23.3 C
São Paulo
terça-feira, julho 5, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Substâncias húmicas no cultivo de cebola

Substâncias húmicas no cultivo de cebola

Nilva Terezinha Teixeira

Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro Universitário do Espírito Santo do Pinhal (UniPinhal)

nilvatteixeira@yahoo.com.br

 

Fotos Shutterstock
Fotos Shutterstock

Os ácidos húmicos e fúlvicos beneficiam as propriedades físicas, químicas e biológicas do solo e exercem efeito direto sobre o crescimento e metabolismo das plantas, especialmente sobre o desenvolvimento radicular. Mas, quais são os efeitos nas propriedades físicas, químicas e microbiológicas do solo e nas plantas?

Os ácidos húmicos interferem diretamente na qualidade física do solo, por promoverem uma aproximação das partículas e, consequentemente, sua união gerando, dessa forma, uma maior agregação dos solos.

O processo de agregação dos solos influi diretamente sobre outras características do solo como, por exemplo, a densidade, porosidade, aeração, capacidade de retenção e infiltração de água no solo.

As substancias húmicas têm alta capacidade de retenção de água, o que colabora para a manutenção de agregados estabilizados nos solos. Sua capacidade de reter água é 20 vezes maior que as dos solos sem matéria orgânica, o que justifica a maior capacidade das plantas sobreviverem melhor em solos com grande quantidade de substâncias húmicas durante o período de déficit hídrico.

Combinação de sucesso

Ao se combinarem com os minerais, as substâncias húmicas favorecem a liberação de nutrientes às plantas, como NH4+, NO3-, SO42-, resultantes de sua decomposição. Possuem os grupos ligantes carboxilatos e fenolatos, importantes para a estruturação dos solos e nutrição de plantas (coordenação com os íons Al3+, Fe3+ e de Cu2+). Um dos aspectos relevantes dos ácidos húmicos é a sua capacidade de complexação com metais e agroquímicos.

Além disso, os referidos compostos têm efeito sobre a microbiologia do solo. Por exemplo, emestudos com cebola, os resultados mostram que o emprego de tais produtosmelhora a esporulação, a produção de micélio externo e a colonização micorrízica.

Há informações de que, na referida cultura, a associação de micorrizas e o uso de ácidos húmicos e fúlvicospromove melhorias na eficiência de fertilizantes e na produção.

Em relação às plantas, pode-se destacar o efeito das substâncias húmicas sobre o metabolismo, tendocomo resultado a influência positiva sobre o transporte de íons, facilitando a absorção de nutrientes, a respiração e velocidade das reações enzimáticas do ciclo de Krebs.

O resultado é a maior produção de energia metabólica, aumentodo conteúdo de clorofila, atuação na síntese proteica, maior velocidade e taxa de germinação de semente. Também atuam no metabolismo secundário de plantas, agindo na biossíntese de compostos fenólicos e ativando hormônios como citocininas, giberelinas,poliaminas, ácido abscísico e etileno.

Mais benefícios

A introdução dos ácidos húmicos e fúlvicos nos cultivos promoveo aumento da atividade metabólica do vegetala aceleração dos processos enzimáticos e da divisão celular, o crescimento mais rápido da raiz e aumento de matéria seca. Ainda,favorece a assimilação de nutrientes, resultando em maior desenvolvimento radicular, aéreo e melhor produtividade.

Outro aspecto interessante: nasplantas os ácidos húmicos e fúlvicos diminuem os prejuízos causadospelo estresse hídrico e de salinidade por meio daindução da atividade de enzimas ligadasà proteção contra o estresse oxidativo.

A promoção do crescimento e desenvolvimento de plantas tem sido atribuída ao efeito similar às auxinas, interagindo com receptores na superfície celular na membrana plasmática e promovendo aumento da plasticidade da parede celular.

O crescimento de plantas pode, também, ser atribuídoà presença de poliaminas, que atuam estimulando o crescimento da raiz principal de forma independente à ação das auxinas.

Os ácidos húmicos aumenta o crescimento vegetativo e a produção de bulbos - Fotos Shutterstock
Os ácidos húmicos aumenta o crescimento vegetativo e a produção de bulbos – Fotos Shutterstock

Para a cebola

Informações de literatura indicam que o emprego de ácidos húmicos e fúlvicosem cebola favorece o rendimento da cultura. O emprego no sulco de plantio de 02 kg ha-1 de formulado comercial aumenta o rendimento das cebolas e a disponibilidade de nutrientes para as plantas.

Também, o emprego de tais substâncias via pulverização tem beneficiado a produção da espécie em questão: o uso de produto comercial a 18,5% aplicadoaos 60 e 80 dias após o transplante das mudas aumentou seu crescimento vegetativo, a produção de bulbos e a qualidade da colheita.

Em estudos em casa de vegetação os efeitos daimersão de mudas de cebola (25 dias após a semeadura)foram avaliados emrecipientes com soluções de produto comercial contendo 10%deácidos húmicos e10% de ácidos fúlvicos.

Na avaliação, realizada aos 50 dias após a semeadura,observou-se quea massa fresca e seca da parte aérea e de raízes foi beneficiada pelo uso do produto testado. Os melhores efeitos ocorreram na dose de 25 mL L-1 das substâncias húmicas na solução de imersão de mudas de cebola.

As recomendações de uso dependem do produto de escolha do agricultor. Existem referências paraaplicação:

– Por fertirrigação: no plantio, de 03 a 06 L ha-1;

– Por fertirrigação:05 L ha-1 ou 500g 100 ha-1 semanalmente até 20 dias antes da colheita;

– Via pulverização:04 aplicações espaçadas a cada sete dias, iniciando no transplante de mudas(dose de 05 L ha-1);

Essa matéria você encontra na edição de junho da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar.

Ou assine

Inicio Revistas Hortifrúti Substâncias húmicas no cultivo de cebola