Safra e lucro recordes

0
18

O agricultor atualmente se depara com o preço da saca de soja com recordes históricos. Nunca se pensou que uma saca de soja ultrapassaria os valores de R$ 130,00.

Talis Melo Claudino Engenheiro agrônomo e mestrando em Agronomia/Energia na Agricultura – UNESP/FCA de Botucatu t.claudino@unesp.br

Maurício Godoy Pereira dos Santos Engenheiro agrônomogodoymauricio.p@outlook.com

Murillo Pegorer Santos Engenheiro agrônomo e produtor ruralmurillo@rosalito.com.br

Soja – Créditos: shurtterstock

A queridinha dos agricultores de cereais no ano de 2020/21, a cultura de soja neste ano vem prometendo e demonstrando suas altas produtividades, o índice pluviométrico de excelente distribuição durante o ciclo, altos preços da commodity, possibilitando um bom investimento para alavancar a produção, e por fim, os altos preços para comercialização. Estes foram os pilares perfeitos para uma ótima rentabilidade ao produtor rural.

Os produtores brasileiros colheram neste ano aproximadamente 127 milhões de toneladas de soja, segundo a Aprosoja, sendo um novo recorde de produção desta oleaginosa, indicando um acréscimo de 2,2% sobre os 124 milhões da safra passada.

A previsão no início da safra era de 135 milhões de toneladas, contudo, foi necessário um ajuste realizado devido às perdas nas produtividades em algumas regiões em decorrência ao fenômeno La Niña. Esta condição climática decorreu de faltas de chuvas pontuais no MT, MS, SP, PR, SC e pelo segundo ano no RS, causando atraso de plantio e ausência de chuvas regulares.

A área cultivada com soja teve aumento de 4,0% em relação à safra anterior, chegando a 38,44 milhões de hectares. A produtividade média no Brasil, segundo a Aprosoja, deve ser de 3.319 kg ha-1.

O agricultor atualmente se depara com o preço da saca de soja com recordes históricos. Nunca se pensou que uma saca de soja ultrapassaria os valores de R$ 130,00. Entretanto, vale salientar a alta dos insumos agrícolas.

Em razão do aumento do dólar e da pandemia mundial, estes tiveram acréscimos de até 88%, o que não aconteceu de uma forma geral em todos os insumos e para os agricultores que realizaram a compra antecipadamente, o valor incrementado nos insumos foi ainda menor, possibilitando assim maior rentabilidade ao agricultor.

Causas e consequências

Uma das explicações para esse aumento é que o preço do óleo de soja no acumulado do ano no indicador calculado pelo Centro de Estudas Avançados de Economia Aplicada (Cepea) teve aumento de 100%, patamares nominais recordes dentro da série histórica.

A alta dos preços de vendas desta commodity foi estimulada por uma demanda aquecida e pela elevação do dólar, sendo que os consumidores brasileiros irão sentir no bolso este aumento, visto que a soja foi um dos itens que ficaram mais caros na inflação.

Recordes de preços também são encontrados nos portos brasileiros, onde a soja é cotada ao redor de R$ 150,00 por saca, que de forma acumulada teve alta perto de 70% em relação à última safra no mesmo período.

Carlos Cogo, consultor da Cogo Inteligência em Agronegócio, relata que os motivos das altas foram “a demanda pelo grão por parte da indústria de esmagamento e a produção de farelo e óleo de soja no mercado interno. Além da valorização do dólar frente ao real, são os fatores que estão levando a essa forte alta dos preços”.

Entretanto, nem todos os produtores vão obter estes ganhos, visto que grande parte deles realizou a venda futura, em que a soja se encontrava com preços próximos de R$ 80,00. Grande parte dos agricultores travaram seus custos de soja com preço menor, contudo, com as altas produtividades, o que sobrará de sua produção será comercializada a um maior valor, e assim, no final das contas, o saldo positivo médio irá capitalizar o produtor para as futuras safras.

Para 2021

Neste ano, mesmo diante o aumento dos preços dos insumos, o produtor brasileiro terá altos ganhos, visto a alta produtividade obtida, associada aos altos preços de venda. Quando realizada a compra antecipada dos insumos, isto resultará em maior rentabilidade ainda, port6anto, esse é o ano de se capitalizar.

Vale pensar que a capitalização do sojicultor irá fazer com que o mercado agrícola inteiro se movimente. Os agricultores podem fazer aquisições de propriedades, melhores implementos, maiores investimentos em seu solo e sua lavora que, por fim, resultará nos próximos cultivos com alta qualidade e rentabilidade.

Por exemplo, o produtor irá adquirir uma nova semeadora, que fará melhor deposição da semente de soja na safra 2021/22, e assim a cultura terá maior estabelecimento dentro dos limites recomendados, com menos falhas ou plantas duplas, levando a maiores produtividades.

O mesmo acontecerá com a aquisição de novos equipamentos para pulverização. Como se sabe, uma pulverização mais eficiente traz ao produtor maior controle de pragas e doenças, além de um melhor aproveitamento dos bioestimulantes e fertilizantes foliares aplicados, resultando assim em maior rentabilidade.

Reflexos

A capitalização do sojicultor afetará todo o mercado nacional. Nota-se que o cultivo da soja em anos anteriores fez com que ele tivesse pequenos ganhos e até prejuízos, cenário que neste ano não se repetirá. A safra de soja foi excelente para o produtor, cerealistas, comerciantes, revendas, cooperativas e todo o mercado ligado ao agro.

Em plena pandemia mundial pela Covid-19, uma luz foi observada no fim do túnel – a produção de soja esquentará a economia brasileira, que vem decrescendo cada vez mais devido ao cenário pandêmico.

Mais uma vez o agricultor vem salvar o Brasil, à frente e avante com suas lavouras, com todos os obstáculos à sua frente, com força e objetivos. Acompanhada de boas condições, a cultura da soja vem nos mostrar que está em nossas mãos o mercado brasileiro e por ele devemos zelar.

Agora o cultivo de segunda safra está no campo. Ele poderá nos agregar ainda mais rentabilidade. Basta as condições de cultivo estarem boas, como visto na soja, e o produtor fazer o seu papel exemplar, cultivando comida para o mundo.


Como maximizar a produtividade e o lucro

Jefferson Carvalho BarrosDoutorando em Educação – Unijuí, professor e coordenador do curso de Agronegócio e da pós-graduação em Logística e Supply Chain – Unibalsascoord.agronegocio@unibalsas.edu.br

Antonio Santana Batista de Oliveira FilhoMestre em Agronomia e tutor presencial – Unopar-Balsasa15santanafilho@gmail.com

O ideal para maximização do lucro do empreendimento rural é comprometer somente o suficiente para cobrir os custos de produção. Assim você protege parte de sua produção contra as variações dos preços.

Isso é possível por meio das operações de hedge – o excedente ele negociaria ao terminar a safra, quando os preços estivessem mais favoráveis, para garantir uma margem de lucro maior. Fazendo uma gestão eficiente de seus custos, gerindo seu endividamento e comercializando bem a lucratividade da atividade agrícola, tem tudo para alcançar recordes em 2021.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.