19.6 C
Uberlândia
domingo, junho 16, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiUltra-adensamento de plantio - Mais produção aos citros

Ultra-adensamento de plantio – Mais produção aos citros

 

Eduardo Sanches Stuchi

Engenheiro agrônomo, pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura e diretor da Estação Experimental de Citricultura de Bebedouro (EECB)

eduardo.girardi@embrapa.br

Eduardo Augusto Girardi

Pesquisador Embrapa Mandioca e Fruticultura

 

Ultra adensamento de plantio - Crédito Eduardo Girardi
Ultra adensamento de plantio – Crédito Eduardo Girardi

Plantar árvores de citros mais perto umas das outras aumenta a produção das safras iniciais em até 89% em relação aos espaçamentos tradicionais. Os resultados foram registrados em experimentos desenvolvidos pela Embrapa em parceria com a Estação Experimental de Citricultura de Bebedouro (EECB), no interior paulista.

O chamado adensamento se revelou extremamente importante para os produtores de São Paulo, onde se localiza o maior polo citrícola do Brasil, pois ajudou a compensar perdas causadas pelo huanglongbing (HLB), considerada a mais severa doença dos citros da atualidade.

Espaçamento

O espaçamento convencional utilizado no plantio de citros, atualmente, é de 7,0 m a 6,0 m entrelinhas e 2,0 m a 4,0 m entre plantas. Há uma década ficava entre 7 a 8 m entrelinhas e 3 a 5 m entre plantas. Em se tratando de ultra-adensamento, sugere-se de 6,0 a 4,0 m entrelinhas e de 2,0 a 1,0 m entre plantas.

Experimentos na EECB, em Bebedouro (SP), em pomares em regime sequeiro e irrigado, e na Embrapa, em São Paulo, avaliando copas de laranjas doces e de lima ácida Tahiti demonstraram ser possível ampliar a produtividade em até 89% nas primeiro cinco colheitas, ou um aumento médio de 20% na produtividade ao longo de 10 a 14 colheitas, sem afetar a qualidade dos frutos.

Mais produtividade, sem doenças

A HLB é uma doença causada por bactérias que colonizam o floema dos citros, sem resistência varietal, transmitidas pelo psilídeo, um inseto alado. Essa doença é extremamente destrutiva e provoca declínio das plantas, com seca de ramos, amarelecimento e deficiências foliares generalizadas, deformação e queda de frutos, cuja qualidade para consumo e processamento cai significativamente.

O adensamento do plantio tem equilibrado esse dano, visto que pomares mais adensados resultam em antecipação da produção e receita, favorecendo a viabilidade do cultivo sob a pressão da doença.

Replantios podem ser dispensados, pois as plantas mais próximas podem compensar as perdas. No entanto, as ações de manejo recomendadas (mudas sadias + erradicação de plantas sintomáticas + controle do vetor) devem ser adotadas e mantidas junto do adensamento de plantio.

Custo

O custo de produção do pomar adensado é maior na implantação, devido ao maior consumo de mudas, principalmente. Estudos pormenorizados estão em andamento.

É bom lembrar que pomares ultra-adensados e convencionais podem atingir produtividades semelhantes, o que ocorre é que nos primeiros isso é antecipado. No Brasil, a produtividade varia de 30 a 60 t/ha, enquanto em outros países relata-se entre 50 a 120 t/ha em pomares ultra-adensados.

Ressalta-se que, para que a técnica de ultra-adensamento seja viável, ela deve estar associada ao uso de porta-enxertos ananicantes, ou seja, que reduzem o porte da variedade copa, evitando assim a necessidade de poda excessiva e autossombreamento, que podem reduzir drasticamente a produtividade, ao invés de aumentá-la.

Podem, também, facilitar e baratear a colheita. Além disso, deve-se atentar aos cuidados nutricionais e o maquinário deve ser ajustado às condições de cultivo.

Essa matéria você encontra na edição de agosto da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Reações do milho à aplicação das algas

A eficiência das algas na agricultura é evidenciada por seus constituintes, entre eles: aminoácidos, macro e micronutrientes, carboidratos complexos, fitormônios e matéria orgânica. Logo, atuam como biofertilizantes, bioestimulantes e, principalmente, como agentes elicitores de diversos processos nas plantas.

BASF acompanha crescimento da cotonicultura mineira

A BASF marcou presença no Dia de Campo da AMIPA apresentando toda a sua linha voltada para a cotonicultura. Alexandre Rodrigues de Azeredo, gerente...

Poda do cafeeiro tem aliado para alcançar maiores produtividades

A poda de esqueletamento é uma prática cultural que está se tornado habitual na cafeicultura moderna, visto os grandes benefícios econômicos e financeiros que...

Como reduzir em até 3x o consumo de água

Andrés da Silva Engenheiro agrícola, M.Sc. e consultor EACEA " Soluções em Cultivo Protegido contato@eacea.com.br   A estiagem que afetou o Brasil e, em particular, o Estado de...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!