Sekita Agronegócios – O caminho para uma agricultura sustentável

Para quem está começando nas atividades agrícolas, Makoto recomenda o planejamento em primeiro plano e trabalhar realmente com gestão de pessoas.

0
69
Makoto Sekita, proprietário da Sekita Agronegócios
Crédito Caio Coutinho

Makoto Sekita é proprietário da Sekita Agronegócios, em São Gotardo (MG), onde produz cenouras, repolhos, beterrabas, alho, cereais e gado de leite. Ao ano, são 900 hectares de cenoura, seu carro-chefe, que no verão chega a 2.500 cx/ha, e no inverno em torno de 3.500 cx/ha.
O alho é cultivado em 400 hectares, com produção média de 20 a 21 ton/ha. A beterraba vem logo em seguida, cultura que ocupa atualmente 300 hectares, que rendem 3.500 cx/ha. Já o repolho é plantado em parceria com a Shimada Agronegócios, em 350 ha/ano, produzindo 4.000 cx/ha.
“A pecuária de leite foi iniciada justamente pensando no fornecimento de matéria orgânica para as hortaliças e cereais. Hoje, os fertilizantes orgânicos, que fornecem principalmente nitrogênio e potássio, contribuem muito para a redução de utilização dos fertilizantes químicos, nos garantindo uma economia de 40% em hortaliças, e em cereais até 80%”, relata o produtor.
São produzidos, atualmente, 75 mil litros de leite ao dia, que são entregues na CCPR.

ILP

A integração lavoura-pecuária (ILP) chegou para Makoto Sekita como uma soma da economia na propriedade. Além da produção de leite e genética, os biofertilizantes e compostos orgânicos gerados pela atividade contribuem muito para a produção de hortaliças.
“Além da economia de insumos, há uma maior produtividade, em torno de 5,0 a 10% nas lavouras de repolho, beterraba, cenoura e alho, o que é muito significativo. Devido à covid-19, tivemos escassez de mão de obra, o que dificultou o plantio e a colheita das nossas lavouras. O mesmo aconteceu na época da greve dos caminhoneiros. Mas seguimos tentando encontrar soluções, e os biofertilizantes foram uma dessas”, pontua.

Dicas de produtor

Para quem está começando nas atividades agrícolas, Makoto recomenda o planejamento em primeiro plano e trabalhar realmente com gestão de pessoas. “São as pessoas que fazem acontecer a produção, e não só a parte técnica. Por isso é importante o gerenciamento da equipe, treinamento, orientação e valorização”, define.
As perspectivas do agricultor para o futuro é fazer a diferença na gestão de pessoas. “Acredito que sem isso não vamos a lugar algum. Com a produção de mais dejetos e de leite, nossa agricultura se tornará mais viável, devido à economia de adubos sólidos. Portanto, a Sekita planeja plantar sempre com mais eficiência e gestão, colocando sua tecnologia e informação, setores que tem investido bastante, à disposição de todos os colaboradores”, define.

Parcerias

A Sekita Agronegócios tem várias parcerias, inclusive com a Sagra Agronegócios, que Makoto elogia pelo atendimento pleno e personalizado na propriedade.