25.6 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioEventos"Quanto vale a matéria orgânica?"

“Quanto vale a matéria orgânica?”

Sob a condução do professor Vitti, da Esalq, a apresentação vai questionar a valorização da matéria orgânica para a agricultura e o meio ambiente.

O professor da ESALQ/USP, Godofredo Vitti, será um dos palestrantes do 1º Fórum Abisolo de Fertilizantes de Matriz Orgânica, que acontecerá nos dias 08 e 09 de novembro de 2023, no Pecege, em Piracicaba (SP). No primeiro dia do evento, às 14h, Vitti vai ministrar a palestra “A importância da matéria orgânica para o sistema solo-planta. Mas quanto vale uma tonelada de matéria orgânica?”, no painel dedicado a abordar a nova fronteira da produtividade.

Professor sênior em Adubos e Adubação e Fertilidade do Solo, Vitti leciona na disciplina Adubos e Adubação na graduação e na pós-graduação, na ESALQ/USP, e já publicou 15 livros sobre nutrição vegetal, fertilizantes e fertilidade do solo. “A matéria orgânica contribui para propriedades biológicas, físicas e químicas do solo. A adição desse material também é fonte de nutrientes como nitrogênio, fósforo e potássio, bem como melhora a estruturação do solo e sua microbiota”, reforça Vitti.

De acordo com o professor da ESALQ/USP, o grande desafio para o aumento da produtividade das culturas é o aporte de matéria orgânica do solo. Tal aporte é essencial em solos tropicais e subtropicais, que sofrem com intemperismo e lixiviação, demandando a aplicação de adubos orgânicos, a incorporação de resíduos vegetais, o plantio de plantas de cobertura, a rotação de culturas, o manejo integrado de pragas e doenças, entre outros processos.

Considerando que a matéria orgânica contém 58% de carbono, Vitti ressalta a necessidade de quantificar e valorizar esse elemento químico em comparação ao adubo mineral, bem como em relação ao adubo orgânico. Essa valoração da matéria orgânica teria impacto significativo na mitigação da pegada de carbono da agricultura, além dos expressivos ganhos relacionados à nutrição vegetal. Diante deste cenário, Vitti questiona: “Mas quanto vale uma tonelada de matéria orgânica?”.

Evento contará com cinco painéis temáticos

A programação do I Fórum Abisolo de Fertilizantes de Matriz Orgânica está dividida em cinco painéis. No dia 08 de novembro, primeiro dia do evento, o painel de abertura será dedicado à conjuntura dos resíduos sólidos urbanos e às políticas públicas, considerando o aproveitamento desses materiais na fabricação de fertilizantes e a apresentação do Marco Legal para Produção de Fertilizantes de Matriz Orgânica e de Condicionadores de Solo.

Em seguida, no período da tarde, o segundo painel vai tratar da nova fronteira da produtividade. As palestras nesse painel vão apresentar resultados de pesquisas científicas, que demonstram a importância da adoção de estratégias para a construção ou recuperação da fertilidade dos solos, visando ganhos de eficiência nutricional e de melhoria da qualidade e da produtividade.

No dia 09, a programação da manhã será retomada com o terceiro painel, dedicado a demonstrar os benefícios econômicos obtidos a partir da utilização de Fertilizantes de Matriz Orgânica.

No quarto painel do evento vai tratar dos aspectos do Plano Nacional de Fertilizantes relacionados às cadeias emergentes de insumos. O quinto painel encerrará o evento da Abisolo, colocando em pauta o potencial de mercado dos Fertilizantes de Matriz Orgânica.

Para acompanhar a agenda do I Fórum Abisolo de Fertilizantes de Matriz Orgânica, conhecer outros palestrantes e efetuar inscrições, basta acessar o site do evento:  https://matrizorganica.abisolo.com.br/

Sobre a Abisolo

A Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal (Abisolo) foi fundada em março de 2003, com o objetivo de representar e defender os interesses das empresas produtoras de importantes insumos que colaboram para o aumento da qualidade, produtividade e sustentabilidade da agricultura brasileira. A entidade congrega fabricantes e importadores de fertilizantes minerais especiais, organominerais, orgânicos, biofertilizantes, condicionadores de solo de base orgânica e substratos para plantas.

Reunindo mais de 140 empresas associadas, participa ativamente das discussões de temas de interesse do setor junto aos diversos Ministérios e Secretarias, Órgãos de Controle e Fiscalização Ambiental, Instituições de Pesquisa, Receitas Estadual e Federal, além de outras entidades representativas de diferentes setores da sociedade civil organizada, buscando sempre a competitividade, a liberdade econômica e a valorização dos segmentos que representa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Technes – Tecnologia em harmonia com a natureza

Completando 30 anos, a Technes foi fundada pelo japonês Yoshio Tsuzuki, um dos membros fundadores da Associação de Agricultura Orgânica (AAO). Visionário, ele observou...

Sistemas biodiversos: A integração como agricultura

Autor Afonso Peche Filho Pesquisador científico do Instituto Agronômico de Campinas afonsopeche@gmail.com Atualmente, as atividades agrícolas da forma que são realizadas produzem, sabidamente, impactos significativos...

A chuva lava…o fertilizante repõe!

Consideramos um solo mais fértil quando possui nutrientes em quantidades suficientes ...

LS Tractor apresenta seus principais modelos para o segmento HF

Segundo a Embrapa, cerca de 800 mil hectares são ocupados no Brasil para produzir em torno de 32 hortaliças, que em 2016 colheram 18,8 milhões de toneladas. É um mercado que movimenta em nível de fazenda R$ 12,5 bilhões, somente com o plantio de sete produtos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!