17.7 C
Uberlândia
sexta-feira, julho 12, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesQuando instalar um projeto de irrigação na lavoura de café?

Quando instalar um projeto de irrigação na lavoura de café?

Café – Crédito: shurtterstock

A irrigação na cultura do café já é consolidada em muitas regiões cafeeiras, concentrando principalmente, no caso do café arábica, no triângulo mineiro e alto Paranaíba. Aproximadamente 450 mil hectares de café são irrigados, somando arábica e conilon, correspondendo a 20% de toda a cafeicultura nacional. A área irrigada é responsável por 40% de toda produção nacional de café.

Entretanto, para se ter sucesso com a irrigação é necessário que o projeto seja bem dimensionado. Realizando um estudo prévio da cultura que será implantada, levando em consideração a demanda hídrica, o tipo de solo, conhecendo a capacidade de retenção e disponibilidade para as plantas, referências da região tendo em vista a topografia, dados climáticos de precipitação e evapotranspiração, para assim definirmos a lâmina, espaçamentos, modelo do emissor e outras informações técnicas para o projeto.

Além do dimensionamento adequado, o manejo da irrigação e fertirrigação também desempenha um papel importante para que o sistema atinja os seus objetivos de elevar a produtividade e qualidade dentro de uma propriedade. Mas afinal, qual melhor momento para se pensar em um projeto de irrigação para a lavoura de café, seria para plantas recém-plantadas ou plantas adultas?

Em circunstâncias normais, a média de produtividade de sequeiro está por volta de 25 a 30 sacas, enquanto em áreas irrigadas de 50 a 60 sacas. Quando pensamos na primeira colheita, algumas lavouras de sequeiros conseguem atingir 15 sacas por hectare, enquanto áreas irrigadas logo na primeira colheita chegam a produzir 40 a 50 sacas por hectare.

Na ocasião em que a irrigação é implantada juntamente com o plantio das mudas o risco de perdas por déficit hídrico é menor e a umidade do solo estará mais favorável para a aclimatação das mudas no campo, além disso a taxa de replantio em áreas irrigadas é de 2 a 5%, enquanto em áreas de sequeiro a taxa pode chegar até 20% dependendo das condições climáticas. Em adição a isso a irrigação propicia uma produtividade elevada desde a primeira colheita.

Portanto, o planejamento em áreas que serão realizados o plantio sem irrigação deve ser muito maior, pois o pegamento das mudas é absolutamente dependente das chuvas.

Entretanto, a implantação em lavouras já formadas também é recomendada, pois com o fornecimento de água, principalmente nas fases mais críticas da cultura, aumenta a eficiência no processo de fotossíntese, consequentemente aumentando a produtividade. Nesse caso o uso da irrigação pode auxiliar na indução de floradas mais homogêneas, resultando em grãos mais graúdos e maturação uniforme.

Dentre outras vantagens da implantação de irrigação em lavouras adultas estão: a redução dos efeitos da bienalidade, possibilidade de realização de um balanço nutricional de acordo com a fase fenológica com a técnica da fertirrigação e aumento da produtividade, com médias superiores a 60 sacas.

Entendemos que a irrigação tem seus benefícios e resultados positivos tanto para lavouras já formadas, como também para lavouras recém-plantadas. Por essa razão, o sucesso da irrigação está inteiramente ligado ao dimensionamento adequado do projeto de irrigação e o manejo e manutenção nos anos posteriores.

ARTIGOS RELACIONADOS

Lindsay anuncia 1º pivô inteligente do mundo

Por meio de sensores, imagens de alta resolução e algoritmos avançados, o Smart Pivot, desenvolvido pela empresa, em parceria com a Taranis, combina manejo preciso de irrigação com agronomia avançada, diagnósticos preditivos de máquina e ainda monitoramento da saúde da lavoura

Manejo campeão da BASF

O Brasil conheceu nesta quinta-feira os sojicultores que deixaram o seu legado ...

Tecnologia irlandesa testada nos cafezais brasileiros será apresentada no Encoffee 2022

Desenvolvida pela multinacional BioAtlantis, fertilizante organomineral tem potencializado a qualidade e a produção dos cafezais

Manejo para a cultura da melancia do plantio a colheita

Roberto Dantas de Medeiros Engenheiro agrônomo, doutor em Fitotecnia e pesquisador da Embrapa Roraima Admar Bezerra Alves Engenheiro agrônomo, mestre em Agronegócio e pesquisador da...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!