Silício na proteção de doenças

0
68

Aldeir Ronaldo SilvaEngenheiro agrônomo e doutorando em Fisiologia e Bioquímica de Plantas – ESALQ/USPaldeironaldo@usp.br

João Pedro Ramos da SilvaEngenheiro agrônomo e mestrando em Fisiologia e Bioquímica de Plantas – ESALQ/USPjoaopedror@usp.br 

Apesar de o silício não ser considerado elemento essencial para as plantas, existem vários efeitos benéficos relatados em cebolas adubadas com este elemento.

O silício é considerado um elemento benéfico para a maioria das culturas agrícolas, sendo considerado o segundo elemento mais presente na crosta terrestre, sendo importante para redução dos danos ocasionados pelo estresse abiótico ou bióticos.

Promove benefícios para as culturas agrícolas suportar as mudanças ambientais, bem como manter elevados níveis de produtividade. Desta forma, o uso de silício na cultura da cebola pode aumentar a resistência da planta ao ataque de pragas e doenças, por meio do efeito da barreira e alteração da resposta química pelo aumento da biossíntese de substâncias inibitórias à infestação das doenças em destaque na cultura da cebola. 

Benefícios do silício

O uso de silício na cultura da cebola acarreta em benefícios diretos e indiretos. Em condição de infestação de doenças, seu uso confere benefícios diretos, como aumento da cutícula e espessura da parede celular, o que dificulta a penetração dos agentes causadores de doenças. 

Além disso, estudos sugerem que o silício promove o aumento do metabolismo secundário, elevando a concentração de composto de defesa da planta. Outro benefício é a redução ou manejo de rotação de produtos, como fungicidas, permitindo uma redução nos custos de produção e da possibilidade de quebra de resistência química dos produtos aos agentes causadores de doenças.

Além disso, algumas fontes de silício no mercado nacional permitem uma diminuição dos efeitos da acidez do solo, como por exemplo, o uso de fertilizantes silicatos de cálcio e magnésio, que são oriundos de escórias da indústria siderúrgica, causando elevação do pH, aumento da saturação por bases e precipitação do alumínio.  

Produtividade

Em condições adequadas de cultivo, o silício proporciona aumento da produtividade da cebola pelo efeito indireto na maior absorção de nutrientes, como potássio, cálcio e nitrogênio,, possibilitando à cebola expressar seu máximo potencial genético. Outro efeito indireto é que plantas tratadas com silício apresentam uma maior eficiência no uso da água. 

Manejo

Apesar de ser um elemento bastante presente na crosta terrestre, o silício está em uma forma não disponível para a planta. Dessa forma, o uso de fertilizante com silício se mostra importante para prevenção ou controle de doenças na cultura da cebola.

Desse modo, é importante um manejo eficiente do mesmo para atingir alta eficiência e melhores resultado na cultura da cebola. Nisto, é recomendável, inicialmente, a realização de análise do solo, para definir a dosagem mais adequada para o cultivo da cebola.

Também é recomendável o acompanhamento de um técnico para auxiliar o produtor quanto à fonte de silício mais adequada, tempo e forma de aplicação. Se possível, é sugerida a aplicação de maneira preventiva e, nesse caso, a aplicação deve ser realizadas durante o ciclo, com aplicação entre 40 e 60 dias antes do estabelecimento da cultura, quando aplicado via solo.

Em situação de aplicação via foliar, é recomendável aplicar durante a fase de crescimento vegetativo da cebola. Caso o nível de incidência da doença seja alto, é recomendável a aplicação do silício o mais rápido possível.

Opções

No mercado nacional, há uma grande diversidade de fonte de silício, como por exemplo, silicato de cálcio e magnésio na forma de pó. Além disso, o silício se apresenta na forma líquida como silicato de potássio ou o silício agregado ao bioestimulante. 

O uso de silício no cultivo de cebola promove o aumento da produtividade e qualidade das cebolas em função dos diversos benefícios ocasionados pela aplicação de silício, como melhoria na absorção de nutriente, aumento da atividade fotossintética e diminuição da transpiração.

Quando há incidência de doenças, o uso de silício confere uma alternativa viável economicamente e sustentável, pois as mudanças tanto morfológicas quanto bioquímicas levam a uma menor incidência de doenças durante o cultivo.

Dessa forma, as plantas de cebola assimilam mais CO2, convertendo em carboidratos e compostos de defesa da planta, que resultam em ganho ou manutenção da produtividade, mesmo em situação de incidência de doenças.

Erros e acertos

A carência de informação sobre a quantidade do nutriente silício presente no solo, doses superestimadas e época de aplicação são os principais erros na aplicação do silício. Afim de determinar qual dose deve ser utilizada, é imprescindível que seja realizada uma análise de solo, já que doses elevadas de silício tendem a diminuir a absorção de outros nutrientes, além de elevar os custos de produção.

Quando realizada a aplicação via foliar, fazer preferencialmente no início ou final do dia, com ausência de vento e de altas temperaturas, evitando deriva do produto e/ou sua evaporação. Além disso, a maior parte dos produtos que apresentam silício em sua composição apresentam também outros nutrientes, como potássio, cálcio e magnésio, que aplicados em altas quantidades podem causar desequilíbrio nutricional na cultura.

Investimento x retorno

Os valores dos produtos que possuem silício em sua composição são bem distintos no mercado, embora, de forma geral, não sejam elevados. Em contrapartida, os benefícios do uso de silício na lavoura fazem com que a cultura apresente desenvolvimento vigoroso, além da redução na incidência de pragas e doenças, gerando rendimentos superiores aos custos de implantação.