22.6 C
Uberlândia
domingo, junho 23, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGreen Has Brasil: exportar é o que importa

Green Has Brasil: exportar é o que importa

A Green Has está determinada a posicionar o Brasil como um competidor de destaque no mercado global de bananas, investindo em tecnologia, inovação e parcerias estratégicas para elevar constantemente o padrão de qualidade da fruta e garantir sua competitividade frente aos grandes players mundiais.

Foto: Miriam Lins

A participação da Green Has na Fruit Attraction São Paulo, uma das maiores feiras de frutas do mundo, agora no Brasil, foi marcada por um forte compromisso com a qualidade e a inovação tecnológica.

Franco Borsari, diretor da empresa, destacou a importância da fruticultura no Brasil, não apenas como geradora de divisas, mas também como uma distribuidora de renda e uma influência significativa no consumo interno.

Ele ressaltou que, embora os brasileiros tenham o hábito de consumir uma variedade de frutas, a exportação tem se destacado nos últimos anos, impulsionando toda a cadeia produtiva.

Entre as frutas de destaque na exportação brasileira, Borsari mencionou a manga, o melão e a uva de mesa, especialmente as variedades sem semente com alto teor de açúcar. Ele também enfatizou o papel crucial dos insumos, como fertilizantes e bioativadores, na melhoria da qualidade das frutas e no aumento da produtividade.

Excelência no que faz

O diretor da Green Has Brasil ressaltou o compromisso da empresa com a excelência, tanto na importação quanto na exportação de produtos agrícolas. Ele destacou a importância de estabelecer contratos prévios, obter aprovações e homologações, e buscar a abertura de novos mercados por meio de acordos comerciais bilaterais entre países.

Borsari enfatizou que a qualidade das frutas não se resume apenas ao sabor, mas também inclui critérios como tamanho, embalagem e aspecto visual. Ele salientou que, enquanto no mercado interno pode haver mais flexibilidade, para a exportação é crucial manter um padrão consistente, atendendo às expectativas dos consumidores internacionais.

“A Green Has visa não apenas aproveitar as oportunidades de mercado existentes, mas também criar novas oportunidades por meio de inovação e excelência em qualidade”, pontua.

Bananicultura nacional

Quanto ao assunto exportação, Juliano Braz, consultor da Green Has voltado para a produção de bananas, destacou o exemplo do Equador, que é líder mundial na exportação de bananas, com uma exigência rigorosa em relação à aparência da fruta. “Embora o país sul-americano possa apresentar bananas visualmente impecáveis, a qualidade da fruta brasileira não fica atrás. A Green Has tem se empenhado em aprimorar os processos de pré e pós-colheita, especialmente em regiões estratégicas como o Norte de Minas, o Vale do Ribeira, Divinópolis e Santa Catarina”, detalha.

Uma das principais preocupações da Green Has é garantir que a qualidade superior da banana brasileira seja reconhecida no mercado internacional. Para isso, a empresa tem intensificado os cuidados na seleção e preparo das frutas, em colaboração com parceiros como a Bananas Correia, especializada em garantir a qualidade pós-colheita.

Braz enfatizou o compromisso da Green Has com a excelência, destacando que a empresa atende grandes redes varejistas, como o Carrefour, passando por auditorias rigorosas e mantendo uma rastreabilidade completa de cada fruta.

Esse nível de controle permite que cada detalhe seja registrado e arquivado, garantindo uma experiência excepcional aos consumidores e consolidando a reputação da banana brasileira no mercado internacional.

Resultados práticos

Márcio Perroni, gerente da área de frutíferas e aplicação da empresa, viaja por todo o Brasil e conta: “É muito legal ver os resultados das técnicas da Green Has para a fruticultura, especialmente quando se trata da qualidade dos frutos”, expressa Perroni, com entusiasmo.

Foto: Miriam Lins

Ele destaca que o trabalho vai além do simples tamanho dos frutos, preocupando-se também com o teor de açúcar, coloração interna e externa, e até mesmo com a antecipação da colheita para aproveitar picos de mercado e preços mais altos.

Perroni ressalta que o manejo das culturas varia significativamente, como no caso da uva, onde as práticas no nordeste diferem das do Rio Grande do Sul. No entanto, a Green Has consegue ajustar a nutrição em ambas as situações, garantindo a mesma qualidade no final.

“Quando você compara uma manga de São Paulo com uma do nordeste, ou uma laranja da Bahia com uma do estado de São Paulo ou de Minas Gerais, percebe as diferenças nos microclimas, na quantidade de água e nos tipos de solo”, explica Perroni. No entanto, a empresa adaptou seu portfólio para realizar um manejo específico em cada região, assegurando qualidade em todas as frutas.

Essa capacidade de adaptação é fundamental para os produtores rurais, pois lhes proporciona uma rentabilidade melhor e permite que continuem no negócio, além de expandirem suas operações. Perroni enfatiza que essa excelência promovida pela Green Has é o verdadeiro diferencial da empresa no setor da fruticultura brasileira.

Tomaticultura

No vasto cenário agrícola brasileiro, a tomaticultura desponta como uma das atividades de destaque, impulsionando a economia do país e satisfazendo demandas tanto internas quanto externas. Eduardo Barbosa, consultor da Green Has na área, com décadas de experiência no campo, testemunhou a transformação do segmento.

