18.1 C
São Paulo
sexta-feira, agosto 12, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Cálcio está tendo a devida importância no solo?

Cálcio está tendo a devida importância no solo?

Autor

Afonso Peche Filho
Doutor e pesquisador científico do Centro de Engenharia e Automação do Instituto Agronômico de Campinas – CEA/IAC
peche@iac.sp.gov.br

Crédito: Arquivo

Os efeitos indiretos do cálcio são tão importantes quanto o seu papel como nutriente. O cálcio promove a redução da acidez do solo, melhora o crescimento das raízes, aumenta a atividade microbiana, a disponibilidade de molibdênio (Mo) e de outros nutrientes, reduzindo a acidez do solo diminui a toxidez do alumínio (Al), cobre (Cu) e manganês (Mn).

Plantas que apresentam altos teores de cálcio resistem melhor à toxidez destes elementos. Mas, infelizmente o cálcio não está tendo a devida importância no solo, por ser ainda um desconhecido, principalmente como cátion fundamental para a qualidade da CTC (Capacidade de Troca Catiônica).

A CTC do solo não muda, mas a porcentagem de composição sim – toda CTC com baixa porcentagem de cálcio limita muito o desenvolvimento fisiológico das plantas, inibindo seu potencial produtivo. Com o diagnóstico bem feito e um plano eficaz de manejo do cálcio, a rentabilidade da lavoura aumenta.

A técnica, para um bom manejo do cálcio, passa pelo menos por três tipos de diagnóstico:

ð A condição real do cálcio no solo (superfície e subsuperfície) de forma a caracterizar sua variabilidade nos diferentes talhões produtivos.

ð A garantia da qualidade física (reativa) e química (teor do nutriente) dos produtos comerciais adquiridos, tanto para o calcário como para o gesso.

ð A qualidade da recomendação de aplicação dos produtos (dosagem e escolha do corretivo).

A correta aplicação passa também por pelo menos três pontos fundamentais:

ð A qualidade do distribuidor, da manutenção da oficina e da manutenção durante a operação.

ð A qualidade da regulagem do conjunto trator/máquinas, e adoção de critérios para avaliação da qualidade operacional da aplicação ao longo da jornada (começo/meio/fim).

ð Adequação às variações climáticas, principalmente ao vento e umidade relativa do ar com a escoabilidade do produto.  

Efetivamente, o bom manejo do cálcio vai propiciar quatro efeitos produtivos:

ΠA longevidade produtiva do solo;

 O bom desempenho fisiológico das plantas;

Ž A redução de plantas improdutivas na colheita;

 A redução de áreas com baixa performance.

Aumentos de produtividade às vezes não são visíveis, mas a maior rentabilidade por área é garantida, pois o manejo correto do cálcio potencializa a tecnologia e a redução global dos custos com insumos.

Como resultado prático no campo tem-se: aumento da renda, firmeza dos frutos, vagens e botões florais; promoção diferenciada do crescimento apical (caule e raízes), melhoria significativa na capacidade de nodulação em leguminosas e promoção de um maior acúmulo de matéria seca nas plantas jovens.

É importante, entretanto, que o produtor se atente a erros fatais, como por exemplo:

” Amostragem inadequada do solo;

” Aquisição de produtos sem garantia de qualidade;

” Regulagem inadequada dos aplicadores;

” Falhas na distribuição (desuniformidade, altos índices de vazios);

” Aplicação em condições climáticas inadequadas, principalmente com ventos fortes e contínuos).

Cinco cuidados fundamentais:

1 – Elaboração de um bom plano de manejo específico para o cálcio;

2 – Adoção de um procedimento adequado para amostragem de solo e plantas;

3 – Profissionalização de colaboradores nas atividades de recomendação de compra e aplicação do insumo;

4 – Estabelecer um modelo de gestão da qualidade operacional (manutenção/operação);

5 – Adotar um esquema de inspeção e monitoramento de padrão da qualidade de aplicação.

Inicio Revistas Grãos Cálcio está tendo a devida importância no solo?