Verde Agritech anuncia investimento de R$ 275 milhões na construção da terceira planta de produção de potássio sem cloro

0
98
Reprodução

A Verde Agritech anunciou ao Mercado, no último dia 16 de maio, que vai investir R$ 275 milhões para construir, a partir de 2023, a terceira unidade de produção de potássio sem cloro no Brasil. Com a nova planta, a companhia terá, em 2024, condições de produzir até 16,4% da demanda nacional por potássio. O projeto contempla outras fases de investimento, podendo chegar a 60% de todo potássio que o Brasil necessita. 

O fertilizante é fundamental para a produção agrícola e, hoje, mais de 96% do cloreto de potássio (KCL) usado nas lavouras brasileiras vêm do exterior, principalmente Canadá, Rússia e Bielorrússia. 

“O risco da dependência pelo produto importado e a busca por fontes mais sustentáveis para produção de alimentos têm feito com que agricultores brasileiros busquem alternativas mais seguras e viáveis financeiramente para garantir a produção”, explica Cristiano Veloso, fundador da Verde Agritech. 

O fertilizante, além de potássio, ainda possui outros nutrientes em sua composição e, por ser produzido no Brasil, apesar de mais completo, o produto colocado dentro da fazenda custa 10% menos que o KCl. Diferentemente do produto importado, o potássio produzido pela companhia, em São Gotardo e Matutina, interior de Minas Gerais, é livre de cloro, o que contribui para melhorar a microbiota do solo, permitindo a produção de alimentos mais nutritivos. O fertilizante da Verde Agritech também é recomendado para a agricultura orgânica, já que não contém produtos químicos na fabricação.

Atualmente, mais de um milhão de hectares são adubados pelo produto da Verde Agritech, por mais de cinco mil agricultores. 

“A adesão do agricultor ao produto da Verde Agritech é cada vez maior, o que exige da companhia este compromisso de investir cada vez mais para devolver o controle sobre a produção de alimentos ao produtor brasileiro, ameaçado pelo risco de desabastecimento do cloreto de potássio importado”, destaca Veloso.

A empresa já investiu nos últimos anos mais de meio bilhão de reais para produzir o potássio sem cloro em Minas Gerais. 

“Espera-se que o capex da Planta 3 seja coberto pelo fluxo de caixa acumulado gerado pelas vendas até o segundo trimestre de 2023, sem necessidade de financiamento de capital ou dívida”, informou a empresa sobre a origem do recurso usado para construir a terceira unidade de produção.