Ácidos húmicos e fúlvicos

0
201

Éder Jr de Oliveira Zampareder_zampar@hotmail.com

Lucas Pereira da Silva

Engenheiros agrônomos e mestrandos em Solos e Nutrição de Plantas – Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Priscila Angelotti ZamparEngenheira agrônoma e doutoranda em Proteção de Plantas – UEM

Soja – Créditos: shurtterstock

O aumento da população mundial exige que a produção de alimentos seja cada vez maior e cabe a setor agrícola se responsabilizar pela segurança alimentar do planeta. A alternativa para suprir essa crescente demanda é o aumento da produtividade dentro de uma mesma área, e não apenas visar a expansão de territórios agrícolas.

Sabendo que é do solo que as plantas extraem a maioria dos nutrientes que necessitam para sobreviver e produzir, devemos enxergar de outro ângulo este solo e buscar melhorias na sua estruturação física, química e biológica afim de fornecer para essas plantas um sistema equilibrado para que elas expressem o seu potencial genético.

Dessa forma, a manutenção da fertilidade do solo é essencial para o sucesso das culturas, e para isso é necessário estar atento para algumas características responsáveis por manter essa fertilidade em níveis adequados, sendo a matéria orgânica uma das principais.

Nesta perspectiva, destacam-se os ácidos húmicos e fúlvicos, que naturalmente resultam da decomposição da matéria orgânica e são capazes de estimular alterações fisiológicas nas plantas, as quais podem contribuir para um melhor desenvolvimento, o que é essencial para que se obtenha ganhos em produtividade.

Somado ao tradicional sistema de aplicação de insumos, deve-se considerar o potencial dos ácidos húmicos e fúlvicos para a resposta desejada nas culturas.

Definição

Substâncias húmicas, por definição, são macromoléculas polieletrolíticas que possuem alto peso molecular. São materiais resistentes à degradação, formados durante a decomposição de vegetais que ocorrem como depósitos no solo, sedimentos de pântanos, turfa, carvão, linhito, ou em diversos outros locais onde grandes quantidades de vegetação tenham se depositado. Elas são comumente classificadas em relação à solubilidade.

Podem ser extraídos de diferentes formas. Se um material contendo substâncias húmicas é extraído com uma base forte e a solução resultante acidificada, os produtos são (a) um resíduo que não pode ser extraído, chamado humina; (b) um material que precipita do extrato acidificado, chamado ácido húmico; e (c) um material orgânico que permanece na solução acidificada, chamado ácido fúlvico (Schnitzer & Khan, 1978; Manahan,2000; Stevenson, 1994).

Os ácidos húmicos são os componentes extraídos em maior quantidade das substâncias húmicas. Sua cor varia do marrom escuro ao preto. A fração de substâncias húmicas que são solúveis em água em qualquer condição de pH são denominadas ácidos fúlvicos. Elas aparecem na solução após a remoção dos ácidos húmicos por acidificação, e variam do amarelo claro ao amarelo escuro.

As huminas são a fração de substâncias húmicas que não são solúveis em água e em álcali em nenhum valor de pH, podendo consistir de um ou mais dos seguintes: ácidos húmicos tão intimamente ligados à matéria mineral, como por exemplo argila, em que os dois não conseguem ser separados; e matéria húmica.

Entenda melhor

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.