Quando investir no mogno africano?

0
42

Paula Almeida Nascimento
Doutoranda em Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
paula.alna@yahoo.com.br

A demanda mundial de madeira é muito alta e é um ótimo momento para iniciar um investimento em plantio florestal. O mogno africano é uma das madeiras nobres mais rentáveis para investidores e produtores rurais.
O retorno é em longo prazo, mas oferece possibilidades de ganhos financeiros e ambientais. Seu retorno financeiro em comparação a diversas culturas, como a do eucalipto, chega a ser 25 vezes maior o seu valor, ou seja, uma margem de lucro muito maior.
O mogno brasileiro tem plantio e corte limitados, pois está na lista de espécies ameaçadas de extinção. Atualmente, o corte da árvore natural do Brasil é permitido apenas por empresas com certificação e plano de manejo.

Origem

O mogno africano é originário da África e se destaca por possuir madeira de qualidade superior e com boa cotação no mercado internacional. Costa do Marfim, Angola, Nigéria, República dos Camarões, Gabão e Congo são os principais países do Continente Africano onde se encontram plantações nativas da espécies e se adaptam muito bem aos solos e climas tropical úmido e subtropical.
A madeira é parecida com a do mogno brasileiro (Swietenia macrophylla), que tem derrubada proibida por lei federal. Das quatro espécies conhecidas de mogno africano, a Khaya ivorensis é a que tem apresentado melhor desenvolvimento, seguida da Khaya antoteca e pela K. grandiflora. Apesar de contar com bom crescimento, a Khaya senegalensis esgalha bastante e não conta com fuste (tronco) reto, aspectos que interferem no uso da madeira.
Desta forma, o mogno africano é medianamente exigente em fertilidade do solo, desenvolvendo-se bem em solos profundos de textura média e em áreas de ocorrência de Cerrado.
Assim, altitude entre 100 e 1.200 m, índice pluviométrico entre 950 e 2.400 mm/ano, temperatura média anual entre 24ºC a 28ºC são ideais. Não pode ser cultivado em solos muito úmidos, pois tem que ser bem arejado, já que o excesso de umidade causa amarelecimento das plantas.

Características

Sua madeira de tom castanho avermelhado é usada na fabricação de móveis, construção civil, naval, fins ornamentais e outros. O mercado europeu é um grande importador, principalmente da espécie Khaya ivorensis. A muda possui grande capacidade de adaptação e tem alcançado bons resultados em todo o território nacional, mesmo em áreas secas, úmidas e até sujeitas à ocorrência de geadas.
A espécie Khaya ivorensis apresenta desenvolvimento mais vigoroso, fuste retilíneo e abundante. Além disso, pode ser usada em sistemas agroflorestais, ao lado de cacaueiros e cupuaçuzeiros. O mogno pode ser plantado em sítios, chácaras e fazendas com corte de 15 a 20 anos após o plantio.
A propagação ocorre por sementes e as mudas são formadas em saquinhos pretos com substrato de solo com esterco. Também, as mudas podem ser produzidas em tubetes, com capacidade de 260 cm3.
As mudas estão prontas para o plantio após cinco meses da semeadura. Segundo Falesi (2011), o quilo da semente pode gerar até 2.500 plantas, quando bem manejada e preencher o espaço de até oito hectares.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.