20.6 C
Uberlândia
sábado, abril 20, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasTecnologia no campo: como identificar e prevenir doenças em plantações de soja

Tecnologia no campo: como identificar e prevenir doenças em plantações de soja

A tecnologia pode ser uma ótima aliada na hora de identificar e prevenir doenças.

Creditos: Shutterstock

Para quem cultiva soja, é comum enfrentar problemas como ferrugem asiática e o nematoide de cisto. Essas são duas das doenças mais comuns que aparecem nas lavouras e podem afetar a produção, gerando grandes prejuízos. De acordo com Marilize Oliveira, analista de pesquisa na TMG - Tropical Melhoramento & Genética – empresa brasileira de soluções genéticas de algodão, soja e milho -, há meios de identificar e prevenir essas doenças para evitar perdas.

A ferrugem asiática é provocada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi e é considerada um dos principais problemas enfrentados pelos produtores. “Os sintomas começam com o surgimento de pequenas lesões angulares formando urédias (estrutura de reprodução do patógeno) na parte abaixo da folha. Com o progresso da doença, as lesões ficam com coloração castanho-claro (lesão TAN) ou castanho-avermelhado (lesão RB – “reddish-brown”). O formato dessas lesões é delimitado pelas nervuras das folhas e podem ocorrer em qualquer estádio fenológico da cultura, sendo mais comum após o florescimento. A ferrugem asiática provoca amarelecimento foliar e a planta pode perder as folhas precocemente, o que reduz o número de vagens por planta e de grãos por vagem, além de que o grão gerado tem peso menor”, explica Marilize.

O nematoide de cisto da soja (NCS), Heterodera glycines, é um dos nematoides que vêm causando grandes prejuízos à cultura. “As perdas podem ficar entre 5% e 30% em locais com baixas infestações e chegar a 70% naqueles com maior incidência”, comenta. Mais prevalente no estado de Mato Grosso, principalmente em locais com solos arenosos ou médio-arenosos, o nematoide de cisto da soja é caracterizado por uma ligeira redução no porte da planta, mesmo em regiões com boa distribuição de chuvas e em solos de fertilidade naturalmente mais alta. “Em lavouras onde há uma grande área afetada, é comum ocorrer a morte prematura de plantas”, diz a especialista.

Para prevenir as duas doenças, Marilize recomenda investir em cultivares resistentes desenvolvidas com tecnologias de melhoramento genético específico para cada doença, considerando as condições de solo e clima de cada região. “O melhoramento genético tem um papel importante auxiliando o produtor a evitar perdas de produtividade”, complementa a analista.

ARTIGOS RELACIONADOS

Trigo nacional: pesquisa valida alta qualidade tecnológica

A região de Cerrado é caracterizada por não ter chuva na época de colheita e os grãos apresentam textura dura, gerando um bom rendimento em farinha

A tecnologia no combate ao desperdício de alimento

Tecnologia moderna combatendo o desperdício alimentar."

Soluções para manejo seguro de plantas daninhas na cultura da soja

É preciso atenção especial para o controle das plantas daninhas. Com a intensificação de cultivo e transporte de maquinário acabam aumentando a disseminação de sementes e afetando diretamente o manejo do agricultor.

Tecnologia inovadora em fertilizante multinutrientes eleva colheita do trigo

Com a expectativa de chegar a 8 milhões de toneladas neste ano, a colheita de trigo enfrentou ..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!