28.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosSetor florestal: como aumentar a produtividade de madeira?

Setor florestal: como aumentar a produtividade de madeira?

Crédito Shutterstock

Fabrício Fernandes
Especialista em Desenvolvimento de Mercado Florestal / Vittia

A produtividade da cultura do eucalipto, em 2022, atingiu 40 m3/ha, alcançando os maiores limiares desde o ano de 2014.

Entretanto, devido ao aquecimento do setor florestal nos anos de 2021 e 2022, os viveiros responsáveis não estão atendendo em volume e qualidade as mudas para serem transplantadas no campo, fato que também está atrelado à crise de 2011 sofrida pelo setor, com reduções drásticas no número de viveiros florestais existentes.

Um sistema radicular bem formado em mudas de espécies florestais é muito importante para um bom estabelecimento e desenvolvimento dessas plantas. No entanto, nem sempre isso ocorre.

Novaes (1998) e Barroso et al. (2000), por exemplo, relataram a persistência de deformações radiculares em mudas de espécies florestais após o plantio. Essa persistência das deformações radiculares após o plantio pode reduzir ou atrasar o crescimento das plantas no campo, o que acarreta maiores custos com o controle de plantas daninhas e o retardamento da produção de madeira.

Vantagens de uma muda robusta

Mudas robustas e que apresentam maior porcentual de emissão de raízes são mais aptas a condições de estresse ambiental, garantindo maiores taxas de sobrevivência no campo.

 Sabendo disso, em parceria com empresas do setor florestal, a Vittia desenvolveu trabalhos visando um melhor crescimento e desenvolvimento de mudas de eucalipto antes e após o transplantio, por meio do uso do inoculante Meli-X Turbo, um promotor de crescimento formulado com a bactéria Bacillus velezensis UFV 3918, que coloniza o sistema radicular da planta, atuando simultaneamente na solubilização de nutrientes, especialmente o fósforo, e na promoção de crescimento de plantas, contribuindo principalmente com o aumento do volume de raízes.

Para isso, avaliações em condições de campo foram realizadas na cultura do eucalipto na região de Pompéu (MG), 2022. O campo experimental foi desenvolvido com o plantio do clone AEC 1528, dividindo a área em Padrão Fazenda x Padrão Vittia.

As amostras foram coletadas aleatoriamente e foi avaliado colo da planta (mm), parte aérea (cm), raiz (cm), peso seco da parte aérea (g) e raiz (g).

Como resultado, todos os parâmetros apresentaram ganhos estatisticamente significativos no desenvolvimento tanto radicular quanto foliar, contribuindo para o aumento na produção de madeira com apenas 41 dias após aplicação do Meli-X Turbo no tratamento das mudas antes do plantio, em relação ao Padrão Fazenda.

Houve destaque para o peso seco de raiz, observando-se incremento de 105% em relação ao padrão, demonstrando a grande contribuição do inoculante para um melhor desenvolvimento de raízes de mudas de eucalipto pós-transplantio, o que acarretará em um melhor pegamento e estabelecimento de plantas e, por consequência, uma maior produtividade.

Gráficos comparativos

Figura 1. Colo da planta (mm) do clone AEC 1528 entre o Padrão Fazenda e Padrão Vittia, Pompéu/MG, 2022.
*Médias seguidas de mesma letra maiúscula nas datas de avaliação não diferem estatisticamente entre si pelo teste T a 5% de probabilidade (R Development Core Team, 2009).
 
Figura 2. Parte aérea (cm) do clone AEC 1528 entre o Padrão Fazenda e Padrão Vittia, Pompéu/MG, 2022.
*Médias seguidas de mesma letra maiúscula nas datas de avaliação não diferem estatisticamente entre si pelo teste T a 5% de probabilidade (R Development Core Team, 2009).
Figura 3. Raiz (cm) do clone AEC 1528 entre o Padrão Fazenda e Padrão Vittia, Pompéu/MG, 2022.
*Médias seguidas de mesma letra maiúscula nas datas de avaliação não diferem estatisticamente entre si pelo teste T a 5% de probabilidade (R Development Core Team, 2009).
Figura 4. Peso seco da parte aérea (g) do clone AEC 1528 entre o Padrão Fazenda e Padrão Vittia, Pompéu (MG), 2022.
*Médias seguidas de mesma letra maiúscula nas datas de avaliação não diferem estatisticamente entre si pelo teste T a 5% de probabilidade (R Development Core Team, 2009).
Figura 5. Peso seco da raiz (g) do clone AEC 1528 entre o Padrão Fazenda e Padrão Vittia, Pompéu (MG), 2022.
*Médias seguidas de mesma letra maiúscula nas datas de avaliação não diferem estatisticamente entre si pelo teste T a 5% de probabilidade (R Development Core Team, 2009).

As figuras 6 e 7, a seguir, evidenciam os ganhos tangíveis com a utilização do Meli-X Turbo no tratamento das mudas antes do plantio e nas avaliações realizadas nos dias 31/10/2022 e 21/11/2022. Isso significa melhor desenvolvimento radicular e foliar, aumentando os rendimentos na produção de madeira.

Figura 6. Amostras coletadas no campo dia 31/10/2022 no campo. A. Padrão Vittia. B. Padrão Fazenda.
Figura 7. Amostras coletadas no campo dia 21/11/2022 no campo. C. Padrão Vittia D. Padrão Fazenda.

Benefícios do Meli-X Turbo

Existem vários benefícios na aplicação do Meli-X Turbo no manejo florestal que valem a pena serem ressaltados:

• A formulação é líquida e de fácil manuseio;

• Apresenta amplo espectro de solubilização de fósforo do solo e outros nutrientes;

• Devido ao metabolismo da bactéria, há várias formas de atuação que promovem o crescimento das plantas;

• Otimiza a absorção dos fertilizantes aplicados via solo;

• Contribui para a maior absorção de água devido ao volume expressivo de raízes secundarias (indicado para regiões com déficit hídrico);

• É um produto biológico, sem impactos no manejo florestal;

• Aumenta a produção de madeira.

ARTIGOS RELACIONADOS

Importância do planejamento e análise de investimento na silvicultura

Adriane Roglin Engenheira florestal, MSc. e coordenadora de Projetos da Consufor aroglin@consufor.com / www.consufor.com O principal objetivo de qualquer empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte,...

3 benefícios do uso de drones no setor florestal

Essa tecnologia possibilita que tarefas sejam realizadas de forma otimizada, mais rápida e com mais precisão.

Cresce a geração de energia com biomassa florestal via cavaco

A participação das fontes renováveis no consumo brasileiro de energia é de 40%, contra 60% das fontes não-renováveis (fósseis e nuclear). Os produtos derivados...

Produção de teca pelo Brasil afora

Lísias Coelho Engenheiro florestal, Ph.D. e professor ICIAG-UFU lisias@ufu.br Túlio Vieira Machado Engenheiro agrônomo e mestrando em Fitotecnia - ICIAG-UFU tuliovmachado@gmail.com Ernane Miranda Lemes Engenheiro agrônomo, M.Sc. e doutorando em Produção...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!