23.6 C
Uberlândia
sábado, maio 25, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasTragédia no RS não deve afetar oferta de arroz e feijão em...

Tragédia no RS não deve afetar oferta de arroz e feijão em Goiás

Alta produção no estado reduz risco de desabastecimento

Créditos Brunno Falcão

Enquanto a maior parte do Brasil corre o risco de precisar importar arroz e feijão, para equilibrar a produção e conter o aumento dos preços em consequência da tragédia que atinge o Rio Grande do Sul, o abastecimento dos itens em Goiás, a princípio, não deve ser afetado.

Segundo o titular da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seapa), Pedro Leonardo, a Seapa tem seguido as previsões da Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz), que revelou não haver risco de desabastecimento até o momento.

“Esse menor risco em Goiás se dá porque a nossa produção de arroz e feijão tem sido alta nos últimos anos, com o governo trabalhando ativamente no apoio e no incentivo dessas culturas, o que fortalece a segurança alimentar no estado”, explica o secretário.

Embora o Rio Grande do Sul seja um grande produtor de arroz no Brasil, concentrando cerca de 70% de toda a produção nacional, Goiás tem se destacado neste cenário nos últimos anos.

“A última safra foi uma das maiores e, graças às tecnologias empregadas, o estado caminha para ser autossuficiente do produto em até cinco anos”, destaca. Neste contexto, o município de Flores de Goiás produziu, na última safra, mais de 60 mil toneladas do cereal, ocupando o primeiro lugar no ranking estadual, seguido de São Miguel do Araguaia e São João d’Aliança.

Quanto ao cenário estadual do feijão, o primeiro lugar no ranking de produção é ocupado pelo município de Cristalina. No caso particular do grão, Pedro Leonardo também afirmou que não há indícios de um possível desabastecimento. “Somos o quinto maior produtor de feijão, respondendo por quase 10% da produção nacional”, completa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Arroz preto ou vermelho? Atrativos chamam atenção

As cultivares de arroz de grão preto SCS 120 Ônix e de grão vermelho BRS 902 são as que contêm os maiores teores de compostos bioativos, sendo as mais eficientes em neutralizar radicais livres. Essa é a conclusão dos testes realizados pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em parceria com a Embrapa Arroz e Feijão (GO), com o objetivo de identificar a presença de compostos capazes de prevenir o envelhecimento das células do organismo humano.

Trichoderma: Qual o correto manejo de nematoides do morangueiro?

Autor Givago Coutinho Doutor em Fruticultura e professor efetivo do Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado) givago_agro@hotmail.com Ao longo do ciclo de produção do morangueiro,...

Aegro e outras Startups do agro discutiram sobre as novas tecnologias para o setor

Promovida pela Frísia Cooperativa Agroindustrial, a Digital Agro, maior feira de tecnologia digital da América Latina, realizada nos dias 21 e 22 de setembro,...

Valagro – Mais produção com menos recursos

Desde 2004 a Valagro participa da Hortitec. “Para nós, este é principal evento, pois a empresa possui seu DNA em HF e a Hortitec,...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!