Qual a importância de escolher bem as mudas e porta-enxertos?

0
215

Autores

Diego Munhoz Gomes
Graduando em Engenharia Florestal – UNESP/FCA
diegomgomes77@gmail.com
Roque de Carvalho Dias
roquediasagro@gmail.com
Leandro Bianchi
leandro_bianchii@hotmail.com
Samara Moreira Perissato
samaraperissato@gmail.com
Vitor Muller Anunciato 
vitor.muller@gmail.com  
Engenheiros agrônomos, mestres e doutorandos em Agronomia – UNESP/FCA
Crédito: Marcelo Almeida

No decorrer dos anos vem aumentando o interesse e os estudos sobre as plantas cítricas. O bom cuidado com as mudas é essencial para o seu desenvolvimento e sobrevivência. Desta maneira, o cuidado com insetos-vetores de doenças e de insetos-pragas se torna necessário, principalmente no período que a planta está em fase de desenvolvimento e formação.

As mudas de citros usadas em pomares comerciais são formadas pela combinação de dois genótipos diferentes (enxertia). Essa técnica é um método de propagação vegetativa e consiste em utilizar uma pequena brotação da cultivar de interesse (copa) anexada a uma muda com mais resistência a doenças e mais vigorosa (porta-enxerto).

Essa operação da enxertia objetiva criar uma associação entre dois indivíduos geneticamente diferentes, com características particulares, que devem passar a viver juntos em um relacionamento mutualístico e benéfico, para que a planta formada possa ser produtiva e longeva.

Ação

O porta-enxerto (parte inferior) é responsável por fornecer o sistema radicular e a parte basal do tronco, proporcionando assim resistência mecânica à mesma. São responsáveis diretos pelos atributos horticulturais e fitopatológicos da planta e do fruto.

Por se encontrar em contato direto com o solo, também desenvolve funções como absorção de água e nutrientes, interação com a microbiota do solo, tolerância à salinidade, resistência à seca e ao frio, adaptação a diferentes tipos de solo, entre outros, além de fixar o enxerto (copa), responsável pela produção dos frutos.

O porta-enxerto também pode induzir a variedade copa a alterações do seu crescimento, tamanho, produtividade e época de maturação, cumprindo assim um papel fundamental na produção de mudas cítricas.

Reação

Como o porta-enxerto é a parte da planta que realiza a absorção de nutrientes e minerais, fica claro que o mesmo exerce influência sobre a composição de ramos, folhas e frutos. A capacidade e eficiência de absorção e translocação de nutrientes está associada aos vasos condutores.

Desta maneira, é possível encontrar plantas com sintomas de desnutrição, especialmente de micronutrientes, porém, mostrando níveis adequados ou até altos desses nutrientes somente nas raízes, ou seja, os vasos condutores do porta-enxerto escolhido não conseguiram realizar a transmissão dos nutrientes para o restante da planta. Ressalta-se também que parte das características de qualidade dos frutos está relacionada ao porta-enxerto e ao transporte de nutrientes.

A parte aérea resulta do desenvolvimento de um fragmento (borbulha ou garfo) retirado da planta matriz. Desta maneira, ele possui características muito semelhantes à mesma, produzindo frutas idênticas às da variedade que foi propagada, com as devidas ressalvas dos efeitos ocasionados pelo porta-enxerto.

No caminho certo

A escolha dos materiais a serem utilizados na enxertia é o ponto-chave de todo o processo, não somente pelo cunho estético, mas também pela origem do material básico que será utilizado. Como a citricultura se trata de um cultivo permanente, a má escolha dos materiais pode ocasionar danos à saúde e produtividade da planta.

Antes de escolher das copas a serem utilizadas na enxertia é necessário que seja feito um grande estudo quanto à preferência do mercado, destino da produção e aptidões edafoclimáticas. Outro aspecto muito relevante diz respeito à época de maturação dos frutos, de modo que a produção se estenda por grande parte do ano.

Características das borbulhas

Existem três métodos de enxertia utilizados, que são: borbulhia, garfagem e encostia. Dentre esses métodos, o mais utilizado é o de borbulhia. Para a obtenção das borbulhas, as plantas matrizes devem apresentar algumas características, como: alta produtividade; excelente qualidade de frutos; ser representante fiel da variedade; livre de doenças, viroses, quimeras e outras mutações.

Características desejadas dos porta-enxertos

Existem diversos porta-enxertos utilizados na produção de citros no Brasil. A escolha correta enxerto acaba favorecendo algumas características desejadas pelos produtores, como: aumento da produtividade; facilidade de obtenção de sementes com alta taxa de poliembrionia; rápido ponto de enxertia; maior desenvolvimento vegetativo; precocidade; grande tolerância à seca e salinidade; resistência a pragas e doenças; e capacidade de adaptação às condições de clima e solo.

Sabendo que a escolha das cultivares copa e porta-enxerto são realizadas de maneira individual e distinta, o que deve ser considerado é o comportamento conjunto de copa-porta-enxerto, ou seja, deve-se analisar a resposta conjunta dos genótipos envolvidos em interação com o meio ambiente.

Mudas de qualidade

Mudas que são consideradas de boa qualidade normalmente possuem: vigor; perfeita união entre enxerto e porta-enxerto; copa com boa formação; ausência de pragas e doenças; raiz sem defeitos; clone novo; porta-enxerto adequado.

Mesmo existindo diversos porta-enxertos no Brasil, existia uma tendência de utilização apenas do limão “Cravo”, isso devido à facilidade de atingir rápido ponto de enxertia, ter elevada produção de sementes, promover alto desenvolvimento vegetativo, induzir precocidade e apresentar resistência à seca.

Mesmo com as inúmeras vantagens apresentadas pelo “cravo”, o uso indiscriminado deste porta-enxerto poderá destruir a citricultura nacional e, desta forma, produtores vêm procurando soluções para manter a produção em alto nível, adotando outros tipos de porta-enxertos, como o citrandarim “Índio”, “Riverside” e “San Diego”, os quais vêm reduzindo doenças e pragas, e por consequência o número de perda de plantas.

Segundo Carvalho et al., (2016) que estudaram possíveis substitutos para o limão “Cravo”, constatou-se que o citrandarim “San Diego” induz uma copa menor e mais produtiva nos primeiros anos.

Futuro dos citros

Com o desenvolvimento de novas tecnologias, o caminho para a eleição de novos porta-enxertos vem sendo o melhoramento e a seleção genética. A utilização de novas técnicas, como biotecnologia, transgenia, entre outras, logo possibilitará selecionar o porta-enxerto tão almejado. Porém, ainda será longo o caminho, sempre trabalhando com a avaliação de novos porta-enxertos e suas respectivas forças e fraquezas.