27.6 C
Uberlândia
sábado, abril 20, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosVantagens da enxertia no tomateiro

Vantagens da enxertia no tomateiro

Osmar Bonin Junior
Gerente de Vendas e Desenvolvimento de Produtos da Yuksel Seeds

Créditos: Yuksel Seeds

O Brasil se destaca entre os maiores produtores de tomate no mundo, ficando entre os dez primeiros entre área cultivada e produção. Destaca-se com o tomate de mesa para consumo interno.
Diversas variedades são cultivadas durante todo o ano em nosso país, e uma das técnicas indicadas é a enxertia, para que os agricultores possam atrelar à produção a resistência às principais doenças.
No Brasil, segundo a Embrapa, os primeiros registros da utilização da enxertia em hortaliças foram na década de 50, na região norte do país, quando produtores começaram a enxertar plantas de tomate com “Jurubeba Juna” – planta nativa da região, como alternativa para controlar murcha bacteriana, causada pela bactéria Ralstonia Solanacearum, uma das principais doenças da cultura do tomate nas condições tropicais e subtropicais que temos.
Sendo causadora de danos econômicos à produção e consequências epidemiológicas em campos comerciais do cultivo, provoca severa perda da capacidade produtiva na cultura.
Com o passar dos anos e o cultivo intenso em regiões de produção no Brasil, surgiram novas necessidades, como resistências a outras doenças e incremento de produtividade e qualidade.

Enxertia como solução

A opção pela enxertia se dá pela segurança na produção; maior rentabilidade, auxiliando no combate de doenças e pragas. Ao final, o produtor terá plantas mais vigorosas e resistentes, com maior sanidade.
Este é um método de propagação vegetal que consiste na junção de tecidos de duas plantas diferentes, com o principal objetivo de conciliar características que buscam uma melhoria entre as variedades.
A planta inferior, o porta-enxerto, contribui com as raízes e com a haste inferior do caule, responsável pelo suporte da nova planta, pela absorção de água, nutrientes e pela adaptação às condições do solo, buscando vigor e resistência a doenças e pragas.

Mais segurança

Hoje, no Brasil, temos nas mais variadas regiões de produção de tomates, de norte a sul, necessidades em relação à pressão de doenças.
A enxertia e variedades de porta-enxertos podem auxiliar com maior segurança na produção, ajudando no manejo das áreas de cultivo e, principalmente, na rentabilidade dos produtores em relação à incidência de doenças, como a murcha de verticilium, fusarium e suas principais raças, murcha bacteriana e pragas, como os nematoides.


Principais objetivos da enxertia na cultura do tomate:
 Aumentar e balancear o vigor da planta;
 Resistência as principais doenças de solo;
 Maior tolerância à seca e alagamentos;
 Maior tolerância à nematoides;
 Tolerância aos demais estresses abióticos, como salinidade e deficiência de nutrientes;
 Uso rentável de fertilizantes.

Orientações

É sempre bom lembrar que a utilização da enxertia na cultura do tomate é uma ferramenta para a produção. Portanto, é essencial a escolha de um bom viveiro de propagação, que siga todas as orientações necessárias para ter qualidade nas mudas.
Igualmente importante é a escolha correta da variedade do porta-enxerto, visando melhorias em relação à resistência e vigor, para uma melhor produtividade, levando em consideração a região e o histórico do solo onde será a produção.
O plantio é outro passo para o sucesso, e os produtores têm que se atentar para a área estar bem-preparada e a muda a ser plantada estar em ótima condição, seguindo as orientações técnicas, como por exemplo, deixar a inserção da enxertia no caule, fora do contato com a terra, para não haver enraizamento da parte superior.

Passado ou futuro?

A enxertia no cultivo do tomate já é uma realidade que está crescendo no Brasil e trazendo maior rentabilidade para os produtores e qualidade ao produto. É muito importante, portanto, os produtores procurarem técnicos para auxiliar no manejo do plantio de mudas enxertadas.
A Yuksel Seeds, empresa de sementes de vegetais, recém-chegada ao Brasil, possui ampla participação mundial no mercado de sementes e grande experiência genética com variedades de porta-enxertos e outras culturas.
Com mais de 30 anos de experiência e sede na Turquia, um dos três maiores países produtores de tomate no mundo, está trazendo e desenvolvendo diversas variedades de porta-enxertos para as regiões produtoras de tomate no Brasil.
Possui certificações de qualidade extremamente, importantes, como o GSPP (Good Seed & Plant Practices) – para a produção de sementes e para a enxertia. O selo GSPP confere garantia de sanidade ao produto, uma vez que assegura excelência na gestão dos processos de produção, processamento de sementes e cultivo de plantas, prevenindo infecções por patógenos.
A Yuksel Seeds, empresa com infraestrutura laboratorial e pesquisa de referência mundial, visa a sustentabilidade, rentabilidade e melhorias para a tomaticultura no Brasil. Para isso, oferece genética e qualidade em suas variedades, para as diferentes necessidades dos produtores, prioridade para a empresa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Brasil investe em tecnologia no monitoramento ambiental na Amazônia

Os satélites Carcará I e Carcará II, lançados no final de maio, são os mais novos aliados do bioma brasileiro.

Produção de soja no Brasil terá queda de 9%, estima Conab

A estiagem no sul do país tem causado perdas na produção de grãos. Especialistas afirmam ...

Algas otimizam frutificação

A agricultura brasileira evoluiu, por isso, para garantir maiores produtividades é ...

Aminoácidos: Vigor para o girassol

O Brasil apresenta uma grande diversidade climática, tendo um território extenso ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!