27.7 C
São Paulo
quinta-feira, maio 19, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Produção de mudas de hortaliças com qualidade

Produção de mudas de hortaliças com qualidade

Fonte: Casa do Produtor Rural

Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz“ ” ESALQ/USP

 

Crédito Luize Hess
Crédito Luize Hess

O sistema de produção de mudas de hortaliças no Brasil evoluiu muito nos últimos anos em consequência do aumento da demanda destes alimentos pelo mercado consumidor, de maneira que o processo como um todo se tornou mais produtivo e com melhor qualidade.

Entre os anos de 2000 e 2015 foi constatada uma melhoria na produtividade de hortaliças do país, passando de 18 para 23 t/ha. O desenvolvimento de tecnologias como o uso de sementes tratadas, cultivo de mudas em recipientes, ambiente controlado e outras inovações foram imprescindíveis para a evolução do cultivo das mudas, contribuindo também para o acréscimo dos índices produtivos.

As mudas de hortaliças podem ser obtidas de forma sexuada, em que há a utilização de sementes, e assexuadas, em que são usadas partes de uma planta para a propagação, como estacas, tubérculos, bulbos, rizomas e raízes.

Atualmente, o método mais empregado na produção comercial das principais mudas de hortaliças é por meio de sementes, que em comparação às outras técnicas se mostra mais eficiente, tornando o manejo (semeadura e transplantio) mais facilitado e com melhor desenvolvimento das mudas.

Tecnologias de ponta

As sementes nuas da maioria das hortaliças possuem formatos e tamanhos que dificultam a semeadura e manuseio. Com isso, foram criadas as tecnologias de peletização e peliculização, que aumentam o índice de germinação, diminuem custos com insumos, uniformizam a germinação, protegem contra o ataque de doenças e pragas e facilitam o manejo.

A peletização das sementes de hortaliças é a inserção de uma camada protetora de pellet na superfície para que o material obtenha um formato esférico que permita a maior facilidade no manuseio para a semeadura. Na camada também podem ser adicionados fungicidas, inseticidas, hormônios vegetais e adubos.

A peliculização é a técnica de recobrimento das sementes que não altera o formato e visa à proteção fitossanitária da planta por meio do emprego de produtos químicos no incremento.

Existem também outras inovações que podem ser aplicadas às sementes de hortaliças para favorecer o índice de germinação e o tratamento de eliminação de microrganismo a fim de aumentar a sanidade das mudas.

Raízes bem formadas originam plantas saudáveis - Crédito Cyro Paulino
Raízes bem formadas originam plantas saudáveis – Crédito Cyro Paulino

Cuidados importantes

Na produção de mudas de hortaliças com qualidade é fundamental o uso de recipientes, que são mais vantajosos que a produção de mudas em solo, devido à possibilidade de obtenção de um número maior de plantas em menor área, melhoria do transplante das mudas, redução do ciclo cultural e favorecimento do controle fitossanitário.

Os recipientes mais utilizados na produção de mudas são as bandejas coletivas, que podem ser de plástico (polipropileno ou polietileno) ou de isopor (poliestireno expandido).

O material plástico destaca-se pela maior durabilidade, e principalmente pelo aspecto fitossanitário, uma vez que as bandejas de isopor demandam constante limpeza devido ao acúmulo de sujeira nos poros. Em contrapartida, são eficientes na manutenção da temperatura das células, pois o material é um excelente isolante térmico.

As bandejas, independente do material, possuem na região inferior de cada célula um orifício que, além de agir como dreno, possibilita a poda das extremidades das raízes, que ressecam em contato com a luz e com o ar.

Existe uma infinidade de tamanhos de bandejas e números de células que variam em função da espécie de hortaliça, entretanto, folhosas como, alface, repolho e acelga são as mais cultivadas em bandejas com células de 47 mm de profundidade. Espécies que possuem raízes que demandam mais espaço, como aipo, berinjela e espinafre, necessitam de bandejas com células de 60 mm de profundidade.

Importância do substrato e semeio

O substrato também é um dos principais fatores a serem considerados na qualidade de produção de mudas, uma vez que raízes bem formadas originam plantas saudáveis. É fundamental que o material utilizado possua características como boa retenção de água, nutrientes, aeração, porosidade maior que 80%, ótima drenagem, baixa densidade, isento de patógenos, pH neutro, que seja estável e de baixo custo.

Os substratos utilizados na produção de mudas de hortaliças são variados, contudo, os mais frequentes são à base de fibra de coco, casca de pinus, vermiculita, casca de arroz, espuma fenólica, sendo muito comum a mistura destes compostos para obtenção de um material que contemple o máximo das características necessárias para um bom desenvolvimento da muda.

A semeadura pode ser manual, semiautomática, com a utilização de ferramentas próprias para a colocação da semente nas células da bandeja ou automática. Após a semeadura, as bandejas devem ser colocadas em estruturas rígidas em uma altura de, pelo menos, 30 cm do solo, construídas com madeira, aço ou qualquer outro material que suporte o peso dos recipientes com as mudas.

 

 

Essa matéria completa você encontra na edição de novembro 2016  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Hortifrúti Produção de mudas de hortaliças com qualidade