvolvimento contínuos que resultam na maior demanda de nutrientes no primeiro ano, tendo em vista que do início da floração até a primeira colheita são 120 dias, o que acarreta na maior demanda de nutrientes no primeiro ano.

Estudos realizados com o mamoeiro identificaram que dos macronutrientes que são extraídos pelo mamoeiro em maior quantidade, o potássio (K) se destaca como o segundo maior, perdendo apenas para o nitrogênio na seguinte ordem: N, K e Ca, enquanto o fósforo (P) é o nutriente extraído em menor quantidade.

A relação entre os nutrientes é considerada fundamental no mamoeiro, particularmente a relação N/K (nitrogênio/potássio), que de acordo com os estudos de COSTA (1995), a relação considerada padrão para o mamoeiro do Grupo Solo, conhecido como papaya, é de 1,15 e para o Grupo Formosa, conhecido como Formosa, foi de 0,45.

A nutrição das plantas é essencial para a boa produtividade - Créditos Aureliano Costa
A nutrição das plantas é essencial para a boa produtividade – Créditos Aureliano Costa

Fertilidade x nutrição

A integração dos fatores de produção, em especial a fertilidade e a nutrição do mamoeiro, são fatores que influenciam na produtividade e na qualidade do mamão, e configuram etapas importantes no sistema de produção integrada de frutas que enfatiza o processo de diagnóstico com base nos critérios utilizados na análise de solo e foliar.

Importância do potássio

Os nutrientes exercem funções específicas e essenciais no metabolismo vegetal. São no total de 16 os elementos químicos considerados essenciais para as plantas, dentre os mais de 100 existentes na natureza, e em função da maior ou menor quantidade requerida podem ser denominados, respectivamente, macronutrientes e micronutrientes.

O potássio se destaca como o segundo macronutriente mais extraído pelo mamoeiro durante todo o ciclo da cultura, ficando atrás apenas do nitrogênio. O potássio é um dos nutrientes mais requeridos pelo mamoeiro, sendo exigido de forma constante e crescente, durante todo o ciclo da cultura.

Outra classificação é feita com base nas propriedades físico-químicas, dividindo-os em metais (potássio, cálcio, magnésio, ferro, manganês, zinco, cobre, molibdênio e níquel) e não metais (nitrogênio, enxofre, fósforo, boro e cloro).

A grande importância do K está na sua essencialidade, ou seja, sem ele a planta não completa o seu ciclo vital, além de várias outras funções atribuídas ao crescimento e desenvolvimento da planta.

O potássio é responsável pela manutenção da turgescência celular, controle da abertura e fechamento dos estômatos e osmorregulação celular. É requerido para a síntese de proteínas, para o metabolismo dos carboidratos e lipídios, e ativador de um grande número de enzimas.

Em plantas deficientes em K, a síntese proteica, fotossíntese e expansão celular são impedidas, e ocorre a morte da célula. O potássio se move livremente no floema e é exportado das folhas mais velhas para as mais novas, razão pela qual o sintoma de deficiência se manifesta primeiramente nas folhas mais velhas.

O potássio é importante na qualidade do mamão, por estar relacionado ao sabor do fruto, além de contribuir para a firmeza da polpa.

O mamoeiro apresenta crescimento e desenvolvimento contínuos- Créditos Aureliano Costa
O mamoeiro apresenta crescimento e desenvolvimento contínuos- Créditos Aureliano Costa

Sintomas de deficiência de K

O sintoma de deficiência de K no mamoeiro é caracterizado pela necrose ou escurecimento das folhas mais velhas. Os sintomas evoluem das folhas mais velhas para as mais novas.

Deficiências severas afetam os pontos de crescimento da planta. Normalmente o sintoma de deficiência se manifesta nas bordas das folhas mais velhas. O potássio é importante na qualidade do mamão, por estar relacionado ao sabor do fruto, além de contribuir para a firmeza da polpa.

 i

Essa matéria completa você encontra na edição de junho da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura integral.

SEM COMENTÁRIO