27.7 C
São Paulo
quinta-feira, maio 19, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Tratamento de sementes alia inseticida e nematicida

Tratamento de sementes alia inseticida e nematicida

 Crédito Shutterstck
Crédito Shutterstck

O tratamento de sementes com inseticidas e nematicidas tem se mostrado uma prática rotineira que auxilia no controle de pragas iniciais de campo. Testes mostram eficácia contra um amplo espectro de mastigadoras, incluindo lagartas foliares e de solo e nematoides como o de galhas e o das lesões radiculares.

A técnica ainda contribui para o bom desenvolvimento inicial de lavouras de soja e milho e auxilia na manutenção do estande de plantas. Além disso, alguns produtoscomerciais não interferem na germinação de sementes e plântulas convencionais ou Bt, e apresentam efeito residual prolongado.

Sem erros

De acordo com Ademir Assis Henning, pesquisador da Embrapa Soja, o tratamento das sementes é uma prática recomendada por profissionais, pois oferece garantia de melhor estabelecimento da população de plantas por controlar patógenos importantes transmitidos pelas sementes, diminuindo a chance de sua introdução em áreas indenes.

As condições desfavoráveis, especialmente a deficiência hídrica, a germinação da semente e da plântula de soja tornam mais lento esse processo, expondo as sementes por mais tempo a fungos do solo, que podem causar a sua deterioração ou a morte da plântula.

O tratamento de sementes contribui para o bom desenvolvimento inicial das lavouras - Crédito Shutterstock
O tratamento de sementes contribui para o bom desenvolvimento inicial das lavouras – Crédito Shutterstock

Via sementes

Os principais patógenos transmitidos pela semente de soja são controlados pelos fungicidas do grupo dos benzimidazois. Dentre os produtos avaliados e indicados para o tratamento de sementes de soja, Ademir Henningaponta o carbendazin, tiofanato metílico e thiabendazolecomo os mais eficientes no controle dos fungos transmitidos pelas sementes, principalmente o mofo branco, quando presente na forma de micélio interno, dormente. “Os fungicidas de contato têm bom desempenho na promoção da emergência, mas podem não controlar totalmente esses fungos, principalmente nas sementes que apresentam índices elevados de infecção por esses patógenos“, pontua.

Os fungicidas de contato e sistêmicos, já formulados e mais indicados para o tratamento de sementes de soja são apresentados na Tabela 1.

Tabela 1 “Misturas formuladas e respectivas doses dos fungicidas indicadas para o tratamento de sementes de soja e controle de Sclerotiniasclerotiorum ” micélio interno, dormente

Fungicidas ” Nome comum Dose/100 kg de semente
Carbendazin + Thiran 30 g + 70 g
Praclostrobina + Tiofanato metílico + Fipronil 5g + 45 g + 50 g
Thiabendazole + Fludioxonil + Mefenoxan 15 g + 2,5 g + 2 g a 18,75 g + 2,75 g + 2,5 g
Fluazinam + Tiofanato metílico 35 g + 5,2 g

Evite prejuízos

Segundo Evaldo KazushiTakizawa, engenheiro agrônomo e consultor da Ceres Consultoria Agronômica, as pragas iniciais podem causar vários prejuízos, que podemos classificar em danos diretos e indiretos. Os danos diretos provocam a morte da planta e, consequentemente, a redução da população de plantas desejada, refletindo em produtividades menores.

Os danos indiretos, complementa o profissional, podem provocar redução do desenvolvimento das plantas e torná-las mais vulneráveis ao ataque de outras pragas e doenças, e da mesma forma resultar na redução do potencial produtivo.

Tratadora industrial com capacidade para até 20 toneladas por hora - Crédito Momesso
Tratadora industrial com capacidade para até 20 toneladas por hora – Crédito Momesso

Principais pragas

Muitas pragas iniciais são comuns para a soja e milho, entre elas a lagarta-elasmo, Spodoptera, lagartas-rosca, coró, cupins, formigas cortadeiras, piolho de cobra, lesmas, caramujos, percevejos (milho), cigarrinhas (milho), tamanduá (soja), vaquinhas, larva-alfinete, larva-arame, enfim, é possível enumerar uma grande variedade de pragas.

“Por sorte, nem todas ocorrem em altos níveis de ataque, e por isso é essencial o conhecimento da região e ir monitorando para prever os possíveis ataques e buscar a proteção por meio do tratamento de sementes“, recomenda Evaldo Kazushi.

Eficiência do tratamento de sementes

A eficiência de controle do tratamento de sementes é resultado da interação dos produtos utilizados, da qualidade do processo,dos aditivos associados, das condições climáticas,do ambiente e das pragas.

A recomendação e o receituário agronômico de um profissional capacitado são o primeiro passo para o sucesso do controle e a proteção da planta contra o ataque das pragas iniciais. “O tratamento de sementes é um dos poucos procedimentos em que o uso preventivo de inseticida, nematicidas e fungicidasé aceito e o posicionamento adequado pode garantir eficiência próximade 100%“, afirma o consultor Evaldo Kazushi.

O tratamento de sementes auxilia na manutenção do estande de plantas - Crédito Shutterstock
O tratamento de sementes auxilia na manutenção do estande de plantas – Crédito Shutterstock

TSI

O tratamento de sementes conta com equipamentos próprios para sua execução.Preferencialmente,diz Evaldo Kazushi, o tratamento industrial de sementes (TIS) garante maior precisão das doses e da cobertura dos produtos sobre a semente sem causar danos mecânicos a ela, além de ser executado por pessoas treinadas para essa finalidade, utilizando equipamentos de proteção individual, com menor risco de intoxicação.

Essa matéria completa você encontra na edição de outubro 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Grãos Tratamento de sementes alia inseticida e nematicida