18.1 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Florestas Uso do silício no cultivo de mudas de eucalipto

Uso do silício no cultivo de mudas de eucalipto

Arthur Henrique Cruvinel Carneiro

Técnico em Agricultura e Zootecnia – IFMG-Campus Bambuí, graduando em Agronomia na Universidade Federal de Lavras (UFLA), membro do Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (GHPD) e do Núcleo de Estudos em Cafeicultura (NECAF)

arthurhcruvinel@hotmail.com

Mariana Thereza Rodrigues Viana

Engenheira Agrônoma, doutoranda em Fitotecnia pela UFLA, membro do Núcleo de Estudos em Melhoramento e Clonagem (NEMEC)

Lucas Guedes Silva

Graduando em Agronomia (UFLA), membro do (GHPD)

 

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

O sucesso de uma implantação florestal de eucalipto é dependente diretamente da qualidade das mudas utilizadas, sendo de suma importância mudas resistentes às condições adversas no campo, com desenvolvimento inicial satisfatório e que produzam árvores com rendimento e características desejáveis para os devidos fins.

De acordo com as estruturas apresentadas, os viveiros são altamente suscetíveis à ação de organismos fitopatogênicos. A alta condição de umidade relativa do ar, temperatura, tecido vegetal tenro, proximidade das mudas, são fatores que beneficiam o desenvolvimento de algumas pragas e doenças nestes locais.

O silício

Um micronutriente que está sendo estudado como ferramenta benéfica para produção de mudas de eucalipto é o silício (Si). Este pode atuar na formação de barreira física de modo a reduzir a penetração de fungos e afetar os sintomas entre o hospedeiro e o patógeno, promovendo a ativação mais rápida dos mecanismos de defesa formados na planta.

Dessa forma, alguns dos benefícios que vêm sendo mostrados em pesquisas realizadas estão intimamente ligados à resistência das mudas ao ataque de organismos patogênicos, estruturação das mudas, maior resistência à herbivoria de insetos fitófagos, sendo observada também uma redução na toxidez de ferro, manganês, alumínio e sódio, redução da taxa de transpiração, maior tolerância à salinidade, redução dos efeitos de estresse hídrico e maior proteção contra efeitos de temperaturas extremas.

Porém, um dos grandes desafios ligados à utilização do silício é a dificuldade de translocação do mesmo dentro da planta.

O silício induz a resistência das mudas ao ataque de organismos patogênicos - Crédito Viveiro de Mudas Santa Isabel Ercy
O silício induz a resistência das mudas ao ataque de organismos patogênicos – Crédito Viveiro de Mudas Santa Isabel Ercy

Males prevenidos

Os benefícios do silício sobre o crescimento das plantas podem ser de caráter físico e fisiológico. Os benefícios físicos estão relacionados à deposição de silício juntamente à cutícula das folhas, reduzindo assim a perda de água, amenizando os efeitos de estresses de ordem biótica e abiótica, e constituindo uma barreira física, tornando a planta mais resistente ao ataque de fitopatógenos, inclusive sugadores, pelo aumento na dificuldade de penetração do estilete.

O Si depositado nos tecidos da epiderme também têm influência no crescimento das hifas dos fungos, dificultando, assim, a penetração do tubo germinativo do fungo. Quanto aos benefícios fisiológicos, apesar de existirem poucos trabalhos científicos, alguns pesquisadores relatam que mudas adubadas com silício apresentam maior atividade fotossintética e resistência ao ataque de fitopatógenos e pragas, pelo fato de o Si induzir uma série de reações metabólicas nas plantas e formar compostos como fitoalexinas e ligninas.

Atuação

Pesquisas apontam que o silício possui papel importante nas relações planta-ambiente, pois proporciona às plantas condições para suportar adversidades climáticas, edáficas e biológicas.

O silício também pode atuar no processo de ativação de genes envolvidos na produção de compostos secundários do metabolismo, como os polifenois e enzimas relacionadas com os mecanismos de defesa das plantas. Deste modo, o aumento de silício nos tecidos vegetais faz com que a resistência da planta ao ataque de fungos patogênicos aumente devido à produção suplementar de toxinas que podem agir como substâncias inibidoras do patógeno.

Dosagem recomendada para as mudas

O silício já é utilizado como fertilizante em diversos países, sendo o silicato de cálcio e magnésio, um subproduto da indústria siderúrgica e da produção de fósforo elementar, o mais utilizado.

No Brasil, existem diversas marcas comerciais de produtos contendo silício, sendo que esse elemento foi incluído na Legislação para Produção e Comercialização de Fertilizantes e Corretivos como micronutriente benéfico para as plantas, podendo ser comercializado isoladamente ou na mistura com outros nutrientes.

Benefícios

As vantagens da utilização de silicatos na produção de mudas florestais não se restringem somente ao fornecimento de Si para as plantas, pois tais materiais são capazes de promover a elevação dos teores de cálcio e de magnésio trocáveis, aumentam a disponibilidade de fósforo e reduzem a toxidez de ferro, manganês e alumínio e ainda fornecem micronutrientes e possuem propriedades corretoras da acidez de solos, por possuírem em sua composição constituintes neutralizantes.

Essa matéria completa você encontra na edição de fevereiro/março 2016  da revista Campo & Negócios Floresta. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Florestas Uso do silício no cultivo de mudas de eucalipto