22 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioMercadoSem crise: Indústria de sementes no Brasil movimenta US$ 4 bilhões

Sem crise: Indústria de sementes no Brasil movimenta US$ 4 bilhões

Isla Sementes, primeira empresa de sementes de hortaliças do Brasil, aposta na atuação em toda a cadeia da horticultura para crescimento nacional do setor

Foto Aérea da IslaApesar da crise econômica, o Brasil é considerado por diversos especialistas como um excelente ambiente para negócios no contexto mundial da indústria de sementes. Com um mercado doméstico que movimentou aproximadamente US$ 4 bilhões em 2014, trata-se de um país que consegue aliar a enorme vocação agrícola a um bom sistema tecnológico. Além disso, a própria característica continental do País favorece a produção de sementes de alta qualidade e de diferentes espécies. O País conta com uma indústria sementeira consolidada ao longo de muitas décadas e possui um dos maiores mercados domésticos do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e da China. 

De acordo com estudos da Associação Brasileira de Sementes e Mudas (ABRASEM), nos últimos anos, a produção brasileira de sementes saltou de 1,6 milhão de toneladas, em 2001, para mais de 3,0 milhões de toneladas, na safra 2012/13.Outro destaque que merece ser observado são os setores de produção de sementes de forrageiras tropicais e de sementes de espécies olerícolas, que registraram crescimentos expressivos nos últimos anos. O setor de forrageiras saltou de 27 mil toneladas de sementes, em 2010, para 50 mil toneladas, em 2013, alcançando um faturamento de aproximadamente US$ 600 milhões, impulsionado, principalmente, pelo aquecimento do mercado de carnes. Já o setor de sementes de olerícolas movimentou cerca de US$ 208 milhões em 2013, com destaque para a produção de sementes de tomate, cebola, cenoura, melão, melancia e alface. Na área de horticultura (hortaliças e flores), o mercado de sementes conta com 850 mil hectares e movimenta mais de 2 milhões de empregos diretos.

Inserida nesse mercado em expansão, a ISLA SEMENTES, pioneira na América Latina no desenvolvimento, produção e comercialização de sementes de hortaliças, flores, ervas e temperos, se preocupa com todas as etapas de cultivo até comercialização de seus produtos, assim como em ser corresponsável pela geração sustentável de empregos, diretos e indiretos, rentabilidade e valor agregado para seus colaboradores, parceiros, consumidores e meio ambiente. “Queremos contribuir para que todo consumidor brasileiro venha a ter acesso à mesma qualidade e diversidade de produtos vindos da lavoura que, por exemplo, os americanos e europeus possuem“, afirma o diretor de planejamento estratégico, Andrei Santos. Para a empresa, produzir sementes é apenas o pontapé inicial na contribuição de um sistema interligado. Segundo Andrei, atingir este objetivo é sinônimo de atuação conjunta em todos os elos da cadeia, incluindo o pequeno agricultor, o varejo e o consumidor final. Desta postura, surgiu o projeto Hortaliças de Alto Valor Agregado.

Entender de maneira integrada o perfil de cada agricultor familiar e estar em harmonia com pequenos e grandes distribuidores proporciona visão estratégica da cadeia da alimentação saudável. A Isla promove a diversificação de culturas com a utilização de modernas técnicas agrícolas e a identificação da semente mais adequada para cada região. Junto ao varejo, o investimento na valorização do setor de hortifrúti aliado à participação no faturamento e diferenciação da loja junto à concorrência faz diferença na balança. “Grande parte dos consumidores decide qual supermercado ir devido à qualidade do hortifrúti oferecido“, complementa Andrei.

O resultado deste processo contribui para o grande impacto econômico do agronegócio no PIB nacional, atualmente de 23%. Dentro deste segmento, a horticultura é a ramificação que mais gera mão de obra por hectare. Estima-se que o negócio atinja uma área plantada de 842 mil hectares, gerando mais de dois milhões de empregos diretos. Além disso, a rentabilidade por área da horticultura é muito superior. Enquanto um hectare de soja rende R$ 1,5 mil, no cultivo de tomate, por exemplo, pode atingir R$ 40 mil.

Investimentos no setor

A Isla está em franca expansão. A empresa investe pesado em novas tecnologias e vislumbra um crescimento de mais de 25% até o final de 2015. Dentre eles, o principal é a construção do Centro de Armazenagem e Distribuição de Sementes. O novo pavilhão de 1,3 mil m² é especialmente projetado para a armazenagem das sementes, que exige um rígido controle da umidade e temperatura do ambiente. O valor injetado nesta planta é superior a R$ 8 milhões e amplia em 40% a área construída da matriz, em Porto Alegre, além de duplicar a capacidade de armazenamento, que chegará a 2 milhões de quilos em 2016.

“Seguimos investindo nos mais modernos equipamentos de dosagem e embalagem. Em 2011, trouxemos para o Brasil a primeira ‘contadora de diamantes’, tecnologia mais precisa do mundo para contagem de sementes. E, até o final do ano, serão convertidos mais de R$ 2 milhões em contadoras de altíssima velocidade, também inéditas no Brasil, que permitirão ampliar a disponibilidade de sementes de alta qualidade genética em pequenas quantidades“, conta a presidente da Isla, Diana Werner.

ARTIGOS RELACIONADOS

Bejo – Qualidade à frente do seu tempo

Para o evento, a Bejo levará toda a sua linha de sementes de hortaliças. Neste ano o destaque será o programa de cebolas e de alfaces. “Estaremos promovendo nosso novo programa de alfaces e as mais recentes introduções de cebolas. Nas cebolas, a Bejo, como líder mundial no segmento, vem a cada ano introduzindo novas cultivares no mercado brasileiro e ganhando espaço em todas as janelas e tipos de cebola plantadas no Brasil”, relata o executivo.

Cebola precoce traz mais rentabilidade para os produtores

  Marcos Vinícius de Freitas Silva Assistente técnico de campo no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba marcos_freitassilva@yahoo.com.br   Os plantios normais de cebola começam em março e seguem até...

Mais rendimento e pungência da cebola com Enxofre

Autor Claudinei Kurtz Engenheiro agrônomo, doutor em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas e pesquisador da Epagri/Estação Experimental de Ituporanga kurtz@epagri.sc.gov.br O enxofre...

Dulciana ” A cebola que não faz chorar

Características para o consumidor:   Ela tem menos ácido pirúvico, responsável pela pungência " ardor (que faz os olhos lacrimejarem). Não faz chorar. Informações nutraceuticas ao...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!