18.1 C
São Paulo
sexta-feira, agosto 12, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Florestas Potássio parcelado reduz incidência de pragas em eucalipto

Potássio parcelado reduz incidência de pragas em eucalipto

 

Arthur Henrique Cruvinel Carneiro

Técnico em Agricultura e Zootecnia ” IFMG, graduando em Agronomia na Universidade Federal de Lavras (UFLA), membro do grupo PET Agronomia, coordenador de extensão do Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (GHPD) e membro do Núcleo de Estudos em Cafeicultura (NECAF)

arthurhcruvinel@hotmail.com

Paulo Henrique Leite Machado

Graduando em Agronomia na UFLA, membro do grupo PET Agronomia, coordenador de imprensa do GHPD

Nelson Júnior Dias Vilela

Graduando em Agronomia na UFLA, membro do grupo PET Agronomia e do grupo Pesquisa Soja

Créditos Paulo Henrique Leite Machado
Créditos Paulo Henrique Leite Machado

O potássio (K) desenvolve um papel vital em importantes funções metabólicas do eucalipto, podendo ser absorvido pela planta de duas maneiras: a absorção do íon K+ da superfície das raízes por difusão, um processo que não requer energia despendida pela planta, e o outro processo envolve o transporte do íon K+ através da membrana da raiz, liberando-o no interior da mesma. Este processo requer energia que a planta obtém pela respiração.

O potássio está relacionado aos mecanismos de defesa das plantas a pragas e doenças. As plantas bem nutridas em potássio apresentam redução na incidência, severidade e danos causados por pragas, o que seria explicado pelas altas concentrações de K nos tecidos, que favorecem a síntese e o acúmulo de compostos fenólicos, os quais atuam como inibidores de insetos e fungos.

Principais pragas do eucalipto

As pragas que mais afetam o eucalipto no Brasil são as formigas cortadeiras, cupins, lagartas desfolhadoras, besouro amarelo, gorgulho do eucalipto, psilídeo de concha, psilídeo de ponteiros, percevejo bronzeado, vespa de galha e microvespa do citriodora.

Em algumas espécies de eucalipto, quando ocorre uma desfolha de 100% das árvores, há uma redução no incremento anual da madeira de aproximadamente 80%. As plantas de eucalipto, quando desfolhadas totalmente por três vezes consecutivas, podem acabar morrendo.

Um sauveiro adulto necessita de uma tonelada de folhas por ano, o equivalente a 86 eucaliptos adultos. As saúvas, quando não controladas, diminuem a produção das florestas tropicais de 12 a 17%.

No caso da vespa da galha, quando encontrada no eucalipto, recomenda-se cortar e incinerar todas as plantas infectadas, visando erradicar a praga da área.

Papel do potássio no controle de pragas do eucalipto

Em condições normais, o potássio é o terceiro nutriente mais acumulado pelo eucalipto, ficando, às vezes, acima do nitrogênio. Uma lavoura de eucalipto bem manejada acumula em torno de 245 kg/ha de potássio em seis anos e a deficiência desse macronutriente pode ocasionar importantes desequilíbrios nutricionais no eucalipto.

Segundo Graham, a deficiência de potássio provoca acúmulo de aminoácidos solúveis, que são nutrientes de patógenos. O teor de glutamina, por exemplo, é particularmente alto nas plantas deficientes em potássio e favorece a germinação de esporos.

Ela também retarda a cicatrização das feridas, favorecendo a penetração de organismos causadores de doenças. A perda do turgor celular pode ser um fator físico que facilita a penetração tanto de fungos como de insetos. O potássio tem ação clara e bem definida na resistência às doenças causadas tanto pelos patógenos obrigatórios como pelos facultativos.

Vantagens do parcelamento

Como técnica de manejo adequado, o parcelamento da adubação potássica tem o objetivo de minimizar possíveis perdas, principalmente quanto à aplicação de potássio em doses elevadas. Essas perdas ocorrem predominantemente por lixiviação, ocorrendo a lavagem do solo no sentido vertical ou por erosões, em que há o desagregamento e arraste de solo, provocado principalmente pela água.

No caso do eucalipto, em que a maior parte das florestas é plantada em áreas com elevados déficits hídricos, baixa pluviosidade e solos com baixa fertilidade, os fatores nutricionais são de suma importância, visto que a necessidade da planta é saciada no tempo adequado, sendo ainda de grande valia o fato de o potássio ajudar na proteção contra a ocorrência de insetos como lagartas desfolhadoras, percevejo bronzeado, psilídeo de concha e outros.

Aplicação de potássio em área de plantio de florestas - Créditos Paulo Henrique Leite Machado
Aplicação de potássio em área de plantio de florestas – Créditos Paulo Henrique Leite Machado

Dosagens e quantidades de parcelas

Diversos fatores influenciam na dosagem de potássio a ser aplicada, como o material genético utilizado, o tipo de manejo, a capacidade produtiva da área, a disponibilidade de potássio no solo, o nível crítico de K, com base no regime hídrico e os efeitos das relações K/Ca e K/Mg sobre a produtividade e a qualidade do produto esperado. Essa dosagem varia também ao tratarmos de brotos e replantios, em que a recomendação da dosagem utilizada é menor se comparada com novos plantios.

Nova Imagem

Essa matéria completa você encontra na revista Campo & Negócios Floresta, edição de agosto/setembro. Adquira o seu exemplar para leitura integral.

Inicio Revistas Florestas Potássio parcelado reduz incidência de pragas em eucalipto