“Estamos entre os 10 maiores produtores de tomate do mundo, um feito que reflete não apenas nossa capacidade de produção em larga escala, mas também nossa busca incessante por qualidade”, afirma Barbosa.

Uma das chaves para o sucesso da tomaticultura moderna é a incorporação de avanços tecnológicos e científicos, especialmente no que diz respeito ao melhoramento genético das variedades de tomate e ao manejo eficiente dos cultivos. No entanto, Barbosa destaca um aspecto muitas vezes subestimado, mas crucial: a nutrição das plantas.

“Nós, da Green Has, reconhecemos a importância vital da nutrição adequada no cultivo de tomate”, diz Barbosa, que agora atua como consultor para a empresa. “Nosso foco está em fornecer soluções nutricionais de ponta que não apenas maximizem a produtividade, mas também garantam a qualidade excepcional do tomate colhido.”

Expert em nutrição

A Green Has é líder na indústria, oferecendo uma ampla linha de produtos especializados em cálcio, potássio e boro – nutrientes essenciais para o crescimento saudável do tomateiro.

O diferencial da empresa está na alta solubilidade e na baixa dosagem de seus produtos, o que permite uma aplicação precisa e eficiente, além de uma excelente compatibilidade com outros insumos agrícolas.

“Uma planta bem nutrida é mais resistente a doenças e pragas, o que se traduz em maiores rendimentos e menores custos de produção para os agricultores”, explica Barbosa. “Nossos produtos são projetados para atender exatamente a essa necessidade, garantindo que as plantas recebam os nutrientes certos, na quantidade certa, no momento certo.”

Além disso, a Green Has está na vanguarda das inovações tecnológicas na tomaticultura, adaptando-se rapidamente às mudanças no cenário agrícola. Seus produtos vão de encontro à aplicação de nutrientes via drones, uma prática que está revolucionando a forma como os insumos são distribuídos nos campos de tomate.

“Nossos produtos se destacam neste sistema, proporcionando uma aplicação precisa e uniforme de nutrientes, o que otimiza ainda mais o desempenho das plantas”, afirma Barbosa. “Estamos comprometidos em impulsionar continuamente a tomaticultura brasileira, oferecendo soluções inovadoras que elevam os padrões de qualidade e produtividade.”

Expertise de ponta a ponta

Com décadas de experiência e uma presença global em mais de 60 países, a Green Has, empresa italiana com sólida reputação na produção de insumos agrícolas, está deixando sua marca no cenário agrícola brasileiro.

Laura Bona, Gerente para América do Sul, confirma: “Nosso compromisso é garantir que nossos produtos não apenas atendam, mas superem as expectativas dos produtores brasileiros. Cada país tem suas próprias exigências e regulamentações, e é nossa responsabilidade garantir que nossos insumos estejam em conformidade com essas normas, incluindo a ausência de metais pesados, garantindo assim a segurança dos produtos comercializados.”

A tradição italiana na produção de hortifrutícolas é um fator determinante no padrão de qualidade dos produtos da Green Has. Com um mercado europeu conhecido por sua alta exigência em termos de qualidade e sabor das frutas, a empresa está comprometida em trazer esse mesmo padrão de excelência para o Brasil.

Os produtos são desenvolvidos em um ambiente altamente exigente, em diferentes condições climáticas, de solo e de manejo. Isso permite à empresa oferecer soluções personalizadas que se adaptam às necessidades específicas de cada produtor.

Além disso, a Green Has está empenhada em capacitar os produtores, fornecendo conhecimento e suporte técnico para garantir que os insumos sejam utilizados de forma eficaz e eficiente.

“Não se trata apenas de fornecer uma ‘receita de bolo'”, enfatiza Laura Bona. “Queremos capacitar os produtores, ajudando-os a entender as particularidades de cada condição e a utilizar nossos produtos de maneira adequada. Acreditamos que essa parceria e troca de conhecimento são fundamentais para impulsionar a qualidade e a produtividade na agricultura brasileira.”

À medida que a demanda por produtos agrícolas de alta qualidade continua a crescer, empresas como a Green Has estão desempenhando um papel crucial na elevação dos padrões de qualidade e na competitividade dos produtores brasileiros.

ARTIGOS RELACIONADOS

Green Has na Fruit Attraction Brasil 2024: inovando na sustentabilidade

A Green Has Brasil, empresa líder em fertilizantes sustentáveis para o agronegócio, anuncia sua participação na Fruit Attraction Brasil. A principal feira profissional da...

Exportação de mel

De acordo com a Associação Brasileira dos Exportadores de Mel – Abemel - cerca de 60% ...

Cotonicultores veem potencial para aumentar vendas externas

Industriais da Turquia, Vietnã, Paquistão, Coreia do Sul, Bangladesh e México conheceram lavouras e algodoeiras de estados do Brasil.

Exportação de frutas atinge US$ 1,21 bilhão

O volume total de frutas frescas enviadas ao exterior foi de 1,24 milhão de toneladas, superior em 18,13% em relação ao mesmo período do ano anterior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!