14.3 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosRelação entre nutrição e fertilidade do solo

Relação entre nutrição e fertilidade do solo

José Luis da Silva Nunes

Engenheiro agrônomo e doutor em Fitotecnia – Grupo Técnico do Badesul Desenvolvimento, Agência de Fomento do Estado do Rio Grande do Sul

silva.nunes@ufrgs.br

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

A adubação pode ser definida como a adição de nutrientes de que a planta necessita para viver, com a finalidade de obter colheitas compensadoras de produtos de boa qualidade nutritiva ou industrial, provocando-se o mínimo de perturbação no ambiente. Sempre que o fornecimento dos nutrientes pelo solo for menor que a exigência da cultura, torna-se necessário recorrer ao uso de adubos.

Para que as relações sejam perfeitamente estabelecidas visando a obtenção do máximo potencial da cultura com a mínima interferência no ambiente, é necessário o estabelecimento de determinadas avaliações com base nas análises e/ou sintomas de carência e nos aspectos de rendimento e qualidade do produto obtido: determinação dos elementos limitantes; estabelecimento das quantidades necessárias; época de aplicação; localização; rentabilidade; efeito na qualidade do produto colhido; e efeito na qualidade do ambiente.

 

Amostragem de solo

Como não é possível analisar o solo como um todo, analisa-se uma pequena parte (amostra) que irá representar uma área muito grande. A amostragem é a primeira etapa de um programa de avaliação da fertilidade do solo.

Uma amostragem inadequada pode resultar em análise, interpretação e recomendação equivocadas, podendo causar graves prejuízos econômicos ao produtor. Os laboratórios, não conseguem minimizar ou corrigir os erros cometidos na amostragem.

A amostragem consiste em obter uma porção representativa de área com características as mais homogêneas possíveis. Para áreas com características homogêneas, a informação de apenas um elemento pode ser extrapolada para toda a população, sem a possibilidade de erros, enquanto que no caso de áreas com características heterogêneas, tal procedimento não satisfaz.

Neste caso, quanto maior a heterogeneidade da população, maior deverá ser o número de amostras para a obtenção de uma estimativa que aproxime do verdadeiro valor médio.

A análise química de solo para fins de avaliação da fertilidade é realizada em laboratórios de análise de rotina. Os resultados de pH (H+), alumínio trocável (Al+³), saturação por alumínio (valor “m“), sódio trocável (Na+) e índice de saturação por sódio são características do solo indicadores de condições de estresse ou de impedimento químico.

Os resultados de cálcio (Ca+²) e magnésio trocáveis (Mg+²) são utilizados principalmente para determinar doses de corretivos. Os teores de fósforo (P), potássio (K), Ca+², Mg+² e micronutrientes obtidos por soluções extratoras são indicadores de disponibilidade destes, sendo usados para a definição de doses de adubação.

Os resultados de acidez potencial (H + Al), matéria orgânica, soma de bases (SB), saturação por bases (valor V), capacidade de troca catiônica total (T) e efetiva (t), e fósforo remanescente (P-rem) dão informações complementares para a interpretação da análise de solo.

Por fim, a análise de solo é um instrumento idôneo para definir a aplicação de corretivos e fertilizantes em áreas de exploração agropecuária. Ela estima a capacidade do solo de suprir determinados nutrientes às plantas, auxiliando no planejamento e programa de adubação e calagem.

Essa matéria você encontra na edição de novembro 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Adubação de plantio a lanço com fertilizante protegido na soja

A soja (Glycine max L.) é uma das culturas mais produzidas no Brasil, representando a principal commodity agrícola do País. Dentre as práticas de manejo da cultura, a fertilidade e a nutrição de plantas destacam-se como uma das principais ações responsáveis pelo sucesso da lavoura.

Especialistas advertem sobre deficiência de magnésio em tomate

 O magnésio, utilizado em conformidade com as análises de solo e folha, pode ajudar a lavoura em condições de altas temperaturas O magnésio é um...

Chuva impacta na colheita da soja no Paraná

A qualidade da soja está bastante comprometida no sudoeste do Paraná. É o que mostra pra gente o produtor rural Laercio Dalla Vecchia que está enfrentando muitas adversidades climáticas desde o início da safra.

Qual a diferença da produção de pepinos em slabs?

AutoresNatalia Nayale Freitas Barroso nataliaff.agro@gmail.com Luana Keslley Nascimento Casais luana.casais@gmail.com Rhaiana Oliveira de Aviz rhaianaoliveiradeaviz@gmail.com Graduandas em Agronomia - Universidade Federal Rural da Amazônia...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!