Tomate grape: Alta tecnologia leva vantagens à produção

0
92

Autor

Laércio Boratto de Paula
Engenheiro agrônomo, doutor em Fitotecnia e professor do IF Sudeste MG, campus Barbacena laercio.boratto@ifsudestemg.edu.br
Crédito: Agristar

O ‘tomate grape’ se destaca pelo sabor adocicado, coloração intensa, formato e tamanho semelhantes à uva. Somado à possibilidade destes tomates serem comercializados em cachos, eles caíram no gosto do consumidor.

A crescente demanda por esse tipo de produto gourmet, associada aos preços de venda altamente atrativos, tem motivado o desenvolvimento de inúmeras tecnologias que auxiliam o produtor desde a semente até a embalagem desses tomates.

Tecnologias a favor da tomaticultura

Concisamente, o uso de tecnologias (desde que bem utilizadas) eleva a produção, via aumento da produtividade ou, em outras palavras, pela maior eficiência produtiva alcançada.

A dimensão que podemos dar à alta tecnologia abrange vários aspectos: cultivo em ambiente protegido, manejo nutricional e fitotécnico diferenciado, uso de práticas modernas de monitoramento, como o uso de sensores, drones aéreos, ‘big data’ (obtenção de grande volume de dados), aplicativos, sistemas integrados de produção, uso de fertirrigação, substratos inertes, rastreabilidade, melhoramento genético e outros.

Com relação à produção do tomate grape, estas tecnologias podem, de maneira resumida, proteger o cultivo das intempéries climáticas e da ação de agentes bióticos; nutrir as plantas de forma mais equilibrada, permitindo que elas tenham plena condição de expressar seu potencial produtivo; realizar práticas que permitam a exploração mais racional e duradoura da cultura; fazer a medição mais precisa de variáveis que interferem grandemente na produção, como temperatura e umidade do solo; detectar precocemente focos de pragas, doenças, estresses hídricos e nutricionais, favorecendo uma resposta mais rápida e efetiva; obtenção de informações mais rápidas e abrangentes sobre a produção, o que permite um planejamento e correções eventuais mais precisas; a aplicação de técnicas de controle de pragas, doenças e plantas espontâneas mais eficientes e sustentáveis; o uso mais racional da água; a menor probabilidade de contaminação por patógenos do solo; a possibilidade de, facilmente, acessar dados sobre a cadeia produtiva da hortaliça e a obtenção de cultivares e híbridos mais produtivos e adaptados às diferentes condições.

Benefícios

Em linhas gerais, a adoção de tecnologias irá permitir, além do óbvio aumento na produção/produtividade, a obtenção de um produto de maior qualidade, pela nutrição mais equilibrada da planta e também, a princípio, pela racionalização na utilização de agroquímicos, evitando o seu uso abusivo e desnecessário.

Ademais, visto a crescente demanda de alimentos pelo aumento populacional, será por meio da maior eficiência produtiva, obtida principalmente pelo uso de novas e apropriadas tecnologias, que se permitirá a disponibilidade regular e crescente de alimentos, garantindo assim a segurança alimentar global.

Também é por meio da tecnologia que a sustentabilidade será assegurada, visto que novas formas de produção têm se atentado para o uso mais racional de nossas fontes e meios de produção, condições absolutamente necessárias para a sobrevivência futura.

Como implantar a técnica

Na verdade, são várias as possíveis técnicas a serem adotadas, cada uma delas com suas especificidades. No tocante ao tomate “grape”, algumas tecnologias são quase unânimes de serem utilizadas, como é o caso do ambiente protegido. É inviável produzir este tipo de tomate no sistema a campo aberto.

Existem vários tipos de ambiente protegido, com diversos modelos disponíveis de estufas e casas de vegetação, que serão ajustáveis a cada tipo de situação, região e capacidade de investimento.

Uma vez implantado o ambiente protegido, a condução do tomate poderá ser feita no solo, em ‘slabs’ (tipos de sacos) ou em vasos, estes dois preenchidos com substrato próprio. Na região de Barbacena (MG), a opção pelos slabs tem predominado. A nível mundial, o uso de vasos é majoritário.

