20.5 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosGrãosSeguros para evitar prejuízos

Seguros para evitar prejuízos

Soja – Créditos: shurtterstock

Os três meses que antecedem o início de plantio da soja – que ocorre a partir de setembro – são fundamentais para a garantia de bons resultados no momento da colheita. É neste período que os produtores agrícolas fazem o planejamento da produção que vai da busca pelo crédito até a compra das sementes e preparo da terra. Este é o momento ideal também para a contratação de um seguro para proteção contra danos causados por qualquer mudança climática que possa prejudicar a colheita.

No setor agrícola, o momento mágico ocorre de dois a quatro meses antes do plantio de determinada cultura. “É quando o produtor toma todas as decisões importantes, como a escolha das sementes, adubos, defensivos agrícolas, a necessidade ou não de aluguel de máquinas e o crédito para financiar todo o investimento que é alto. O seguro agrícola é uma garantia que o produtor não perderá este investimento em caso de uma longa estiagem ou excesso de chuva que podem comprometer a plantação”, explica Fernando Renó, Engenheiro Agrônomo e Head de Agronegócios da EZZE Seguros.

Embora fundamental para garantir a sustentabilidade do setor, o seguro agrícola tem muito para crescer no país. Estimativas apontam que apenas 15% de toda área plantada em território nacional seja segurada. Em um ano com previsão de alterações climáticas marcadas por longos períodos de seca nas regiões Centro-Oeste e Sudeste, os prejuízos tendem a ser altos. “Além da falta de cultura de seguro, em muitos casos os pequenos e médios produtores ainda subestimam a possibilidade de perdas”, diz Renó.

O executivo ressalta a importância de pesquisa no momento da contratação de um seguro agrícola. “Além de verificar a cobertura e valor de prêmio oferecidos, itens como agilidade, desburocratização são fatores que fazem a diferença na hora da escolha”, diz. O modelo de negócio da EZZE Seguros, focado no digital, garante atendimento menos burocrático e mais assertivo. “Em até dois dias após sermos contatados, o produtor agrícola já recebe a proposta desenhada de acordo com suas características e necessidades. Nos antecipamos às necessidades dos clientes para ajudá-los a prevenir perdas que podem comprometer o trabalho de uma safra.” Sobre a Ezze Seguros
Seguradora com 100% de capital nacional e com um modelo societário de partnership, que potencializa o empreendedorismo, a EZZE Seguros iniciou suas operações em outubro de 2019, com o uso de tecnologia ligada à inovação, a empresa permite maior agilidade ao atendimento de corretores, de assessorias, de parceiros de negócios e de clientes. Uma Seguradora baseada em multiprodutos que atendam às necessidades atuais do segurado e dos corretores, atuando em diversos ramos de seguro, com mais de 40 produtos, entre eles, Garantia, Transportes, Vida em Grupo, Agro, D&O, E&O, Patrimonial, Responsabilidade Civil, Ricos de Engenharia e Massificados.

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Livro Avanços na Cafeicultura Brasileiras

O livro “Avanços na Cafeicultura Brasileira” aborda toda a evolução da cultura cafeeira no país, desde 1960 até a atualidade.

Manejo de plantas daninhas em trigo tropical

Os produtores de grãos do cerrado brasileiro costumam realizar plantios na segunda safra com os propósitos de diversificar renda, otimizar o uso da terra e dos insumos, melhorar a oferta de produtos no mercado, proporcionar a produção de palhada na área, quebrar o ciclo de pragas, doenças e plantas daninhas, dentre outros.

Corteva Agriscience TM , divisão agrícola da DowDupont e Embrapa discutem boas práticas agrícolas

Encontro, realizado em Brasília, contou com capacitação de técnicos de várias entidades e participação de pesquisadores da Embrapa

Resultados positivos dentro do sistema de produção com trigo e soja

Não existe uma receita exata para se dar bem na agricultura, mas é fato que a introdução de novas tecnologias, o avanço das pesquisas, novas opções de manejo, a parceria entre as culturas de inverno e de verão e ainda a visão do produtor sobre todo o sistema da propriedade está impactando diretamente no aumento das produtividades. As culturas da soja e do trigo, por exemplo, andam juntas, especialmente porque o cereal é o mais plantado no Rio Grande do Sul e possui um alto valor agregado para os produtores gaúchos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!