23.7 C
Uberlândia
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosSilício reduz mela em batata

Silício reduz mela em batata

O silício emerge como o herói silencioso na luta contra a mela em batatas, promovendo uma defesa natural e colheitas impecáveis.

Felipe de Oliveira Dias
Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal de Viçosa (UFV)
felipedeoliveiradias@gmail.com

A nutrição vegetal tem papel fundamental no bom crescimento e desenvolvimento da batateira. Todos os nutrientes considerados essenciais devem ser fornecidos adequadamente à cultura ao longo do ciclo, a fim de se obter alto rendimento na produção de batata.

Suscetibilidade a doenças

O balanço nutricional pode ser um desafio, uma vez que a deficiência e/ou excesso de nutrientes podem acarretar em perdas na produção. Plantas mal nutridas e/ou que sofrem fitotoxidez por determinados nutrientes podem ficar mais suscetíveis ao ataque de fitopatógenos como o oomiceto Phytophthora infestans, agente causal da mela da batateira.

Por exemplo, o excesso de nitrogênio (N), um macronutriente mineral, pode favorecer o desenvolvimento vegetal, com tecidos mais tenros e menor relação carbono/nitrogênio (relação C/N) na constituição da planta.

Este fator pode aumentar a suscetibilidade da batateira a mela. Adicionalmente, a deficiência de zinco, um micronutriente mineral, tem implicações no transporte de fotoassimilados das plantas, podendo haver o acúmulo de açúcares na superfície das folhas, promovendo umidade que favorece a geminação do patógeno e posterior penetração no processo de infecção.

Assim, de modo geral, podemos concluir que os estresses que a batateira sofre devido ao desbalanço nutricional podem aumentar a suscetibilidade das plantas aos fitopatógenos.

Ação do silício

O silício (Si) é um elemento químico muito abundante na natureza. Para o crescimento e desenvolvimento vegetal, ele não é considerado um elemento essencial que deve ser aplicado via fertilização ao longo do ciclo de cultivo.

No entanto, o Si é considerado um elemento benéfico ao cultivo agrícola, e pode ser utilizado com diversos fins. Este elemento vem sendo indicado como agente indutor de tolerância aos estresses bióticos e abióticos, promovendo melhor performance vegetal.

Isso se deve ao aumento da resistência a pragas e doenças, maior tolerância às intempéries climáticas, como seca, frio e calor, além de maior tolerância a metais pesados, sendo capaz de acelerar o metabolismo vegetal e aumentar também os níveis de clorofila.

Uma explicação para a resistência conferida por este elemento se deve ao acúmulo de silício nos tecidos vegetais. Tal acúmulo torna os tecidos mais rígidos e pode funcionar como um entrave mecânico à penetração e alimentação das diferentes pestes agrícolas.

A rigidez dos tecidos normalmente está associada ao maior acúmulo de hemicelulose e lignina. Além disso, plantas mais rígidas, com melhor sustentação, são mais aeradas, reduzindo a formação de microclimas úmidos.

Como a umidade é fundamental para a germinação de P. infestans, esse pode ser um fator que auxilia no controle da mela em batateira. Os fitopatógenos ainda podem ser inibidos devido à ação de metabólitos secundários nas plantas, como fenóis e outros.

O Si pode, ainda, induzir a expressão de genes que são responsáveis pela síntese desses compostos, que por sua vez agem na defesa vegetal contra esses microrganismos.

Estudos

Pesquisas objetivando conhecer as implicações do uso das diferentes fontes de Si em cultivos de batata vêm sendo realizadas. A literatura relata alguns estudos em que o Si foi capaz de induzir a produção de tanino nas plantas.

Trata-se de um metabólito secundário que pode reduzir a palatabilidade dos órgãos vegetais à hebivoria de insetos-praga, por exemplo, vaquinhas e minadores. O Si ainda pode promover o acúmulo de matéria seca nas plantas devido ao melhor crescimento e desenvolvimento vegetal.

Com maior produção de biomassa, espera-se também uma maior produção de batata, uma vez que se aumenta a área fotossinteticamente ativa que pode aumentar a produção de fotoassimilados.

No caso de insetos sugadores, como os pulgões, pesquisas demonstraram que o uso de Si reduziu a colonização e reprodução desses afídeos em cultivos de batata. De modo indireto, reduziu-se também a transmissão de viroses entre plantas (Potato Leafroll Vírus – PLRV e Potato Virus – PVY), uma vez que os pulgões são transmissores e tiveram sua população reduzida como efeito direto da aplicação de silício.

Uma possível explicação para esse resultado se deveu ao aumento da lignificação da parede celular da batateira, aumentando a rigidez dos tecidos da planta e, por consequência, dificultando a alimentação dos insetos.

Versatilidade

Um outro benefício do uso do silício no manejo de pragas e doenças nos cultivos de batata é que seu uso não está associado às questões indesejadas, como a contaminação do alimento, do ambiente e do trabalhador, quando se compara seu uso com o uso dos pesticidas agrícolas mal utilizados.

Além do mais, a adoção do silício em um programa de manejo integrado de pragas e doenças em lavouras de batata, bem planejado e executado, pode levar à redução no uso dos agroquímicos que também são usados no manejo, sendo, portanto, ferramentas complementares.

Mais pesquisas agrícolas devem ser realizadas a fim de se responder questões práticas dos bataticultores. Muitos são os desafios do campo e muitas soluções podem ser propostas. Mas, todas elas partem da experimentação, avaliando-se os efeitos de cada solução proposta para que seja, ou não, recomendada.

Para desafios atuais ou futuros, a pesquisa é a solução.

ARTIGOS RELACIONADOS

BASF – Soluções com oferta completa em proteção de cultivos e sementes

A BASF apresenta seu portfólio de soluções HF durante a 26ª Hortitec. A empresa realiza o lançamento do inseticida Verismo® para HF e reforça a importância do fungicida Cabrio® Top no manejo correto das lavouras. Pela primeira vez, a BASF participa do evento com a sua linha de sementes de frutas e hortaliças, sob a marca Nunhems®.

Vantagens do fertilizante de liberação lenta para a batata

Roberta Camargos de Oliveira Engenheira agrônoma, doutora e PhD em Agronomia - Universidade Federal de Sergipe (UFS) robertacamargoss@gmail.com Fernando Simoni Bacilieri Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando...

Técnicas que têm dado certo na cultura da batata

  Joaquim Gonçalves de Pádua Engenheiro agrônomo, doutor em Produção Vegetal e pesquisador da EPAMIG padua2008@gmail.com Thais Helena de Araújo Engenheira agrônoma Antes da prática da amontoa da batata, que...

A importância da adubação de cobertura da batata

Douglas José Marques Professor de Olericultura e Melhoramento Vegetal da Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS) douglas.marques@unifenas.br Hudson Carvalho Bianchini Professor de Fertilidade do Solo da UNIFENAS O solo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!