Com relação ao manejo, dependerá do tipo de crescimento do híbrido ou cultivar usado. Normalmente, será necessário o tutoramento, que poderá ser feito de diversas formas, e eventualmente podas, que irão garantir uma produção sustentável a médio/longo prazo. Também, o espaçamento adotado irá depender do tipo de crescimento da planta. Assim, estes aspectos irão variar de acordo com a avaliação do profissional responsável.

Nutrição

Outro detalhe de suma importância é o manejo nutricional. Existe atualmente no mercado uma ampla gama de fertilizantes, reguladores de crescimento e aditivos. É sabido que solanáceas, como é o caso do tomate, têm elevado nível de exigência em nutrientes.

A montagem de um plano nutricional que atenda estas exigências é um dos fatores mais limitantes para o sucesso deste cultivo. Não devemos adubar nem a mais nem de menos, mas sim de acordo com a exigência da cultura, de forma precisa e racional, aliando a época certa, a dose correta, a fonte adequada e na forma melhor aproveitável pela planta. Nesta ótica, a prática da fertirrigação localizada tem sido adotada pela maioria dos produtores.

Controle fitossanitário

Como em toda espécie da família, o tomate grape está sujeito a diversas doenças e pragas. O monitoramento constante e as intervenções precisas e, se possível, antecipadas, irão minimizar os danos decorrentes destes agentes. Neste sentido, o uso de ambientes que forneçam proteção física (como é o caso do cultivo protegido), o uso de instrumentos automatizados, a adoção das premissas do manejo integrado, de agentes de controle biológico e outros, favorece o controle mais efetivo, duradouro e sustentável do ambiente de produção.

É praticamente impossível detalhar todas as técnicas passíveis de serem utilizadas na produção do tomate grape. Porém, deve-se enfatizar que cada situação tem suas especificidades. O conhecimento técnico, aliado ao bom senso e à capacidade de investimento de cada um serão fundamentais para a escolha do pacote tecnológico mais adequado.

Produtividade

O uso de tecnologias mais modernas tem proporcionado um aumento em produtividade de até 300%. Porém, este aumento irá variar muito de acordo a tipo de pacote tecnológico adotado.

Em linhas gerais, a produtividade esperada, por planta de tomate grape, é de 8 a 10 kg. Em outros países, e mesmo em alguns cultivos no Brasil, esta produtividade tem excedido esse índice, podendo chegar a 20 kg de frutos por planta, o que é extraordinário. Para isso, há um somatório de fatores, entre eles as tecnologias adotadas no processo produtivo.      

Em campo

A realidade, hoje, na produção de tomate grape, é o uso do ambiente protegido, A escolha deste sistema possibilita a exploração da cultura de uma forma mais duradoura, racional e vantajosa, em termos de produção, embora os resultados sejam muito variáveis de acordo com o modelo tecnológico adotado.

Na região de Barbacena (MG), os resultados na exploração do tomate grape, em ambiente protegido e usando o chamado sistema semi-hidropônico (slabs) têm sido satisfatórios para os produtores, se nos atermos apenas à produtividade.

Obviamente, os preços obtidos no mercado por vezes têm sido insatisfatórios, mas o modelo de produção, em si, tem se mostrado altamente produtivo. Em termos de Brasil, o cultivo do tomate grape tem aumentado, o que leva a crer que esta tem sido uma opção interessante para o produtor.

Fique atento

O produtor deve se cercar de profissionais qualificados, que entendam de fato do assunto. A informação e a experiência serão fundamentais para que os erros sejam minimizados. Cada situação tem suas peculiaridades, e as mesmas devem ser avaliadas e pesadas devidamente.

Estudos têm comprovado a viabilidade econômica no cultivo de tomate grape. Porém, a maior ou menor viabilidade dependerá da região, do período do ano, do pacote tecnológico adotado, entre outros fatores. Em função disto, é difícil precisar uma relação custo x benefício.         Para se ter uma ideia da complexidade disto, o custo de se implantar um cultivo protegido pode variar de R$ 25,00 a R$ 70,00/m2, o que irá impactar no retorno mais precoce ou demorado do capital investido.

Associado a isto, a implantação de diferentes tecnologias pode exigir um grau muito variado de investimentos. É fato, porém, que o valor de mercado do quilo de frutos do tomate grape é bem superior à maioria dos outros grupos de tomate, o que tem levado ao aumento contínuo de produtores que optam por este nicho de mercado.