20.6 C
Uberlândia
domingo, junho 23, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesTratamento via sementes com bioestimulantes tem benefícios para o milho

Tratamento via sementes com bioestimulantes tem benefícios para o milho

Um dos grandes desafios da safra de milho é o estabelecimento de plantas e que elas consigam ter maior resistência a possíveis estresses, característicos desse período, seja por pragas ou longos períodos de estiagem. Para que isso aconteça é preciso ter um bom estímulo de raiz, suprindo as necessidades nutricionais da semente, estimulando o crescimento radicular, que ocasionará maior absorção de água e nutrientes, maior vigor do pergaminho, impulsionará a velocidade de germinação e emergência da plântula e trará, ainda, maior eficiência na assimilação de Nitrogênio, um dos nutrientes de maior demanda pelo milho.

Segundo o engenheiro agrônomo e doutor em Fitotecnia Josué Fogaça (foto), o tratamento via sementes com o uso de produtos de ação fisiológica é o caminho para se ter essa garantia. “Importante usar uma tecnologia que entregue exatamente isso, por oferecer nutrientes minerais como Zinco, Cobre, Níquel e Fósforo; aminoácidos, extrato de algas e substâncias húmicas. O Zinco, por exemplo, age na divisão celular, na síntese de proteínas, na desintoxicação das espécies reativas de oxigênio, causada pelo ataque de pragas que afeta as paredes celulares. O Níquel tem um papel importante na hidrogenase do N. O Cobre é um precursor de lignina. E o Fósforo é fonte de energia para processos metabólicos, superimportante para o processo de germinação”, explica.

Fogaça esclarece que os aminoácidos são importantes nessa fase por fazerem o transporte de nutrientes para a planta. “Eles são responsáveis pela ativação do metabolismo secundário, aumentam a absorção e redistribuição dos nutrientes (efeito quelante) e promovem processos metabólicos que vão estimular a planta a ter menos estresses e sistema radicular (maior e mais vigoroso)”.

Os extratos de algas, que atuam como promotores de crescimento vegetal, trazem em sua composição macro e micronutrientes, aminoácidos, proteínas, glicoproteínas. E, conforme o profissional, as algas estimulam a ativação do metabolismo vegetal e melhoram o balanço hormonal. “A Citocinina é responsável pela divisão e alongamento celular e que promove a germinação; a Giberelina, o alongamento celular, estimulando a velocidade da germinação; e a Auxina, responsável pela divisão celular, com crescimento da raiz primária e caule; são fundamentais”, garante. “As algas protegem e estimulam as plantas”, completa.

As substâncias húmicas usadas no tratamento via sementes potencializam a germinação, atuam como ativadores enzimáticos (digestão de reservas), estimulam o desenvolvimento de raízes adventícias e atuam como sinalizadores hormonais.

“São inúmeros os benefícios a serem alcançados quando se adota um promotor hormonal no tratamento via sementes: mais raízes, maior velocidade de germinação, maior estabelecimento da planta, mais tolerância ao estresse. Tudo é alcançado”

Prevenção

Estímulo de raiz é, de acordo com Fogaça, coordenador de Desenvolvimento de Mercado da Dimicron, preventivo aos danos por veranicos. Isso porque, segundo ele, com uma raiz bem estabelecida o estresse que a planta é submetida será menor. “Temos muitos resultados no campo que mostram que, com maior volume radicular e parte aérea no milho trazido pelo TMSP Power, a produtividade também pode ser maior em até 6,73 sacas por hectare”, garante.

ARTIGOS RELACIONADOS

Soja e milho: Inseticida tem bom desempenho de controle em lagartas nas culturas

Ação efetiva sobre Spodoptera frugiperda e Chrysodeixis includens foi constatada em pesquisas realizadas em diferentes pontos da fronteira agrícola.

Cigarrinha-do-milho – todo cuidado é pouco!

Conheça os alvos que podem afetar a sua cultura e quais produtos podem te ajudar no manejo, com a consultora Suzeth Carvalho.

Janela de cultivo mais arriscada

O atraso do plantio da safra de soja 2020/21 e alongamento do ciclo das lavouras marcou várias ...

Alface: Semeio de verão se aproxima e os desafios aumentam

O cultivo de alface na estação mais quente do ano pode ser um problema, pois é um período em que as chuvas provocam perdas e a temperatura elevada causa pendoamento precoce nas plantas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!