18.1 C
São Paulo
quinta-feira, agosto 11, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Silício tem atuação direta na produção de alface

Silício tem atuação direta na produção de alface

Rodrigo Vieira da Silva

Professor, doutor em Fitopatologia e diretor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Instituto Federal Goiano – campus Morrinhos

rodrigo.silva@ifgoiano.edu.br

Bruno Eduardo Cardozo de Miranda

Engenheiro agrônomo, doutor e bolsista do IF Goiano ” campus Morrinhos

José Humberto de Ávila Júnior

Engenheiro agrônomo e mestrando do IF Goiano ” campus Morrinhos

Luam Santos

Engenheiro agrônomo

 

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

A alface (Lactuca sativa) é a hortaliça folhosa mais popular e consumida no Brasil. É uma espécie que contém energia, proteína, baixo valor calórico, carboidratos, rica em vitaminas e fibra alimentar.

As vitaminas e minerais encontrados na alface incluem cálcio, ferro, magnésio, fósforo, potássio, sódio, zinco, juntamente com vitaminas como a tiamina, riboflavina, niacina, ácido fólico, vitaminas B-6, C, A, E, e K.

A alface do tipo americana, ou simplesmente crespa, é muito utilizada pela indústria de processamento mínimo por tolerar melhor o processamentona rede de “fastfood“ em sanduíches, devido a seu aspecto crocante, sabor e textura. Atualmente, vem sendo cada vez mais consumida também como componente principal em saladas.

Condições para seu desenvolvimento

Considerada uma planta de inverno, trata-se de uma cultura bastante influenciada pelas condições ambientais, sendo as temperaturas de 7ºC à noite e de 23ºC durante o dia ideais para o seu cultivo. Altas temperaturas podem causar queima das bordas e cabeças pouco compactas, enquanto baixas temperaturas causam desenvolvimento retardado das plantas.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Pós-colheita da alface

Por apresentar um período de vida pós-colheita curto, a alface geralmente é cultivada perto dos grandes centros consumidores, pois não suporta longos períodos de viagens. O cultivo de alface americana entre os meses de maio a agosto apresenta melhor conservação pós-colheita, por ser sua época ideal (inverno), proporcionando maior vida de prateleira.

O melhor estado nutricional das plantas e menor ocorrência de pragas e doenças durante o cultivo estão ligados diretamente ao período pós-colheita de cultivares de alface, uma das dificuldades pela necessidade de armazenamento.

Uma forma de aumentar o tempo pós-colheita está no manejo correto da nutrição mineral. O silício é um elemento pouco conhecido por se tratar de um micronutriente e não ser considerado essencial para as plantas. Ele é encontrado apenas em formas combinadas, como os minerais silicatados e a sílica.

Efeito da adição do silício à alface

Até pouco tempo, o silício (Si) era relegado ao segundo plano na agricultura, por não ser ainda considerado essencial à nutrição das plantas. No entanto, atualmente ele vem se destacando em diversas culturas de expressão econômica em várias partes do mundo, como fundamental em processos fisiológicos, bioquímicos e fitotécnicos, tornando-se, desta forma, um mineral benéfico, de salutar importância, evidenciando a potencialidade de sua utilização na agricultura atual.

O Si pode estimular o crescimento e a produção vegetal, deixando as folhas mais eretas, com diminuição do autossombreamento e do acamamento, conferindo maior rigidez estrutural dos tecidos, proteção contra estresses bióticos (herbivoria por insetos e ataque de fitopatógenos) e abióticos (seca).

Uma forma de aumentar o tempo pós-colheita está no manejo correto da nutrição mineral - Crédito Shutterstock
Uma forma de aumentar o tempo pós-colheita está no manejo correto da nutrição mineral – Crédito Shutterstock

Benefícios

Na cultura da alface o Si promove cabeças mais compactas e folhas externas com menor oxidação, mantendo a coloração verde e aumentando o período pós-colheita. A ação é indireta e tem sido associada ao aumento da eficiência na capacidade fotossintética, redução da transpiração, aumento da resistência mecânica das células, diminuição de acúmulo tóxico de manganês, ferro e alumínio e outros metais pesados, aumento na absorção do fósforo e na resistência a insetos e doenças.

Ainda, o silício confere às plantas benefícios por contribuir para a estruturação da parede celular, aumentando os conteúdos de lignina e hemicelulose, a rigidez da célula de folhas e raízes. Mesmo sem papel metabólico definido, o conjunto dos efeitos indiretos contribui para uma maior produtividade.

Importância do silício na pós-colheita da alface

A importância do Si na pós-colheita da alface americana está diretamente ligada à maior conservação dos tecidos celulares, em função da manutenção da coloração verde por um maior período e diminuição da queima dos bordos da folha.

O Si também proporciona uma melhor formação, com maior circunferência da cabeça da alface, provavelmente pelo incremento na maior taxa fotossintética, aumentando a interceptação de luz e tendo um produto final de melhor qualidade. Os reflexos são aumentoda pós-colheita da alface e, consequentemente, prolongação da vida útil na prateleira.

Essa matéria completa você encontra na edição de novembro 2015  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Hortifrúti Silício tem atuação direta na produção de alface