23.3 C
São Paulo
quarta-feira, julho 6, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Resultados das algas na inoculação de feijão

Resultados das algas na inoculação de feijão

Autores

Raimundo Vagner de Lima Pantoja
Graduando em Agronomia – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), campus Paragominas
Juliana Abreu Silva
Graduanda em Zootecnia – UFRA, campus Paragominas
Letícia de Abreu Faria
Doutora e professora – UFRA, campus Paragominas
leticiadeabreufaria@gmail.com

A nodulação é o processo resultante da simbiose entre bactérias e leguminosas, sendo esta relação importantíssima para essas plantas, uma vez que converte o nitrogênio proveniente da atmosfera em formas disponíveis para elas. Porém, o feijão, ao contrário da soja, não tem sua exigência de nitrogênio suprida somente pela fixação biológica, requerendo assim fertilizantes nitrogenados, que acarretam em aumento no custo de produção e podem causar impactos ambientais. Desta forma, uma nodulação mais eficiente nessa cultura reduz o custo com a adubação nitrogenada e os impactos desta no meio ambiente.

Pesquisas

Em trabalho realizado na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), o pesquisador Levi Pompermayer Machado e colaboradores constataram o efeito bioestimulante no crescimento inicial de plântulas de feijão com o extrato de algas da espécie Osmundaria obtusiloba, que superou o extrato da espécie Sargassum vulgare, sendo este último um dos mais usados na agricultura.

Em outro experimento, conduzido por Salma Latique e colaboradores, da Cadi Ayyad University, verificaram potencialização no crescimento vegetativo de plantas de feijão com aplicação de extrato de algas das espécies Ulva rigida e Fucus spiralis, o que foi relacionado à ativação da enzima nitrato redutase, que é a principal enzima do metabolismo do nitrogênio.

Enraizamento

A nodulação, e consequentemente a fixação biológica de nitrogênio, tem aumento significativo quando as sementes de feijão recebem o tratamento com extrato de algas, molibdênio e fertilizante mineral com pó de rocha, o que resulta em número de nódulos maior que o obtido pela técnica convencional, na qual se realiza a adubação nitrogenada no estádio V4 do feijoeiro.

Há estudos que relatam até 24% de incremento em produtividade no feijão com a aplicação de extrato de algas, com benefícios relacionados ao efeito bioestimulante, que beneficia a germinação, o desenvolvimento das plantas e o rendimento de grãos, além de proporcionar tolerância a estresses ambientais, maior teor de clorofila e capacidade fotossintética.

Trabalhos têm sido realizados com as algas obtendo resultados positivos, embora ainda haja demanda para mais pesquisas, principalmente em campo.

Manejo

A aplicação deve ser realizada na inoculação das sementes, que devem receber os inoculantes recomendados para o feijão somado ao extrato da alga (Ascophyllum nodosum) em até 100 mL por hectare, juntamente com a aplicação de molibdênio. 

Inicio Revistas Grãos Resultados das algas na inoculação de feijão