Sua propriedade merece certificação florestal

0
30

Maria Carla dos Santos Nogueira
Mestre em Ciências das Religiões, com ênfase em Marketing, Religião e Sociedade e tutora presencial – Unopar, polo Balsas
profmcarla@outlook.com
Antonio Santana Batista de Oliveira Filho
Mestre em Agronomia e tutor presencial – Unopar, polo Balsas
a15santanafilho@gmail.com
Jefferson Carvalho Barros
Doutorando em Educação, professor e coordenador do curso de Agronegócio e da pós-graduação em Logística e Supply Chain – Unibalsas
coord.agronegocio@unibalsas.edu.br

A exploração dos recursos florestais tem cada vez ganhado mais destaque, haja vista que são primordiais para diversos benéficos socioeconômicos. No entanto, a exploração desse recurso tem gerado grandes danos ambientais. Para tanto, se faz necessário alternativas que busquem assegurar a qualidade no processo de produção de recursos florestais para que assim sejam reduzidos os danos destes ao ambiente.

É lei?

A certificação florestal se configura como um processo voluntário, no qual uma organização busca o reconhecimento, por meio da garantia dada aos seus clientes e à sociedade com a certificação, de que seu produto tem origem em florestas adequadamente manejadas, quanto aos aspectos ambiental, social e econômico (Silva, 2005).
Ainda de acordo com Silva (2005), a certificação é um instrumento que atesta determinadas características de um produto ou de um processo produtivo, e consiste num selo ou rótulo que visa atestar que determinada empresa ou comunidade obtém seus produtos manejando sua área florestal segundo determinados princípios e critérios.
Para Spathelf; Mattos; Botosso (2004), a certificação da produção florestal, por si, é um instrumento promissor e pode representar um papel catalisador no processo de estabelecimento de um manejo sustentável dos recursos florestais, e assim reduzir as altas taxas de desmatamento.
Paiva et al. (2014), ao realizarem um estudo de caso sobre certificação florestal, identificaram que o processo agregou valor para a gestão operacional da empresa estudada. Os desvios normativos apontados em auditorias foram identificados e direcionaram ações para a melhoria do processo operacional, garantindo a sustentabilidade das operações nos pilares econômico, social e ambiental.
Para Moura (2016), a certificação florestal, embora não seja a única ferramenta para se identificar o manejo florestal sustentável, pode ser a forma mais simples de se avaliar o progresso de um país em direção a uma melhor gestão dos recursos florestais, uma vez que é relativamente simples registrá-la.
As áreas certificadas são regularmente monitoradas e podem ser verificadas de forma independente, de acordo com padrões reconhecidos. Braga; Scalco; Pigatto (2018), ao avaliarem a certificação florestal: acesso a mercado ou mercado de acesso, puderam inferir que as certificações florestais são mais utilizadas para florestas plantadas onde são certificados tanto o manejo quanto a cadeia de custódia destas florestas.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.