25.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesPrêmio Mulheres do Agro abre indicação popular para categoria de pesquisadoras e...

Prêmio Mulheres do Agro abre indicação popular para categoria de pesquisadoras e cientistas

Com incentivo de R$ 15 mil na categoria Ciência e Pesquisa, iniciativa fundada por Bayer e Abag amplia espaço de destaque feminino em sua sétima edição

Divulgação

O Prêmio Mulheres do Agro (PMA), iniciativa idealizada pela Bayer em parceria com a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), ampliará ainda mais as chances de pesquisadoras e cientistas serem premiadas por fazerem a diferença em prol de uma agropecuária mais inovadora, sustentável e responsável. 

A partir desta semana está aberto o período de indicação popular de pesquisadoras atuantes em instituições com projetos ligados a ESG no agronegócio na categoria Ciência e Pesquisa. Com inscrições abertas até 14 de junho, no site da iniciativa, é possível inserir candidaturas após o preenchimento de informações, como nome, e-mail, telefone, vínculo institucional, link do currículo Lattes, região e um resumo da linha de pesquisa, com as principais contribuições dessa pesquisadora para o agro, considerando os pilares Econômico, Social e de Governança.  

Pesquisadoras indicadas receberão um e-mail com o regulamento vigente, informando sua indicação. Para confirmar a participação a pesquisadora deve responder o e-mail com seu aceite e enviar a documentação solicitada no prazo.   Após o período de inscrições, uma comissão avaliadora composta de pesquisadoras acadêmicas e executivas da área analisará as indicadas, levando três para voto popular. Os votos na categoria ficam abertos ao público no site do prêmio de 2 a 13 de setembro. 

No ano de seu lançamento, em 2023, a categoria Ciência e Pesquisa avaliou 19 indicações de pesquisadoras vindas de instituições e empresas parceiras do prêmio. Para 2024, a expectativa é que mulheres de todo país apliquem seus projetos de impacto ou de grande alcance científico, enfatizando termos de sustentabilidade e inovação no agro, assim como a presença acadêmica e destaque, explica Gabriella Gandelini, Gerente de Regulamentação em Assuntos Científicos na Bayer.

“A Bayer enxerga como fundamental o papel da mulher e sua presença em diversas frentes ao longo da cadeia do agronegócio. Decidimos ao lado da Abag e empresas parceiras reforçar a importância da presença, contribuição e relevância de pesquisadoras para o setor agro por meio da categoria de Ciência e Pesquisa, e entendemos que com ela enfatizamos os avanços do setor em termos de sustentabilidade e inovação”, completa a gerente de assuntos científicos. 

Inscrições abertas para gestoras de propriedades

Gestoras rurais de pequenas, médias e grandes propriedades agropecuárias de todo o país têm até 31 de julho para se inscrever na categoria de Produtora Rural do Prêmio Mulheres do Agro. Assim como a categoria de Ciência e Pesquisa, as informações de inscrição e indicação estão disponíveis no site do PMA, seguindo critérios semelhantes de preenchimento e aceite.  

As produtoras serão reconhecidas por conduzirem suas propriedades de forma sustentável, equilibrando cuidado com a natureza e meio ambiente, responsabilidade social e boas práticas administrativas. Após o período de avaliação técnica, nove mulheres serão eleitas como vencedoras da categoria de Produtora Rural.

Iniciada em 2018, a iniciativa da Bayer com a Abag acumula mais de 1.100 inscrições, reconhecendo 54 agropecuaristas de todas as regiões do Brasil e uma pesquisadora. Em 2023, o Prêmio Mulheres do Agro celebrou um aumento notável no interesse das mulheres em serem reconhecidas pelo seu trabalho no campo.  

“A cada ano a premiação recebe, em média, 10% a mais no número de inscrições, comparando com a edição anterior. Abrindo espaço para mulheres de todo o país, em 2023, registramos um novo marco:  um aumento de 371% no número de produtoras rurais inscritas apenas na região Nordeste. Por conta disso, a aposta em 2024 é que mais mulheres se inscrevam com o espaço da votação popular e indicações”, diz Gabriella Gandelini.

Apoiadores institucionais

Outra novidade da premiação é a chegada do Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS), como novo apoiador institucional. Ao lado da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav), do Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Fatec Pompeia, Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (Fealq) e Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia, as entidades disponibilizam seus recursos e time técnico para promoção e incentivo da iniciativa.

“O apoio da Mesa Brasileira da Pecuária Sustentável ao Prêmio Mulheres do Agro vai muito além da missão de promover a sustentabilidade na pecuária brasileira. É essencial dar voz às mulheres do campo e principalmente incluir as pequenas e médias produtoras, que muitas vezes se sentem excluídas, mas que, na verdade, desempenham um papel fundamental no agronegócio brasileiro, liderando suas propriedades e trazendo consigo não apenas tecnologias, mas também um profundo compromisso com as questões de ESG. Essas produtoras já impulsionam práticas sustentáveis e uma produtividade mais consciente”, celebra Ana Doralina Alves Menezes, presidente eleita da Mesa Brasileira da Pecuária Sustentável e GTPS.   

“Estamos entusiasmados em anunciar a participação da GTPS como nossos novos apoiadores institucionais. Junto de outras entidades respeitadas unimos forças para impulsionar a visibilidade e o reconhecimento das mulheres no agronegócio. Isso mostra o quanto esse projeto cresceu ao longo dos anos e como nós da Abag e da Bayer nos comprometemos com a missão de analisar cada detalhe, tendo uma plataforma criteriosa e justa com o trabalho de cada participante da premiação”, finaliza Gislaine Balbinot, diretora-executiva da Abag.  

Para se inscrever ou indicar uma pesquisadora, acesse o site do Prêmio Mulheres do Agro. Em seguida, Bayer e Abag entram em contato com as indicadas para comunicá-las sobre a premiação, incentivá-las a seguir com a inscrição e, caso haja interesse, auxiliar no andamento do processo.  

ARTIGOS RELACIONADOS

Dia Internacional da Mulher: cresce número de mulheres em cargos de lideranças no café

Entre 20% e 30% das fazendas de café no mundo são geridas por mulheres

Sementeira é reconhecida em premiação de sustentabilidade

O agronegócio brasileiro é um agro que preserva, que cuida do meio ambiente. - Tages Martinelli

‘Nunca pensei em ser presidente’, afirma Silvia Massruhá, primeira mulher a liderar Embrapa

A Belgo Arames conta um pouco da história profissional de Silvia Massruhá em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, reconhecendo e valorizando as mulheres do agronegócio

Pecuária brasileira pode ampliar produtividade de forma sustentável, diz ABAG

O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de carne em nível global.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!