Sementes incrustadas: quais as vantagens para HF?

0
31

Laura Reisdörfer Sommer

Engenheira agrônoma, mestra e doutora em Fruticultura e professora – Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI)

laurasommer@san.uri.br

Daniele Brandstetter Rodrigues

Engenheira agrônoma, mestra em Agronomia e doutora em Ciência e Tecnologia de Sementes – Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

ufpelbradndstetter@hotmail.com

Divulgação

A incrustação é um tipo de revestimento sobre as sementes que melhora a plantabilidade e aumenta a proteção do insumo. Nesse sentido, o produtor deve ficar atento à escolha das sementes de HF incrustadas (com algum tipo de tratamento). A análise, realizada em laboratórios credenciados pelo (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mostra se o produto adquirido tem alta qualidade.

Entenda melhor

O incrustamento é uma das técnicas de recobrimento de sementes, que pode ainda ser a peliculização e peletização. A incrustação é um estágio intermediário entre a peliculização e a peletização e se caracteriza pelo aumento do tamanho e peso, alterando sua aparência de forma benéfica. Pode conter defensivo agrícola, nutriente, corante ou outro aditivo, além do material aglomerante.

Diversos são os benefícios da utilização de sementes incrustadas, dentre as quais: melhor monitoramento da semeadura no solo em virtude da aparência e coloração da semente; a adição de cobertura proporciona maior proteção da semente; possibilita a incorporação de nutrientes, reguladores de crescimento, inoculantes, fungicidas e outros, favorecendo a proteção mais eficaz da germinação e emergência da semente (desenvolvimento inicial da cultura).

Por consequência da utilização da técnica de incrustamento, há redução da exposição do operador ao contato direto com qualquer tipo de substância ativa com potencial tóxico humano.

Quanto vale?

O custo de uma semente revestida (incrustrada) é maior quando comparado a sementes convencionais, todavia, trata-se de agregação de valor, tendo em vista os benefícios à cadeia de produção. 

É valido ressaltar que durante o processo de produção é que a semente deve possuir todas as condições para o alcance da qualidade. Quando falamos que este material propagativo é determinante para os cultivos posteriores, por si só não garante a produção com qualidade e a produtividade tão desejada por quem produz.

Para tanto, se lança mão de técnicas como o incrustamento, que proporciona maior segurança na fase inicial, a qual pode ser crítica. Por esta e outras razões, o insumo semente deve ser visto como um investimento, e não como mais um custo.

De forma geral, qualquer semente que apresenta dificuldade de distribuição (seja pelo tamanho, peso ou tipo de superfície) no momento da semeadura pode passar pelo processo de incrustamento. Porém, as mais comumente utilizadas são sementes de alface, cenoura, cebola e salsa.

Qualidade em primeiro plano

O principal aspecto a se considerar é a utilização de sementes puras e de alta qualidade, pois no processo é possível alterar e potencializar as características físicas e fisiológicas das sementes (germinação, vigor, uniformidade, limpeza e formato).

Outro aspecto a ser considerado é que a película que envolve as sementes apresenta a característica de ser semipermeável, o que impede a absorção de água pelas sementes (quando houver pouca disponibilidade no solo), evitando que a mesma inicie o processo de germinação e morra por falta de umidade.

Além disso, as sementes incrustadas proporcionam maior segurança para as pessoas que irão manuseá-las, pois os tratamentos com produtos químicos, como inseticidas e fungicidas não ficam expostos, evitando também eventuais danos ao meio ambiente.

Facilidade de regulagem das máquinas semeadoras, distribuição uniforme das sementes, proteção de ataque de pragas antes da germinação e poupar tratos culturais, como desbaste, também são aspectos importantes a se considerar na hora da escolha do tipo de semente.

Padronização das sementes

As sementes de cebola e cenoura, por exemplo, são pequenas e têm uma forma irregular. Já as sementes de alface, além de pequenas, também são finas e leves, com uma superfície um pouco peluda.

A incrustação padroniza o peso e o tamanho dessas sementes e suaviza muito a irregularidade. Como resultado, o equipamento de semeadura precisa de menos ajustes e reduz o risco de falhas no plantio. Isto permite um processo de semeadura eficiente e preciso, além da semeadura com o espaçamento e profundidade corretos.

Com maior precisão, se diminui o número de sementes a serem utilizadas, consequentemente, os gastos com as mesmas. Em comparação com a peletização, a incrustação é mais rápida e, em alguns casos, uma forma mais econômica de alcançar estes benefícios.

Outro ponto que afirma que a relação custo-benefício dessa semente é efetiva é a incorporação de defensivos, como inseticidas e fungicidas, nas sementes. Além de proteger a semente contra ataques de pragas e fungos, evita gastos posteriores com a aplicação desses insumos.

Por onde começar

O primeiro passo é certificar-se da origem da semente que está sendo adquirida e se ela é de qualidade garantida. Também é importante a adequada regulagem da semeadora, para uma distribuição uniforme das sementes no local do plantio.

Do mesmo modo, é importante se ater às características físicas e químicas do solo no qual a semente será depositada, realizando previamente a análise do solo, corrigir possíveis deficiências e, caso necessário, corrigir características físicas, como a compactação, que dificulta diversos processos após a semeadura.

O controle da irrigação também é muito importante nesta fase inicial pós-semeadura, de maneira a não deixar faltar água para que a semente possa germinar e se desenvolver de maneira adequada.

Caso a semeadura seja feita em bandejas em casa de vegetação para posterior plantio das mudas, sempre se deve optar por substratos de qualidade e isentos de patógenos, assim como controlar irrigações e monitorar temperaturas no interior da casa de vegetação.