Spark passa a levantar dados sobre “minor crops”

0
94
Melão _ Créditos: Shutterstock

A Spark Inteligência Estratégica divulga o primeiro levantamento feito no País sobre a movimentação de agroquímicos nas culturas de melão e melancia. Segundo a consultoria, os produtores dessas frutas destinaram US$ 24 milhões ao tratamento de lavouras na safra 2018/19, sendo a metade do valor correspondente a inseticidas. A pesquisa, de acordo com a direção da Spark, abre uma série de estudos que a empresa realizará em torno das chamadas culturas de menor importância econômica, ou minor crops.

“Há poucos dados disponíveis em relação a esses cultivos que embutem boas oportunidades de negócios”, assinala André Dias, engenheiro agrônomo, sócio-diretor da consultoria. “Melão e melancia, por exemplo, requerem alta intensidade no manejo de pragas e doenças”, enfatiza ele.

Dias ressalta ainda que a análise acerca dessas duas culturas passa a fazer parte do estudo anual BIP – Business Inteligence Panel, exclusivo da Spark, hoje considerado o mais completo levantamento disponível no Brasil com ênfase nos mercados de defensivos agrícolas e sementes. 

Números e alvos biológicos – Conforme o levantamento da Spark, a área investigada com melão e melancia foi de 78 mil hectares no ciclo 2018/19. Os dados apontam que 62 mil hectares (79%) foram ocupados pela melancia e 16 mil hectares pelo melão. O gerente de relações com clientes da Spark, Cristiano Limberger, destaca que os inseticidas lideraram a adesão de produtores frente à necessidade de controle das pragas larva-minadora (Lyriomiza huidobrensis) e mosca-branca (Bemisia tabaci), além de diferentes espécies de lagartas.

Na segunda posição, os fungicidas atingiram US$ 11 milhões em vendas, 46% do total, ficando pouco abaixo dos inseticidas. Limberger acrescenta que o desempenho desses produtos foi puxado principalmente pelas doenças oídio (Erysiphe cichoracearum), correspondente a US$ 4 milhões, míldio (Pseudoperonospara cubensis), da ordem de US$ 3 milhões e antracnose (Colletorichum orbiculare), cerca de US$ 2 milhões.

Os herbicidas, adjuvantes e outros produtos corresponderam aos 4% restantes da movimentação total de US$ 25 milhões, de acordo com o BIP Spark Melão-Melancia. 

Sobre a Spark Inteligência Estratégica

A credibilidade e os diferenciais competitivos conquistados pela Spark Inteligência Estratégica resultam de um intenso trabalho em nível de campo, realizado nas últimas cinco safras, envolvendo milhares de produtores-chave dos principais cultivos do País. A Spark reúne hoje um amplo e diversificado acervo de informações quantitativas e qualitativas sobre os mercados de defensivos agrícolas e sementes. Em seis anos de atividades, a Spark concluiu mais de 160 estudos especiais e 300 cotas de estudos painel. Nesse período, os profissionais da empresa aplicaram mais de 130 mil entrevistas e percorreram em torno de 4,5 milhões de quilômetros no território nacional.

Mais informações: http://spark-ie.com.br/