18.1 C
São Paulo
quinta-feira, agosto 11, 2022
-Publicidade-
Inicio Destaques Triazona - Maior eficiência e produtividade da soja

Triazona – Maior eficiência e produtividade da soja

Bruno Maia Abdo Rahmen Cassim // Éder Jr. de Oliveira Zampar Programa de Pós-Graduação em Agronomia – Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Agronomia

Marcelo Augusto BatistaUniversidade Estadual de Maringá, Departamento de Agronomia

Antonio Pedro Martins Machado // Fernando Rodrigues MoreiraHexion Química do Brasil

Lavoura – Foto: Hexion

A soja (Glycine max (L.) Merrill) apresenta-se como uma das culturas de destaque para o agronegócio e para a balança comercial brasileira. Segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento, 2021), o Brasil é o maior produtor mundial do grão, com expectativa para a safra 2021/22 de 141 milhões de toneladas, ocupando uma área de 39,9 milhões de hectares.

A produtividade da soja está diretamente relacionada com o ambiente, potencial genético e manejo adotado, incluindo o fornecimento de nutrientes de maneira adequada. Grande parte do nitrogênio (N) que é requerido pela soja é oriundo da relação simbiótica com bactérias Bradyrhizobium elkani e Bradyrhizobium japonicum, que são fornecidas pela inoculação na semeadura.

No entanto, em função do constante lançamento de novas cultivares com produtividades cada vez mais elevadas, verifica-se que diferentes técnicas de manejo devem ser adotadas para que se alcance o máximo potencial produtivo da cultura. Entre elas, cita-se a aplicação foliar de nitrogênio em períodos reprodutivos.

A tecnologia Triazona

O objetivo do estudo foi avaliar o desempenho da tecnologia de fertilizante nitrogenado de liberação gradual da Hexion Química, contra a testemunha (sem N foliar) e solução de ureia. Os resultados encontrados comprovaram a superioridade da tecnologia da Triazona da Hexion, quando comparado com a testemunha e solução de ureia.

Com o objetivo de aumentar a eficiência dos fertilizantes nitrogenados, foram desenvolvidos produtos à base de polímeros orgânicos e Triazona. Estes fertilizantes apresentam em sua formulação polímeros de liberação intermediária (monometilol-ureia, dimetilol-ureia e polimetilol-ureia) e a Triazona, que permite a liberação gradual do N por longos períodos.

A Triazona apresenta características de maior permanência na superfície das folhas após a aplicação foliar, menor perda de N por evaporação das gotas, menor volatilização e menor potencial de queima das folhas, quando comparado com a solução de ureia.

Estas características, aliadas à liberação gradual do nitrogênio, tornam a Triazona um fertilizante de eficiência aumentada. A Hexion Química possui tecnologia já operacional para produção da Triazona aqui no Brasil, com um rígido controle de todas as etapas da manufatura.

Pesquisas

Para demonstrar a eficiência agronômica da Triazona da Hexion já foram desenvolvidos, desde 2017, dezenas de testes nas culturas da soja, milho, algodão, feijão, arroz e cana-de-açúcar.

Estes trabalhos foram conduzidos em instituições de ensino-pesquisa e em propriedades rurais nas mais diversas regiões do Brasil. Um dos trabalhos de destaque foi o desenvolvido em parceria com a Universidade Estadual de Maringá (UEM) na cultura da soja, safra 2018/19, no município de Floresta (PR), sobre um Latossolo.

O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com cinco tratamentos e cinco repetições. Os tratamentos foram: T1 – testemunha (sem aplicação de N foliar); T2 – fonte nitrogenada convencional (solução de ureia); e 3 fertilizantes foliares a base Triazona, T3 – N-Hexion 1 fertilizante nitrogenado com 28% N e com uma proporção de compostos de liberação gradual de 70%; T4 – N-Hexion 2 fertilizante nitrogenado com 26% N  e uma proporção de compostos de liberação gradual de 60% e T5 – N-Hexion 3 fertilizante nitrogenado com 24,5% N + B + Mo e com compostos de liberação gradual de 55%.

