Sensores indicam nitrogênio disponível na planta

0
48
Crédito Shutterstock

Adilson Pimentel Júnior
adilson_pimentel@outlook.com
Aline Mendes de Sousa Gouveia
aline.gouveia@unifio.edu.br
Engenheiros agrônomos, doutores em Agronomia e professores – Centro Universitário de Ourinhos (Unifio)
Pedro Henrique Silva de Oliveira
Graduando em Agronomia – Unifio
pedro.henriqueagro@outlook.com

Para garantir a eficiência do N aplicado, busca-se o momento de maior consumo pelas plantas, além de condições meteorológicas adequadas para aplicação e doses condizentes com as reais necessidades da cultura.
A efetiva aplicação de N em lavouras comerciais demanda por ferramentas (sensores) que permitam a identificação da variabilidade nutricional nas plantas. Com isso, espera-se quantificar os teores de clorofila e biomassa com a aplicação em tempo real pela demanda de N com o emprego da Agricultura de Precisão (AP), sendo um exemplo moderno e atual, cada vez mais frequente nos sistemas produtivos.

Atuação dos sensores

O nitrogênio é um dos elementos mais requeridos nas culturas – é integrante da clorofila, pigmento este responsável pela captação de energia luminosa para processo de fotossíntese. Com isso, as propriedades espectrais, refletância e transmitância das plantas são afetadas pela deficiência deste elemento.
Há diversos métodos para avaliar o nível adequado de N na planta, como: diagnose visual, diagnose foliar, testes de tecidos, testes bioquímicos e teor de clorofila, porém, não apresentam resultados instantâneos.
Um método que pode contornar essa lentidão na obtenção dos resultados é o emprego do uso de aparelhos de leitura rápida, como é o caso do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI). O NDVI se caracteriza por ser um método eficiente de quantificar a biomassa da parte aérea e o estado nutricional da cultura, dando parâmetros a serem seguidos para recomendação de N.

Manejo

As interpretações dos resultados obtidos por meio de sensores de vegetação em tempo real permitem maior rapidez e facilidade em processos de tomada de decisão relacionados ao manejo da cultura. Dessa forma, permitem a identificação e a correção de deficiências nutricionais, principalmente relacionadas ao N.
Tais sensores podem estar acoplados a veículos terrestres ou aéreos (drones). Com esta informação calculada pelos sensores óticos, a absorção real de nitrogênio referente ao cultivo, com base nos algoritmos matemáticos agronômicos de calibração, têm-se as taxas ótimas de aplicação.
Os dados de absorção de nitrogênio são enviados para o controlador do aplicador de taxa variável, que ajusta as taxas do fertilizante nitrogenado conforme a necessidade local para a cultura. O sensor deve estar conectado a um computador de bordo, onde os dados do sensor e GPS são processados e armazenados para geração de mapas e documentação da lavoura.

Resultados práticos

A reflectância espectral de culturas pode ser usada como ferramenta avaliativa nos casos como estresses, avaliação do estado nutricional, estimativa de crescimento e estimativa de produtividade, por se basear na espectrometria ótica, em que a clorofila absorve comprimentos de onda na faixa do visível, dando uma estimativa indireta do estado nutricional da planta.
Estudos realizados com o algodão mostraram que as doses de N aplicadas influenciaram positivamente no valor de NDVI, tendo relação direta com a produtividade e a faixa de suficiência de N. Conforme a planta cresce e se desenvolve, maior é a sensibilidade à variação do teor foliar de N, devido à redução da influência do solo na resposta espectral, de acordo com o aumento da cobertura vegetal.
Quando há plantas com diferentes disponibilidades de nutrientes, os indicadores do teor de N são eficientes para mostrar tal diferença até determinado ponto, onde se tem a saturação na capacidade do sensor detectar o estado nutricional.
Um outro exemplo que podemos citar na cultura do milho, é que, ao detectar o estado nutricional em relação ao N na fase de pré-florescimento, foi possível observar relação do N com a produção de matéria seca. Também foi observada essa relação em outras culturas, como no cultivo de gramínea tifton, que validou essa técnica para as mais variadas culturas.