19 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesTriazona - Maior eficiência e produtividade da soja

Triazona – Maior eficiência e produtividade da soja

Bruno Maia Abdo Rahmen Cassim // Éder Jr. de Oliveira Zampar Programa de Pós-Graduação em Agronomia – Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Agronomia

Marcelo Augusto BatistaUniversidade Estadual de Maringá, Departamento de Agronomia

Antonio Pedro Martins Machado // Fernando Rodrigues MoreiraHexion Química do Brasil

Lavoura – Foto: Hexion

A soja (Glycine max (L.) Merrill) apresenta-se como uma das culturas de destaque para o agronegócio e para a balança comercial brasileira. Segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento, 2021), o Brasil é o maior produtor mundial do grão, com expectativa para a safra 2021/22 de 141 milhões de toneladas, ocupando uma área de 39,9 milhões de hectares.

A produtividade da soja está diretamente relacionada com o ambiente, potencial genético e manejo adotado, incluindo o fornecimento de nutrientes de maneira adequada. Grande parte do nitrogênio (N) que é requerido pela soja é oriundo da relação simbiótica com bactérias Bradyrhizobium elkani e Bradyrhizobium japonicum, que são fornecidas pela inoculação na semeadura.

No entanto, em função do constante lançamento de novas cultivares com produtividades cada vez mais elevadas, verifica-se que diferentes técnicas de manejo devem ser adotadas para que se alcance o máximo potencial produtivo da cultura. Entre elas, cita-se a aplicação foliar de nitrogênio em períodos reprodutivos.

A tecnologia Triazona

O objetivo do estudo foi avaliar o desempenho da tecnologia de fertilizante nitrogenado de liberação gradual da Hexion Química, contra a testemunha (sem N foliar) e solução de ureia. Os resultados encontrados comprovaram a superioridade da tecnologia da Triazona da Hexion, quando comparado com a testemunha e solução de ureia.

Com o objetivo de aumentar a eficiência dos fertilizantes nitrogenados, foram desenvolvidos produtos à base de polímeros orgânicos e Triazona. Estes fertilizantes apresentam em sua formulação polímeros de liberação intermediária (monometilol-ureia, dimetilol-ureia e polimetilol-ureia) e a Triazona, que permite a liberação gradual do N por longos períodos.

A Triazona apresenta características de maior permanência na superfície das folhas após a aplicação foliar, menor perda de N por evaporação das gotas, menor volatilização e menor potencial de queima das folhas, quando comparado com a solução de ureia.

Estas características, aliadas à liberação gradual do nitrogênio, tornam a Triazona um fertilizante de eficiência aumentada. A Hexion Química possui tecnologia já operacional para produção da Triazona aqui no Brasil, com um rígido controle de todas as etapas da manufatura.

Pesquisas

Para demonstrar a eficiência agronômica da Triazona da Hexion já foram desenvolvidos, desde 2017, dezenas de testes nas culturas da soja, milho, algodão, feijão, arroz e cana-de-açúcar.

Estes trabalhos foram conduzidos em instituições de ensino-pesquisa e em propriedades rurais nas mais diversas regiões do Brasil. Um dos trabalhos de destaque foi o desenvolvido em parceria com a Universidade Estadual de Maringá (UEM) na cultura da soja, safra 2018/19, no município de Floresta (PR), sobre um Latossolo.

O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com cinco tratamentos e cinco repetições. Os tratamentos foram: T1 – testemunha (sem aplicação de N foliar); T2 – fonte nitrogenada convencional (solução de ureia); e 3 fertilizantes foliares a base Triazona, T3 – N-Hexion 1 fertilizante nitrogenado com 28% N e com uma proporção de compostos de liberação gradual de 70%; T4 – N-Hexion 2 fertilizante nitrogenado com 26% N  e uma proporção de compostos de liberação gradual de 60% e T5 – N-Hexion 3 fertilizante nitrogenado com 24,5% N + B + Mo e com compostos de liberação gradual de 55%.

As aplicações foram realizadas em R2 e foram avaliados o número de vagem com 1, 2 e 3 grãos (V1, V2 e V3), número de vagens totais por planta (NVP), número de grãos totais por planta (NGP), massa de mil grãos (MMG) e produtividade (PROD).

