23.3 C
São Paulo
terça-feira, julho 5, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Silício - Aliado no controle de nematoides

Silício – Aliado no controle de nematoides

Carla Verônica Corrêa

Doutoranda em Agronomia/Fisiologia Vegetal e Metabolismo Mineral ” UNESP

cvcorrea1509@gmail.com

Luís Paulo Benetti Mantoan

Doutorando em Ciências Biológicas/Fisiologia Vegetal – UNESP

Crédito
Crédito ” Fábio Ramos

São muitos os prejuízos causados pelos nematoides, levando, sem sombra de dúvidas, a perdas de produtividades, seja debilitando as plantas e até mesmo ocasionando a morte das mesmas. Ao parasitarem as raízes, promovem a redução no número de raízes, e quando em altos níveis populacionais, as plantas apresentam redução no crescimento.

Na parte aérea pode ocorrer clorose, amarelecimento e murcha. Esses parasitas têm um estilete bucal que, além de retirar substâncias nutritivas das plantas, viabilizam a injeção de substâncias tóxicas no interior da célula vegetal.

Geralmente os nematoides estão presentes no solo e atuam nas raízes das plantas. Quase sempre esse parasitismo fica evidente pelo aparecimento de estruturas como galhas e escurecimento do tecido radicular.

Propagação

Os nematoides podem utilizar os seguintes meios para chegar às áreas de cultivo: água de irrigação, ventos fortes, mudas produzidas em substratos ou solos infectados, máquinas e implementos agrícolas e movimentos de animais e pessoas na área.

Os problemas começam a ser percebidos na parte aérea da planta, que passa a ter dificuldade para retirar água e nutrientes do solo. Normalmente os ataques ocorrem em reboleiras, onde as plantas apresentam menor crescimento e amarelecimento das folhas.

 

Crédito
Crédito ” Hélcio Costa

Espécies

São várias as espécies de nematoides, como os das galhas, Meloidogyneincognita, M. javanica,M. arenariae M. enterolobii, nematoides das lesões, como Pratylenchus spp., e as espécies de Rotylenchulusreniformis, entre tantas outras.

O silício

O acúmulo e a deposição de silício nas células da camada epidérmica, seja na parte aérea ou nas raízes, constituem uma barreira física que impede o avanço e o crescimento dos patógenos pela modificação da parede celular, tornando-a mais resistente à degradação causada pelas enzimas hidrolíticas e à ação de estruturas especiais de infecção dos patógenos, agindo de modo semelhante à lignina ou suberina de algumas plantas.

De acordo com pesquisadores, a redução na capacidade reprodutiva do nematoide na presença de silício ocorre devido ao aumento dos derivados da lignina-ácido tioglicólico e das enzimas peroxidase, polifenoloxidase e fenilalanina-amônia-liase.

Há evidências de que o envolvimento dos silicatos na indução de resistência pode ocorrer pela participação do próprio silício, fortificando estruturas da parede celular, conferindo aumento da lignificação, dificultando a penetração e ativação de mecanismos específicos, como a produção de fitoalexinas e a síntese de proteínas relacionadas à patogênese como quitinases.

Sintomas de nematoides em alfce - Crédito Lara Guimarães
Sintomas de nematoides em alfce – Crédito Lara Guimarães

Ação e reação

O silício reduz os efeitos dos estresses causados pelos nematoides e dificulta o ataque às raízes, porém, não se trata de um método curativo. Assim, o silício atua como uma prática adicional a todas aquelas já recomendadas para a prevenção e controle de nematoides.

O silício é considerado um elemento benéfico, cujas respostas são potencializadas em culturas submetidas a alguma forma de estresse. Esse fator torna o silício um elemento de extrema importância para a agricultura, uma vez que as culturas são submetidas às condições estressantes diariamente, seja por alterações de temperaturas, excesso ou falta de água, ataque de pragas, patógenos e nematoides, desequilíbrio nutricional, condições físicas, químicas e biológicas do solo, aplicação de defensivos e tantas outras formas de estresse.

Diversas pesquisas associam o silício ao aumento no teor de clorofila e manutenção fotossintética, redução na transpiração, aumento na absorção de nutrientes, resistência a insetos, nematoides, fungos e bactérias, melhora da arquitetura das plantas, deixando-as mais eretas, o que permite melhor exposição das folhas aos raios solares. Assim, favorece a fotossíntese e a formação de microclima menos propício (maior aeração) ao desenvolvimento de doenças.

O silício é um aliado contra nematoides - Crédito Luize Hess
O silício é um aliado contra nematoides – Crédito Luize Hess

No solo, o silício forma complexos com o alumínio, reduzindo sua toxidade, além de reduzir o efeito tóxico de B, Mn, Fe e metais pesados. Além disso, o silício desloca o fósforo, reduzindo a adsorção desse elemento e aumentando sua disponibilidade para a cultura.

Assim, os efeitos benéficos do silício não são específicos aos nematoides, mas consistem na somatória de todos os benefícios descritos que reduzem os efeitos estressantes sobre as plantas, inclusive os resultantes do ataque de nematoides.

A prevenção é sempre o melhor caminho, quando o assunto é nematoide - Crédito Luize Hess
A prevenção é sempre o melhor caminho, quando o assunto é nematoide – Crédito Luize Hess

 

Essa matéria completa você encontra na edição de abril 2018  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

 

Inicio Revistas Hortifrúti Silício - Aliado no controle de nematoides