23.1 C
São Paulo
quinta-feira, janeiro 20, 2022
- Publicidade -
- Publicidade -
Inicio Revistas Hortifrúti Silício contra a traça-do-tomateiro

Silício contra a traça-do-tomateiro

Rafael Rosa RochaEngenheiro agrônomo e mestrando em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola – Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)rafaelrochaagro@outlook.com

Traça-do-tomateiro – Crédito: José Salazar Zanuncio Junior

O silício funciona como um produto complementar no controle fitossanitário no tomateiro.As doses de silício pulverizado via foliar promovem o aumento do tamanho do fruto e reduzem o ataque da traça-do-tomateiro, uma das principais pragas da cultura. Sendo fundamental acompanhamento do monitoramento da área e o uso de silício.

Ação da praga

Tuta absoluta é considerada uma praga de destaque, conhecida vulgarmente como traça-do-tomateiro. Esta é a única praga do tomateiro que pode ocasionar três danos às plantas. Normalmente os adultos fazem suas posturas nas folhas, sendo 71% dos ovos alocados nas folhas do terço superior, 23,2% nas do terço médio e 5,8% no terço inferior.

Após a eclosão, as lagartas penetram no tecido vegetal das folhas mais tenros e passam a destruir o parênquima foliar, provocando a chamada mina. Outro dano pode ocorrer quando as plantas estão no estágio inicial de crescimento e as lagartas perfuram as brotações apicais, impedindo o crescimento da planta.

Além desses danos, os frutos podem ser alvo de ataques dessa praga, quando as lagartinhas penetram no pericarpo do fruto e fazem galerias na polpa, depreciando o tomate para a comercialização. Outro fator de severidade dessa praga é que em campo as gerações da traça são superpostas, podendo ocorrer em uma lavoura infestada todos os estágios da praga ao mesmo tempo.

Formas de controle

Em relação às condições climáticas, a ocorrência dessa praga está diretamente relacionada às condições de altas temperaturas e umidade, e em relação a cultura em si, quando mal manejada, com adubação desequilibrada e plantios próximos a áreas com restos culturas de tomateiro, também ocasionam a traça.

As formas de controle dessa praga podem ser química, biológica e cultural, sendo o controle químico o mais utilizado pelos agricultores. Recomenda-se utilizar os produtos registrados para o controle da praga – consultar um agrônomo e/ou técnico para isso.

A aplicação de inseticidas não é capaz de eliminar todos os insetos presentes nas lavouras. Normalmente, os produtos mais eficientes controlam cerca de 95% da população. Estudos indicaram que o uso constante de um inseticida ou inseticidas de um mesmo grupo químico selecionam populações resistentes.

Já o controle biológico conta com uma série de inimigos naturais da traça-do-tomateiro, encontrada em sistemas de produção de tomate que utilizam conceitos de manejo integrado de pragas. Em geral, 12 espécies de parasitoides das famílias Bethylidae, Braconidae, Chalcididae, Eulophidae, Ichneumonidae, Mymaridae e Trichogrammatidae já foram registradas no Brasil.

Entre os predadores podemos citar vespas, formigas, o neuróptero Chrysoperla externa, aranhas e percevejos das famílias Reduviidae, Pentatomidae e Nabidae. Nas áreas em que os inseticidas são usados indiscriminadamente, a ação dos insetos benéficos não tem impacto sobre a população da traça-do-tomateiro.

E em relação ao controle cultural, as medidas mais eficientes de controle, como a destruição e incorporação dos restos culturais, visam interromper o ciclo biológico do inseto.

Como o silício pode ajudar

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.

Inicio Revistas Hortifrúti Silício contra a traça-do-tomateiro