27.9 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosHortifrútiTomateiro híbrido multitolerante BRS Nagai vai bem no cultivo orgânico

Tomateiro híbrido multitolerante BRS Nagai vai bem no cultivo orgânico

Leonardo Boiteux

Maria Esther de Noronha Fonseca

Ailton Reis

Mirtes Freitas Lima

Jadir Borges Pinheiro

Pesquisadores da Embrapa Hortaliças

Heros Danilo Mainardes Fonseca, produtor de Curiúva (PR) – Foto Arquivo pessoal

Os produtores de tomate orgânico no Brasil enfrentam um leque de desafios, tanto para cultivo em campo aberto quanto em cultivo protegido. De fato, a produção sustentável de tomate em condições de clima tropical e subtropical é dificultada pelo ataque de várias pragas e doenças. Além disso, a maioria das cultivares de tomateiro apresenta elevada demanda nutricional, resultando em custos de produção elevados.

Uma maneira eficiente e natural de enfrentar esses problemas é a disponibilização de variedades contendo um grande número de fatores de resistência/tolerância aos principais estresses ambientais que limitam a produção do tomateiro em sistemas orgânicos.

Neste contexto, a Embrapa Hortaliças vem desenvolvendo diversas cultivares híbridas, empregando genes naturais presentes no DNA do próprio tomateiro. Cruzamentos realizados entre linhagens possuindo diferentes fatores de resistência são feitos e as plantas resultantes (contendo todos os genes de resistência presentes nos parentais) são selecionadas em um processo denominado de “piramidização“ de genes naturais (ou seja, sem transgenia).

Para tal, o melhoramento genético do tomateiro da Embrapa Hortaliças tem empregado estratégias genéticas e moleculares de última geração no sentido de acelerar o processo de desenvolvimento desses produtos tecnológicos.

O tomateiro BRS Nagai se enquadra nessa linha de pesquisa e os resultados obtidos com o cultivo desse híbrido por produtores em sistema orgânico em diversas regiões do Brasil têm confirmado que essas variedades melhoradas, a exemplo do BRS Nagai, desempenham importante papel no setor agrícola em garantir a sustentabilidade do cultivo do tomateiro orgânico nas condições brasileiras.

Tomate BRS Nagai em manejo orgânico certificado – FotoEmater de Uraí (PR)

Adaptação ao cultivo orgânico

 

O BRS Nagai é um híbrido de tomateiro com frutos alongados do tipo Santa Cruz ” saladete desenvolvido pelo Programa de Melhoramento Genético da Embrapa Hortaliças em parceria com a iniciativa privada (empresa AgrocincoVegetableSeeds/DuxCompany).

O híbrido BRS Nagai tem sido plantado em todas as regiões produtoras de tomate orgânico, em diversas épocas de semeadura, tanto em campo aberto quanto em condições protegidas.

A adaptação às condições de cultivo orgânico do híbrido BRS Nagai se deve às características genéticas inseridas nessa cultivar via melhoramento genético. O BRS Nagai possui em seu genoma genes que conferem resistência/tolerância a pelo menos 40 patógenos e variantes de patógenos que atacam severamente os campos de produção de tomate e causam prejuízos econômicos de grandes proporções aos produtores rurais no Brasil.

De acordo com o nosso conhecimento, esse é um dos híbridos de tomateiro com o maior conjunto de fatores de tolerância a estresses, disponível no mercado mundial.

 

Múltiplas resistências a viroses

 

José Marcolino dos Santos, tomaticultor de Nova Fátima (PR) – FotoEmater de Uraí (PR)

As viroses são as doenças mais problemáticas para o manejo. Estratégias de controle curativas para essas doenças não estão disponíveis e, nesse caso, resta aos produtores apenas o controle via plantio de híbridos com resistência genética.

Neste aspecto, o BRS Nagai apresenta características superiores, tendo apresentado resistência elevada a 11 diferentes espécies de geminivírus (begomovírus) que infectam o tomateiro no Brasil. BRS Nagai apresenta, ainda, o gene Tm-22 que confere resistência aos três patótipos do tobamovírus causadores do mosaico do tomateiro ” Tomatomosaicvirus (ToMV).

O BRS Nagai também possui o gene Sw-5b, que confere resistência a quatro espécies do complexo de Orthotospovirus que causam a doença “vira-cabeça“.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de outubro de 2018 da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

 

Ou assine

ARTIGOS RELACIONADOS

Floresta em Pé x Floresta Derrubada: como mostrar o valor da Amazônia Sustentável?

Descubra como a Teoria da Mudança pode ajudar a mostrar a viabilidade econômica da conservação da floresta e como organizações já utilizam essa ferramenta para alcançar objetivos sustentáveis na região

Alternativas mais que eficientes para uma agricultura mais próspera

Fabiano Pacentchuk Engenheiro agrônomo, mestre em produção Vegetal e doutorando em Agronomia - Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) fabianopacentchuk@gmail.com Criz Renê Zanovello Engenheiro mecânico e mestre em Produção...

Uso de organominerais é tendência no cultivo de hortaliças

Os fertilizantes organominerais são importantes na construção ou manutenção da fertilidade do solo pois, além de fornecerem nutrientes para as plantas, melhoram as condições físicas e biológicas do perfil.

Belo Horizonte sedia um dos maiores eventos de café do mundo

Semana Internacional do Café (SIC) – em novembro - chega à sétima edição com promoção de negócios ao café especial brasileiro e atividades de conexão entre...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!