27.2 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosUsina solar flutuante reduz evaporação da água e eleva produção agrícola

Usina solar flutuante reduz evaporação da água e eleva produção agrícola

A novidade tem atraído produtores que utilizam a irrigação e a piscicultura, assim como lagos de frigoríficos e abatedouros, que podem ser cobertos com geração solar flutuante

Créditos Sunlution
Créditos Sunlution

A usina solar flutuante, equipamento de geração de energia fotovoltaica para ser instalado em espelhos d’água de propriedades rurais, é a mais recente tecnologia agrícola voltada para a sustentabilidade no Brasil.

A tecnologia permite, ao mesmo tempo, gerar energia e elevar a capacidade de produção dos empreendimentos agrícolas, com a redução significativa da evaporação em açudes, lagos, represas e reservatórios.

Além de garantir o abastecimento energético para a produção, estudos mostram que esta usina reduz em até 70% o nível de evaporação no local de instalação, o que permite ao agricultor aumentar em até 20% o volume de água disponível para a produção agrícola.

A energia solar é uma alternativa limpa e renovável aos combustíveis fósseis e a usina solar flutuante proporciona benefícios adicionais à indústria. Ao cobrir parcialmente uma superfície de água, evita-se a sua perda por evaporação, enquanto que o sombreamento que induz limita o crescimento de algas.

O sistema é inócuo para a vida selvagem e habitats circundantes. Adicionalmente, o natural efeito refrigerador da superfície de água permite o funcionamento mais eficiente dos painéis fotovoltaicos, aumentando, por isso, a produtividade face a instalações convencionais sobre o solo.

Aplicações da usina solar flutuante:

  • Lagos industriais;
  • Lagos da indústria extrativa;
  • Reservatórios de irrigação;
  • Lagos de retenção;
  • Estações de dessalinização;
  • Estações de tratamento de águas;
  • Reservatórios de água potável;
  • Estações de aquacultura;
  • Açudes/canais.

 

Em atuação

No Brasil, as usinas solares flutuantes já estão instaladas em Balbina, um distrito do município de Presidente Figueiredo, no Amazonas, em Sobradinho, na Bahia, e em Goiás uma fazenda terá sua instalação finalizada em fevereiro.

De acordo com Orestes Gonçalves Júnior, sócio diretor da Sunlution, empresa que trabalha com a tecnologia, além das vantagens já apontadas anteriormente, o produtor pode contar com a segurança energética durante o dia, isto é, não cai a energia da concessionária, e em algumas commodities há a possibilidade do selo verde, que recebe ao redor de 2% a mais pelo valor do produto.

Benefícios ambientais:

ü Impacto ambiental neutro ou mesmo positivo;

ü Redução da evaporação e, portanto, conservação da água,preservando os ecossistemas existentes;

ü Melhoria da qualidade da água e redução do desenvolvimento de algas;

ü Redução da erosão nas margens dos reservatórios por diminuição de ondulação.

Benefícios econômicos:

ü Conversão de superfícies subaproveitadas em áreas lucrativas;

ü Reduz custos de ligação à rede pela utilização de infraestruturas elétricas existentes;

ü Rápido processo de desenvolvimento e entrada em produção;

ü Aumento da produtividade fotovoltaica devido à refrigeração natural do sistema pela superfície da água.

Orestes Gonçalves Júnior, sócio diretor da Sunlution - Créditos Sunlution
Orestes Gonçalves Júnior, sócio diretor da Sunlution – Créditos Sunlution

Benefícios sociais:

ü Preserva superfícies de solo e água para usos primordiais, como a agricultura;

ü Reabilitação de áreas contaminadas, gerando energia limpa;

ü Compatível com usos lúdicos da superfície de água;

ü Baixo impacto visual.

Implantação

A Sunlution realiza o trabalho completo, desde encaminhar para a distribuidora de energia local a aprovação do projeto, o projeto executivo, a instalação e a conexão com a linha de distribuição. “O requisito é o interesse de implantar. Podemos fazer apresentações nas diferentes regiões, e ainda temos parceria com a Jacto e a Weg“, revela Orestes Júnior.

O empresário informa que a tecnologia existe há mais de 10 anos e já há várias usinas implantadas no mundo, principalmente na Ásia (Japão é o país que tem o maior volume de usinas) e Europa (Inglaterra é o país com o maior volume de usinas), ou seja, é uma tecnologia testada e consolidada.

Os atributos são muitos, como resistir a ventos de até 210 km/h, ondas de até 1,5 metro, tratamento UV contra a insolação, não há impacto sobre água potável (órgão ambiental inglês aprova a instalação da usina solar flutuante em lago de água potável), contribui para a redução de algas, entre outros.

Essa matéria completa você encontra na edição de março 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Como ter um canavial produtivo e com longevidade?

Autores Renato Passos Brandão Gerente do Deptº Agronômico do Grupo Vittia Raphael Bianco Roxo Rodrigues Gerente Técnico Regional O plantio é uma das...

Algas favorecem pegamento de frutos do mamoeiro

Em função da importância econômica e da necessidade do aumento na produtividade e qualidade do produto final, novas tecnologias vêm sendo pesquisadas e adotadas pelos produtores. Entre as opções está o uso das algas marinhas.

Quanto custa produzir maçãs?

 Joelsio José Lazzarotto Pesquisador de Economia e Administração da Embrapa Uva e Vinho Para implantar e conduzir um sistema de produção de maçã, os investimentos em...

Encontro Brasileiro de Hidroponia reúne profissionais do setor em Florianópolis

Mais de 350 pessoas passaram pelo evento, todos em busca de mais qualidade e sustentabilidade para seu cultivo   O 11º Encontro Brasileiro de Hidroponia, realizado...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!