23.6 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosGrãosPrimeiro mix de cultivares de trigo para consumo humano do Brasil

Primeiro mix de cultivares de trigo para consumo humano do Brasil

Trigo – Créditos: Divulgação Biotrigo/Lucas Santos

XBIO Fusão é uma combinação das melhores cultivares do portfólio da Biotrigo, resultando em um produto final com maior qualidade, segurança e estabilidade produtiva

Em meio a uma diversidade de opções de cultivares de trigo, para todas as demandas e diferentes nichos de mercado, o agricultor já deve ter se questionado: e se fossem combinadas diferentes cultivares em um só produto? É pensando nisso que a Biotrigo Genética lançou uma inédita linha de produtos no Brasil, o XBIO, que consiste em um mix de duas ou mais cultivares de trigo exclusivo para alimentação humana. A tecnologia, consolidada em diversos lugares do mundo, tem como objetivo buscar uma sinergia entre as melhores cultivares do portfólio da Biotrigo, através da combinação de ciclos, características agronômicas e de qualidade industrial e resultando em um produto final com maior qualidade, segurança e estabilidade produtiva. O anúncio foi realizado durante o Giro Técnico Digital Brasil, evento realizado nessa quarta-feira (29), pela Biotrigo.

O mix, que chega pela primeira vez para a produção de grãos, já era utilizado no setor de nutrição animal da Biotrigo. E o primeiro produto a ser lançado é o XBIO Fusão, que consiste em uma mistura de proporções idênticas de TBIO Audaz e TBIO Sagaz. Conforme o diretor e melhorista da Biotrigo, Ottoni Rosa Filho, o material será ofertado aos triticultores pela primeira vez em 2023. “O mix é uma tecnologia que conta com vários motivos para ser utilizada, desde a complementação em termos de qualidade, quanto em termos epidemiológicos”, revela. Em relação ao XBIO Fusão, Ottoni comenta que foi constatada uma forte sinergia e complementaridade na mistura das duas cultivares. “No campo, a performance dessa mistura é excelente quando comparada às duas cultivares avulsas. Ela é estável e isso é um ponto muito importante para todas as misturas que existem no mundo”, atesta.

Um dos componentes do XBIO Fusão, o Sagaz, possui uma elevada resistência ao oídio, uma das principais doenças que afetam a cultura, enquanto o TBIO Audaz possui maior suscetibilidade à enfermidade. Ao se misturar ambas as cultivares, foi possível constatar um avanço em resistência às doenças. “Quando colocamos os dois materiais juntos, na mistura, percebemos um comportamento de campo melhor se comparado com o Audaz plantado separamente”, conta Ottoni. Outro fator em que o XBIO Fusão se provou ser uma evolução é na qualidade industrial. Pelo mix possuir duas cultivares melhoradoras, a união proporcionou evoluções em panificação, tanto para salto de forno, quando para pestana. “Além disso, se atestou uma grande melhora na cor da farinha, que ficou mais branca e menos amarelada”, afirma o melhorista.

Para o gerente de qualidade do Moinho Anaconda, Fábio Guerreiro, foram observados consideráveis aperfeiçoamentos no mix após a realização de uma série de análises. “O que se destacou no pão foi um salto de forno diferenciado, junto com pestanas abertas em casca fina e com crocância na medida certa. Com isso, o pão francês ficou simétrico e bem-proporcionado”, aponta Guerreiro. Segundo Ottoni, a semente básica de TBIO Sagaz está em produção neste ano. Após a colheita, a cultivar será comercializada aos produtores de sementes. No final de 2022, será produzida a mistura entre Sagaz e Audaz para, em 2023, os produtores terem o primeiro acesso ao mix XBIO Fusão.

Produtividade unida à precocidade

Além do XBIO Fusão, a Biotrigo também lançou uma nova cultivar, o TBIO Calibre. Conforme o gerente regional Sul da Biotrigo, Tiago De Pauli, o material chega para atender as demandas do produtor, os requisitos dos moinhos e as exigências do mercado consumidor. “O Calibre possui elevado potencial de rendimento de grãos, com um arrojado tipo agronômico, e entrega uma produtividade inédita no ciclo de trigos superprecoces”, aponta De Pauli. Para efeitos de comparação, Tiago destaca que o TBIO Calibre conta com cerca de 14 dias a menos que TBIO Toruk e entrega rendimento de ciclos médios. “O Calibre possui ampla adaptação e é recomendado da Região Sul ao Cerrado (irrigado). A cultivar também apresenta um bom nível de resistência às doenças foliares e um excelente nível de resistência à germinação na espiga, bem como um elevado PH”, destaca. O TBIO Calibre estará disponível para a rede de multiplicação de sementes já em 2022. Para saber mais acesse o link:  https://bit.ly/TBIO_Calibre.

Máximo rendimento para um trigo especial

A cultivar TBIO Blanc é o lançamento para os produtores que integram o Projeto Trigos Especiais. A cultivar representa um avanço em relação ao TBIO Noble, trigo branqueador já consolidado no mercado desde 2015. De acordo com o gerente comercial para a América Latina da Biotrigo, Fernando Michel Wagner, o melhoramento genético obteve importantes avanços em rendimento no Blanc. “Além disso, houve uma melhoria no manejo e segurança no campo, com maior nível de resistência à maior parte das doenças”, comenta. Com um ciclo médio tardio, a cultivar se diferencia pela possibilidade de plantio em um período mais cedo, dando estabilidade ao seu alto potencial produtivo. O TBIO Blanc estará disponível para multiplicação na próxima safra.

Giro Técnico Digital

Além dos lançamentos do XBIO Fusão e do TBIO Calibre e Blanc, o Giro Técnico Digital Brasil promoveu uma imersão em dez fazendas tritícolas do país, proporcionando maior compreensão sobre as demandas e realidades dos agricultores. Além disso, o evento contou com posicionamentos técnicos de diversas outras cultivares, que se somaram a reportagens exclusivas com produtores e um painel técnico sobre o tema ‘Como colher mais soja fortalecendo o sistema produtivo no inverno’. O Giro Técnico da Biotrigo contou com o patrocínio da Basf, Bayer, Ihara, Syngenta e Yara.

ARTIGOS RELACIONADOS

Especialistas avaliam novo padrão chinês de umidade da soja

Classificação de umidade adotada no país asiático é de 13%, enquanto no Brasil o limite é de 14%.

Superadensamento no cafeeiro: Justifica?

Durante muito tempo foi discutido entre os cafeicultores qual era o manejo mais vantajoso - com espaçamentos maiores entre plantas e entrelinhas (plantios menos densos) ou os espaçamentos menores (plantios adensados ou superadensados).

Estados Unidos adquirem 20% dos Cafés do Brasil

Total de café brasileiro vendido ao exterior atingiu 33,27 milhões de sacas com receita cambial de US$ 4,81 bilhões no período de janeiro a outubro de 2021.

Anastacio expande os seus negócios na América Latina

A Anastacio, uma das maiores distribuidoras de produtos químicos da América Latina, anunciou no dia 04 de abril a oficialização da abertura da Anastacio no México.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!