Os dados obtidos foram submetidos a análise de variância e suas médias comparadas pelo teste de Scott-Knott (p<0,1).

Resultados e conclusões

Foi verificada diferenciação estatística com resultado significativo nos tratamentos N-Hexion 2 e N-Hexion 3, com aumento de produtividade variando de 4,3 a 8,5 sc/ha, comparado com os tratamentos testemunha e solução de ureia, conforme descrito a seguir:

• N-Hexion 2 – incremento de produtividade em relação à testemunha e solução de ureia de 4,3 sc/ha e 6,2 sc/ha, respectivamente.

• N-Hexion 3 (N + B + Mo) – foi o tratamento com os maiores incrementos de produtividade, indicando uma excelente sinergia da Triazona em formulações com micronutrientes. Os incrementos de produtividade foram de 6,6 sc/ha e 8,5 sc/ha em relação à testemunha e solução de ureia, respectivamente.

O Fertilizante N-Hexion 1 também apresentou resultados positivos em relação à testemunha e solução de ureia, porém, abaixo do N-Hexion 2 e N-Hexion 3. Provavelmente este resultado foi consequência de um melhor equilíbrio nas formulações N-Hexion 2 e N-Hexion 3 na proporção de liberação gradual e outros componentes da fórmula.

A aplicação foliar de ureia convencional não apresentou diferença estatística significativa em relação à testemunha sem N foliar para os componentes produtivos avaliados (Tabela 1 e Figura 2). Provavelmente este resultado de produtividade inferior à testemunha, encontrado no tratamento solução de ureia, pode estar relacionado a uma influência negativa na nodulação. Outros estudos seriam necessários para um melhor entendimento dos resultados encontrados neste trabalho.

Tabela 1. Média dos números de vagens com 1,2 e 3 grãos (V1, V2 e V3), número de vagens por planta (NVP), número de grãos por planta (NGP), massa de mil grãos (MMG) e produtividade (PROD) na soja. Floresta (PR). Safra 2018/19.

Tratamentos V1 V2  V3 NVP NGP MMG PROD Incremento de Produtividade
G kg ha-1 em Relação a Testemunha (%)
Testemunha 4,7 b 12,5 b 19,7 b 37,0 b 88,9 b 129,5 a 2618,4 b _
Ureia 4,3 b 10,2 b 17,6 b 32,1 b 77,6 b 123,4 a 2496,6 b _
N-Hexion 1 4,2 b 13,0 b 25,3 a 42,5 a 106,3 a 122,4 a 2646,6 b 1,0
N-Hexion 2 6,3 a 15,4 a 22,5 a 44,2 a 104,7 a 121,5 a 2869,5 a 9,6
N-Hexion 3 6,6 a 16,1 a 27,1 a 49,9 a 120,2 a 128,1 a 3003,0 a 14,7

Obs: Médias seguidas de mesma letra não se diferem pelo teste Scott-Knott (10%).

Figura 1 – Produtividade da soja em função dos tratamentos: sem N foliar, com ureia convencional e com Triazona (N-Hexion 1, 2 e 3). Floresta (PR). Safra 2018/19. Obs: Médias seguidas de mesma letra não se diferem pelo teste Scott-Knott (10%).

Para saber mais sobre a tecnologia dos fertilizantes foliares de liberação gradual da Hexion, entre em contato pelos e-mails: contato@hexion.com ou customerserviceBR@hexion.com

ARTIGOS RELACIONADOS

Melancia: a terceira fruta mais produzida no País

A melancia representa um importante segmento do agronegócio brasileiro, sendo considerada a terceira fruta mais produzida no País, gerando um valor estimado de R$ 1,3 milhão (Agrianual 2018), com produção de 2.240.796 toneladas em uma área colhida de 101.975 hectares (IBGE, 2019).

Planta soja livre de transgênicos

O Brasil é o maior produtor mundial de soja, uma potência que encontra mercado aberto e é ...

Plant Health Care lança SAORI™

A Plant Health Care, detentora da mais recente tecnologia registrada para o controle de

Alerta para os nematoides em soja

Autores Amélio Dall’Agnol amelio.dallagnol@embrapa.br Waldir Pereira Dias Pesquisadores da Embrapa Até um passado recente, os nematoides não representavam grande preocupação fitossanitária para a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!