Substâncias húmicas e aminoácidos

0
27

Fernanda Cabral P. Santaniel  Coordenadora Técnica de Produtos Compo Expert

Soja – Créditos: shurtterstock

Alta produtividade atrelada às intempéries climáticas movimentam o setor agrícola, mediante a busca constante por novas tecnologias que contribuem positivamente para a melhor eficiência da lavoura. Nesta direção, os fertilizantes organominerais apresentam resultados positivos e sequenciais em diversas culturas, com possibilidade de aplicação via solo e via foliar.

Novos produtos são lançados anualmente neste segmento, alavancados pelo crescimento impressionante deste mercado, subsidiado pela demanda por produtos sustentáveis, com menor impacto ao meio ambiente e, principalmente, que nutram e estimulam a planta de maneira equilibrada.

Destaca-se a utilização de substâncias húmicas, principal componente da matéria orgânica, com influência direta nas propriedades físicas, químicas e biológicas do solo.

Substâncias húmicas

As substâncias húmicas apresentam resultados constantes em diversas culturas ao estimular o enraizamento, desenvolvimento e metabolismo das plantas. Dentro deste grupo, temos a humina, os ácidos húmicos e os ácidos fúlvicos, classificados de acordo com a solubilidade e reatividade.

Devido ao tamanho da molécula ser menor, solúvel em água, em soluções de meio ácido e alcalino e possuir um maior conteúdo de grupos funcionais, os ácidos fúlvicos apresentam tendência a melhores resultados em campo por aplicação via fertirrigação e via foliar, com melhor facilidade de manejo e rápida resposta nas lavouras.

A utilização de produtos com aporte de substâncias húmicas, preferencialmente ricos em ácidos fúlvicos, potencializam alguns processos importantes na planta, como a fotossíntese, formação das proteínas, a mobilidade e absorção de íons.

Pesquisas

Estudos apontam que tais substâncias podem estimular o bombeamento de prótons, favorecendo a absorção de nutrientes e também podem estimular a síntese de auxina, relacionada à arquitetura de raiz, que é favorecida pela presença de ácidos húmicos e fúlvicos, ao aumentar em quantidade e tamanho o sistema radicular, com maior volume de solo explorado.

Aminoácidos

Em adição a esses benefícios, emprega-se a aplicação exógena de aminoácidos às plantas, que são considerados essenciais ao metabolismo destas e, por isso, são utilizados como mais uma ferramenta de suplementação sustentável e eficiente às lavouras.

Na natureza, existem duas formas em que os aminoácidos podem ser encontrados, a forma “L” (Levógiro) e a forma “D” (Dextrógiro), que são diferenciadas pelo ponto de vista biológico, o qual os L-aminoácidos estão biologicamente ativos e, por isso, as plantas conseguem absorver e assimilar apenas estes.

Os aminoácidos são ingredientes fundamentais no processo de síntese proteica – cerca de 20 aminoácidos estão envolvidos neste processo, os quais se diferem uns dos outros em suas cadeias laterais, ou grupos radicais, que variam em estrutura, tamanho, carga elétrica e função, e que influenciam a solubilidade dos mesmos em água.

Muitos aminoácidos são sintetizados pelas plantas, porém, são menos comuns e sem função na síntese proteica (Nelson; Cox, 2005). 

Os mais utilizados na agricultura atualmente são: alanina, asparagina, aspartato, arginina, cisteína, fenilalanina, glicina, glutamato, glutamina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, prolina, serina, tirosina, treonina, triptofano e valina. Estes aminoácidos atuam em diversos processos fisiológicos e metabólicos, apresentando diversas funções nas plantas e há funções particulares em que aminoácidos específicos estão presentes.

Glutamato e prolina

Dentre os aminoácidos, destaca-se o glutamato (forma ionizada do ácido glutâmico), que pode ser considerado aminoácido-chave para as plantas, utilizado em várias rotas biossintéticas.

O glutamato atua na síntese da clorofila, auxilia na assimilação e no metabolismo do nitrogênio, é percursor hormonal e estimula a recuperação de estresses com efeito na capacidade antioxidante de plantas sob condições ambientais adversas. Este aminoácido também serve de base para a formação de diversos aminoácidos importantes, como a arginina, glutamina, aspartato e prolina.

A prolina apresenta papel importante no sistema de defesa da planta, com resultados expressivos sob déficit hídrico, pois funciona como osmoprotetor, com efeito positivo sobre a integridade de enzimas e membrana plasmática.

Basfoliar Black Evolution®

Na busca por melhores tecnologias, a Compo Expert apresenta e renova o conceito de ativação e estimulação das plantas, mediante a associação de ácidos fúlvicos em alta concentração, 27,5% ao aporte de aminoácidos essenciais à base de Ácido Glutâmico em seu mais novo lançamento, Basfoliar Black Evolution®.

Essa união potencializa ainda mais a eficiência em campo, com sistema radicular mais estruturado, plantas mais homogêneas, com maior área foliar e melhor arquitetura de plantas.

Em estudos conduzidos, foram observados resultados positivos quanto ao número de vagens por planta, ao peso de grãos e, consequentemente, melhores produtividades. Basfoliar Black Evolution® é versátil, confiável e eficiente, passível de aplicação ao longo do desenvolvimento das culturas.

Sua formulação exclusiva contempla os benefícios da utilização de substancias húmicas associadas a aminoácidos, essências que se complementam para estimular a planta em busca dos melhores resultados em campo.

Somado a todos os benefícios citados anteriormente, a Compo Expert traz ao mercado esta novidade – Basfoliar Black Evolution® veio para completar o portfólio. Desta forma, a Compo Expert sai mais uma vez à frente do mercado, com inovações e resultados em campo para atender o produtor com a qualidade e excelência que todos conhecem.