As aplicações foram realizadas em R2 e foram avaliados o número de vagem com 1, 2 e 3 grãos (V1, V2 e V3), número de vagens totais por planta (NVP), número de grãos totais por planta (NGP), massa de mil grãos (MMG) e produtividade (PROD).

Os dados obtidos foram submetidos a análise de variância e suas médias comparadas pelo teste de Scott-Knott (p<0,1).

Resultados e conclusões

Foi verificada diferenciação estatística com resultado significativo nos tratamentos N-Hexion 2 e N-Hexion 3, com aumento de produtividade variando de 4,3 a 8,5 sc/ha, comparado com os tratamentos testemunha e solução de ureia, conforme descrito a seguir:

• N-Hexion 2 – incremento de produtividade em relação à testemunha e solução de ureia de 4,3 sc/ha e 6,2 sc/ha, respectivamente.

• N-Hexion 3 (N + B + Mo) – foi o tratamento com os maiores incrementos de produtividade, indicando uma excelente sinergia da Triazona em formulações com micronutrientes. Os incrementos de produtividade foram de 6,6 sc/ha e 8,5 sc/ha em relação à testemunha e solução de ureia, respectivamente.

O Fertilizante N-Hexion 1 também apresentou resultados positivos em relação à testemunha e solução de ureia, porém, abaixo do N-Hexion 2 e N-Hexion 3. Provavelmente este resultado foi consequência de um melhor equilíbrio nas formulações N-Hexion 2 e N-Hexion 3 na proporção de liberação gradual e outros componentes da fórmula.

A aplicação foliar de ureia convencional não apresentou diferença estatística significativa em relação à testemunha sem N foliar para os componentes produtivos avaliados (Tabela 1 e Figura 2). Provavelmente este resultado de produtividade inferior à testemunha, encontrado no tratamento solução de ureia, pode estar relacionado a uma influência negativa na nodulação. Outros estudos seriam necessários para um melhor entendimento dos resultados encontrados neste trabalho.

Tabela 1. Média dos números de vagens com 1,2 e 3 grãos (V1, V2 e V3), número de vagens por planta (NVP), número de grãos por planta (NGP), massa de mil grãos (MMG) e produtividade (PROD) na soja. Floresta (PR). Safra 2018/19.

Tratamentos V1 V2  V3 NVP NGP MMG PROD Incremento de Produtividade
G kg ha-1 em Relação a Testemunha (%)
Testemunha 4,7 b 12,5 b 19,7 b 37,0 b 88,9 b 129,5 a 2618,4 b _
Ureia 4,3 b 10,2 b 17,6 b 32,1 b 77,6 b 123,4 a 2496,6 b _
N-Hexion 1 4,2 b 13,0 b 25,3 a 42,5 a 106,3 a 122,4 a 2646,6 b 1,0
N-Hexion 2 6,3 a 15,4 a 22,5 a 44,2 a 104,7 a 121,5 a 2869,5 a 9,6
N-Hexion 3 6,6 a 16,1 a 27,1 a 49,9 a 120,2 a 128,1 a 3003,0 a 14,7

Obs: Médias seguidas de mesma letra não se diferem pelo teste Scott-Knott (10%).

Figura 1 – Produtividade da soja em função dos tratamentos: sem N foliar, com ureia convencional e com Triazona (N-Hexion 1, 2 e 3). Floresta (PR). Safra 2018/19. Obs: Médias seguidas de mesma letra não se diferem pelo teste Scott-Knott (10%).

Para saber mais sobre a tecnologia dos fertilizantes foliares de liberação gradual da Hexion, entre em contato pelos e-mails: contato@hexion.com ou customerserviceBR@hexion.com

Inicio Destaques Triazona - Maior eficiência e produtividade da soja