Principais pragas e doenças da framboesa

0
289

Paula Almeida NascimentoDoutoranda em Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)paula.alna@yahoo.com.br

Framboesa – Crédito Odara Luiza Marques

O Botrytis, ou mofo cinzento – agente causal Botrytis cinerea, tem sintomas que surgem como requeima de brotos e manchas no fim do verão. Manchas cinzentas ocorrem nas folhas velhas, pecíolos e nós. Causa a morte de ramos. As manchas apresentam círculos concêntricos de cor bege a marrom e, às vezes, com presença de esclerócios pretos.

A ferrugem – agente causal Pucciniastrum americanum – é a doença de maior ocorrência no Brasil, sendo mais grave quando ocorrem temperaturas entre 18 e 26°C e alta umidade.

Como sintomas, no verão, manchas pequenas amareladas a marrom desenvolvem-se nas folhas maduras. O patógeno infecta folhas, cálice, pecíolos e frutos, podendo apresentar sintomas em pós-colheita. A cultivar Heritage é muito suscetível e pode sofrer defoliação.

O controle envolve usar cultivares resistentes e remover os ramos doentes.

Manejo e práticas indicadas para controle e redução das doenças

Manejo adequado da planta e do solo visa evitar o desenvolvimento denso da parte aérea, condição que permite longa duração do molhamento da planta. A colheita frequente evita o amadurecimento excessivo e o rompimento de drupetes.

O cultivo protegido reduz incidência da doença. Não existem fungicidas registrados para a cultura da framboesa no Brasil. Alternativas utilizadas para conviver e manter as doenças em um nível de dano baixo têm sido a utilização de caldas e produtos permitidos na agricultura orgânica, como calda bordalesa, calda viçosa e alguns desinfetantes à base de cloro.

Pragas

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.