18.1 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Silício combate a broca-da-cana

Silício combate a broca-da-cana

 

Hudson Carvalho Bianchini

Professor de Fertilidade do Solo ” UNIFENAS

hudson.bianchini@unifenas.br

Douglas José Marques

Professor de Olericultura – UNIFENAS

 

Silício combate a broca-da-cana - Crédito Shutterstock
Silício combate a broca-da-cana – Crédito Shutterstock

O silício (Si) é o segundo elemento em abundância na crosta terrestre. Nos solos, o silício solúvel ou disponível para as plantas (H4SiO4 – ácido monossilícico) pode ter origem nos processos de intemperização dos minerais primários e, particularmente, dos minerais secundários como os argilossilicatos.

Solos tropicais e subtropicais intemperizados, onde são feitos cultivos sucessivos, tendem a apresentar baixos níveis de Si disponível para as plantas, devido à perda por lixiviação. Estes solos, normalmente, apresentam baixo pH, alto teor de alumínio, baixa saturação de bases e alta capacidade de fixação de fósforo, além de uma atividade microbiológica reduzida. Solos com estas características podem se beneficiar da adubação com Si.

O silício é absorvido na forma de ácido monossilícico (H4SiO4) juntamente com a água (por fluxo de massa) e se acumula principalmente nas áreas de máxima transpiração (tricomas, espinhos, etc.) como ácido silícico polimerizado (sílica amorfa).

Silicatos

Os silicatos são as principais fontes de Si para os solos e para as plantas, apresentando, também, efeito corretivo da acidez do solo, devido ao aumento do pH e redução nos teores de Al3+ e Mn tóxicos, aumento dos teores de Ca e Mg trocáveis e da saturação de bases (V%), além do benefício adicional de aumentar os teores de Si no solo.

Sintomas de broca no colmo da cana Crédito José Antonio Júnior
Sintomas de broca no colmo da cana Crédito José Antonio Júnior

Manejo

Quando o silicato for aplicado em solos arenosos e se os teores de Mg estiverem baixos, recomenda-se aplicar 40 kg ha-1 de Mg, como precaução, prevenindo uma eventual deficiência de magnésio.

Na cana-de-açúcar, o silicato deve ser aplicado a lanço e incorporado antes do plantio. A cultura responde favoravelmente ao silício, principalmente nos solos pobres nesse elemento, pois é uma planta acumuladora de silício, cujos teores podem variar desde 0,14% a 4% na matéria seca

A cultura da cana-de-açúcar possui um enorme potencial de remoção de Si. Uma produção de 100 t ha-1 pode remover 300 kg ha-1 de Si, enquanto que em determinadas situações, onde a produtividade é mais elevada, estas quantidades podem chegar a 500 kg ha-1, uma quantidade maior que a absorção de nitrogênio e de potássio.

Benefícios

Os efeitos benéficos do Si para as plantas estão relacionados, principalmente, ao aumento da resistência ao ataque de insetos-praga, nematoides ou doenças e à redução na taxa de transpiração por meio do controle do mecanismo de abertura e fechamento estomático, o que proporciona maior tolerância à falta de água nos períodos de baixa umidade do solo.

O Si absorvido é depositado na epiderme das plantas, promovendo o endurecimento desse tecido, o que representa uma barreira mecânica para os insetos, dificultando sua penetração na planta. A rigidez e o espessamento da parede celular são provocados pela deposição de sílica na epiderme, atuando como fatores de resistência mecânica ao ataque de pragas.

Experimento

Em experimento notou-se que a secção paradérmica de uma folha do milho (abaxial e adaxial), cultura da mesma família da cana-de-açúcar, tratada com silicato de cálcio e silício promoveu aumento significativo de:

-Densidade estomática,

-Espessura da epiderme das faces abaxial e adaxial;

-Espessura do mesofilo;

-Distância entre feixes vasculares;

-Diâmetro equatorial e polar das células buliformes;

-Espessura das fibras e esclerênquimas.

Os silicatos são as principais fontes de Si para os solos e para as plantas - Crédito Luize Hess
Os silicatos são as principais fontes de Si para os solos e para as plantas – Crédito Luize Hess

O efeito benéfico da adição de silicato de cálcio pode ser verificado nas folhas de milho, onde se observa aumento da atividade bioquímica. O aumento da fotossíntese líquida pode estar relacionado ao aumento da concentração de silício nas folhas, devido à elevação das trocas gasosas nesta cultura.

Portanto, na cana-de-açúcar, o acúmulo de Si nas folhas provoca a formação de uma dupla camada de sílica cuticular, a qual, pelo aumento da espessura, promove redução na taxa de transpiração, diminuindo a abertura dos estômatos e limitando a perda de água das plantas.

Essa matéria completa você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Inicio Revistas Grãos Silício combate a broca-da-cana