23.6 C
Uberlândia
terça-feira, abril 16, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasProdução global de carne bovina deve crescer em 2023

Produção global de carne bovina deve crescer em 2023

Estimativas do USDA apontam aumento na produção em 2023, impulsionado pelo investimento em genética e nutrição animal.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) revisou as estimativas para a produção global de carne bovina: em abril, a projeção era de queda em relação a 2022; agora, a perspectiva é positiva, de crescimento. De acordo com o órgão norte-americano, a produção de carne este ano deve chegar a 59,6 milhões de toneladas, 500 mil toneladas a mais que o apontado no relatório anterior. No ano passado, foram 59,3 milhões de toneladas.

Créditos: Divulgação

Segundo a estimativa, os dois maiores produtores da proteína vermelha nesse ano serão, respectivamente, os Estados Unidos, com 12,6 milhões de toneladas, e o Brasil, com 10,65 milhões de toneladas. Para Cristiano Botelho, executivo da Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia), “esse resultado positivo em um ano com preço achatado da arroba e de cenário desafiador para o pecuarista é influência direta de crescente investimento em genética, saúde e nutrição animal”.

“É incrível o que um importante investimento nessas áreas é capaz de fazer. Na genética, por exemplo, o custo não chega a 2% do total gasto pelo pecuarista para produção de 1 kg de carne. Assim como na sanidade e na nutrição animal. A partir do momento em que mais pecuaristas têm acesso de forma democratizada a essas tecnologias, o Brasil se solidifica como uma potência ainda maior do que já é. Temos muita área a avançar e a Asbia segue colaborando com essa democratização”, destaca Botelho.

A estimativa aponta um cenário importante que é tendência há anos: o crescimento na demanda por carne no planeta – influência do crescimento populacional global, especialmente nos países emergentes. O consumo global em 2023 é projetado em 57,8 milhões de toneladas, 300 mil toneladas a mais do que 2022. Só no Brasil, o consumo será 200 mil toneladas maior, saltando de 7,5 milhões (2022) para 7,7 milhões de toneladas em 2023.

“A democratização da genética de qualidade é um ponto chave para atender a demanda cada vez maior. Somos um dos principais produtores de carne bovina e o maior exportador, colaborando com a segurança alimentar de cerca de 1 bilhão de pessoas. Isso mostra a importância dos pecuaristas brasileiros em alimentar a população mundial”, conclui o executivo da Asbia.

ARTIGOS RELACIONADOS

Pesquisa aponta crescimento de 16% no consumo de alimentos orgânicos

A cada mil brasileiros, 360 se declaram consumidores de orgânicos. Nordeste foi a região que mais se destacou.

Empresas plant-based conquistam cada vez mais adeptos

Nos últimos anos, esse mercado tem registrado um crescimento considerável

Brasil tem selo de carbono neutro para carne

O Brasil é o primeiro país a ter um selo de Carne Carbono Neutro (CCN).

Investir em boa genética hoje é ter mais carne e leite no futuro

A pecuária enfrenta desafios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!