22.6 C
Uberlândia
quinta-feira, abril 18, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosCresce produção de abacates no Brasil

Cresce produção de abacates no Brasil

Irrigação tem colaborado com este incremento.

O IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, estima que a produção de abacate no Brasil tenha crescido cerca de 38,59% entre 2017 e 2021, chegando hoje a ocupar 18,1 mil hectares.

Segundo a presidenta da Associação de Abacates do Brasil, Ligia Carvalho, entre janeiro e maio de 2023, cerca de 27,6 mil toneladas de abacate nacional e avocado passaram pela Ceagesp, maior centro de comercialização da fruta no País, onde se estima que seja comercializado cerca de 25% da safra brasileira.

Créditos: Shutterstock

Os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e o Distrito Federal são os que mais produzem a fruta, mas tem se expandido para outras áreas, como o Ceará, que se beneficia dos momentos de entressafra dos principais produtores brasileiros.

Inovações

Uma das tecnologias que vem contribuindo para este crescimento é a irrigação localizada, conforme afirma o agrônomo Carlos Barth, da área de suporte técnico da Rivulis, pois, segundo ele, a qualidade de um fruto com irrigação é melhor que de uma planta não irrigada”.

Barth defende que se aproveite o sistema de irrigação implantado para acrescentar os fertilizantes, porque traz redução de custos e melhora a performance da planta. Esta técnica, chamada de fertirrigação, propicia o fornecimento dos nutrientes às plantas de forma parcelada e de acordo com a necessidade dela sem aumento de custos pois não há tratores e implementos envolvidos nesta operação, “A produtividade pode crescer em até 30% quando se utiliza a fertirrigação”, afirma o agrônomo.

Irrigação

Para a cultura do abacate, ele recomenda o uso de microaspersores em combinação com sistemas automatizados de controle da irrigação e dispositivo para a injeção de fertilizantes, podendo-se também irrigar com gotejamento em solos de textura mais argilosa.

O especialista diz que faz parte do manejo atender a quantidade de água para o abacateiro, taxa de injeção de fertilizantes compatível com o manejo nutricional da cultura. Barth acrescenta que, em geral, independente se a cultura é exigente em água e nutrientes, sempre que houver controle da água, fornecendo somente a quantidade necessária, bem como um perfeito balanceamento dos nutrientes aplicados junto com a água de irrigação, não só a planta dará o melhor produto, mas também o meio ambiente agradecerá.

“Isso porque os fertilizantes não serão lavados, a água não fará erosões no solo e, com os fertilizantes veiculados junto com a água de irrigação, não haverá tráfego de máquinas compactando a terra e consumindo diesel”, finaliza.

Visão do produtor

Ricardo Muraoka dedica cerca de 140 hectares da Fazenda Glória, que fica em São Gotardo (MG), para a abacaticultura. A produção, segundo ele, é em torno de 23 a 25 toneladas por ano e a colheita começou em julho e vai até o ano seguinte.

“Tem fruto que fica no pé até um ano”, explica. Felipe Santos é o agrônomo responsável pela atividade e, conforme diz, uma das vantagens da irrigação é a de conseguir ficar com a fruta no pé o maior tempo possível. Ele diz, ainda, que em época normal irriga menor tempo e na época da florada ele aumenta, para dar sustento ao crescimento. “É uma ferramenta que nos ajuda muito na produção do abacate”, conclui.

ARTIGOS RELACIONADOS

Redução de 30% na safra cafeeira

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou o 1º Levantamento da Safra 2021 ...

Brasil é referência em tecnologias para produção de soja

O Brasil produziu mais de 150 milhões de toneladas de soja, na safra 2022/23, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), número que mantém...

Estratégias para os custos de produção

A questão dos custos de produção da lavoura, que preocupam os orizicultores, será tema ...

Soja 2020/21 dribla atraso no campo e mantém expectativa recorde de produção

Após consideráveis atrasos no início do ciclo 2020/21, o plantio da soja avança rapidamente, mantendo boas expectativas de produção. Segundo a revisão de novembro da StoneX, o Brasil deve colher 133,48 milhões de toneladas de oleaginosa (contra 132,61 mi ton divulgado anteriormente), em decorrência de ajustes em área e em produtividade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!