Inicio Revistas Grãos Sulfure – Enxofre é importante nutriente para a soja e demais plantas

Sulfure – Enxofre é importante nutriente para a soja e demais plantas

0
562
 Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Sulfure é um fertilizante fluido, totalmente solúvel e homogêneo desenvolvido pelo Departamento de Pesquisa da Fertilizantes Omega, Divisão PRO+, para aplicação por pulverização via aérea, tratorizada ou costal, constituindo uma fonte rica de enxofre e de potássio em meio complexante, solúvel em água e de imediata absorção pelas plantas.

Garantia solúvel em água:

P/V – gr/litro 45,3% de S (enxofre) e 34,7% K (potássio)

P/P – 30% de S e 23% de K (gr/kg)

Densidade: D = 1,51g/mL

Aplicações

O produto pode ser usado em caldas com pH ate 4,5. Opções de tamanho da embalagem: 5, 20, 200 e 1.000 litros.

Indicações de uso:

  • Indicado como corretivo de deficiências de enxofre no solo.
  • Pode ser usado em aplicações foliares, favorecendo o enchimento de grãos e de frutos.
  • Recomendado para tratamentos de inverno em frutíferas perenes.
  • Essencial para incrementar o aproveitamento do nitrogênio, aumentando a fotossíntese, vigor e sanidade foliar.
Crédito Miriam Lins
Crédito Miriam Lins

Benefícios:

  • O enxofre atua na síntese das aminas e aminoácidos sulfurados como cistina, cisteína e metionina e na produção das proteínas, resultando em economia de energia no sistema metabólico, que favorece o aumento de produtividade.
  • O enxofre favorece a produção de óleo nas plantas leguminosas (soja) e oleaginosas (canola), promovendo melhor desenvolvimento vegetativo e frutificação.
  • Proporciona maior produção de proteínas, enzimas e vitaminas.
  • Participa das reações de oxirredução da fotossíntese.
  • Atua na respiração das plantas.
  • O enxofre polimerizado é absorvido pela planta de forma mais rápida do que produtos de suspensões concentradas elaborados a partir de enxofre elementar insolúvel, mesmo que micronizados, em que o enxofre deve primeiro sofrer oxidação ambiental antes de poder ser absorvido pela planta.
  • A formulação líquida torna a operação agrícola mais fácil de medir, aplicar e misturar o produto no tanque de pulverização, sem os tradicionais problemas de solubilidade e entupimento de bicos.
  • O elemento químico enxofre, além de nutriente, possui, por sua natureza, efeitos secundários, como repelente e desalojante de insetos, e cria um ambiente adverso para infestações de fim de ciclo.

Fatores que diminuem a disponibilidade de enxofre no solo:

ð Solos arenosos e com baixo teor de matéria orgânica;

ðErosão;

ðLixiviação;

ðQueimadas;

ðExportação pelas colheitas intensivas.

Sintomas da deficiência de enxofre

ØA deficiência de enxofre é detectada pelo amarelamento generalizado de folhas novas, causado pelo acúmulo de nitrogênio não proteico.

ØClorose intercostal das folhas jovens;

ØEnfezamento ou nanismo, redução do crescimento;

Ø Acúmulo de antocianinas;

ØAs plantas deficientes geralmente apresentam o caule lenhoso, duro e de pequeno diâmetro.

O sulfure favorece o enchimento de grãos - Crédito Shutterstock
O sulfure favorece o enchimento de grãos – Crédito Shutterstock

Recomendações de uso

àSoja, feijão, lentilha, ervilha: 1,0 L/ha no 4º trifólio e 1,0 lt/ha entre R3 a R5 para enchimento de grão. Em caso de ataque severo de lagarta ou percevejo, usar 0,5 L/ha.Para deficiência de enxofre no solo de moderada a grave, repetir a intervalos de 10 a 14 dias. Taxa de água: mínima de 70 l / ha.

àMilho: 5 L/ha no estádio de quatro a oito folhas, junto com a ureia ou no ataque da lagarta.Repetir 10 a 14 dias mais tarde, se necessário no enchimento do grão.Taxa de água: mínimo de 100 L/ha.

àArroz: 5 L/ha em pseudotronco ao primeiro nó detectável. Para moderada a grave deficiência, repita aplicações em intervalos de 10-14 dias. Taxa de água: 100 l / ha.

àTrigo eaveia: 1,5 L/ha no emborrachamento e 1,5 L/ha pós-floração. Taxa de água: 100 L/ha.

àPastagens: 10 L/ha quatro semanas antes de cada pastoreio ou corte para silagem. Taxa de água: 100 L/ha.

Essa matéria completa você encontra na edição de janeiro 2016 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

SEM COMENTÁRIO