Hortaliças gourmet e as novas formas de comercialização

0
48

Natanael Motta Garcia

Graduando em Engenharia Agronômica

natanaelmottagarcia@outlook.com

Bruno Englerth Pedrozo

Graduando em Engenharia Agronômica

bruno_englerth@hotmail.com

Adilson Pimentel Júnior

Professor de Agronomia – Centro Universitário de Ourinhos (Unifio)

adilson_pimentel@outlook.com

Crédito: Vitor Barão

O consumidor brasileiro vem mostrando vontade de estabelecer uma alimentação mais saudável. De acordo com a pesquisa realizada pela Euromonitor Internacional, os alimentos naturais e saudáveis tiveram um crescimento de 33%, entre 2015 e 2020. A projeção é que até 2025 o crescimento seja de mais 27%.

E de acordo com o estudo realizado pela Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), que ouviu mais de 3 mil brasileiros em todo o País, oito em cada dez brasileiros, o que significa 80% dos pesquisados, demonstram disposição para investir mais para comer melhor, e 71% dos entrevistados disseram preferir esse tipo de produto, mesmo que tenham que pagar mais caro por eles.

A pesquisa da Fiesp também identificou que, em 2010, a maioria dos entrevistados (40%) se informava pela televisão, 19% buscavam informações online e 20% consultavam médicos ou nutricionistas.

Porém, de dois anos atrás para cá, essa busca de informação mudou, decorrente a pandemia do Coronavírus, a internet se tornou a principal fonte de informações, com 40% da participação, a televisão reduziu para 24% e médicos e nutricionistas para 18%.

Qualidade que gera retorno

Aproveitando o ensejo do consumidor por uma alimentação mais saudável, produtores e beneficiadores investem no mercado de hortaliças de alto valor agregado, tendência que vem ganhando força no Brasil.

O consumidor contemporâneo cada vez mais se abre para as experiências de compras que tragam algum tipo de novidade. Ao mesmo tempo, está mais propenso a realizar pesquisas de comparação de ofertas, porém, ele prioriza evitar dores de cabeça relacionadas a produtos e serviços.

Para atender a estas demandas, o foco sai do preço e se volta para a jornada de compra do cliente e a sua experiência multissensorial, que agrega valor ao produto ofertado.

Os resultados dessa estratégia são efetivos: 86% dos compradores pagam mais por uma experiência que consideram melhor, de acordo com a pesquisa Consumer Commitment Index (CCI), realizada pela Officina Sophia Retail.

Exigências

O produtor que aposta nesse mercado ganha clientes de alta exigência, e ainda ajuda a gastronomia brasileira a se desenvolver utilizando uma maior variedade de hortaliças, fugindo do cardápio básico do nosso cotidiano.

Esses produtos são, geralmente, reservados a um público que, além de ser consciente dos benefícios de uma alimentação saudável, também aprecia a boa gastronomia, procura e investe em novidades.

O que os diferencia nessa parcela de mercado são produtos que se destacam por ter visual e sabor extremamente atraentes, e são também muito procurados por restaurantes e hotéis que utilizam essas hortaliças para valorizar seus pratos.

Os produtos ofertados a esse nicho de mercado levam em conta fatores decorativo e sensorial da gastronomia, como brotos, ervas e temperos frescos, flores comestíveis, legumes e folhagens. Tudo isso para oferecer aos exigentes clientes, chefs e restaurantes mais opções para a montagem de pratos com ingredientes gourmets frescos direto do campo.

Alimentos ofertados

Ü Manjericão vermelho rubi: variedade do tipo Genovesa. Planta bastante aromática e saborosa, de folhas roxas, largas e levemente onduladas. Para garantir e conservar a sua coloração roxa, evite sol intenso sobre a planta, quando recebe muito sol suas folhas tendem a ficar esverdeadas ou variegadas.

Ü Manjericão alfavaca basilicão: planta de tamanho médio e crescimento ereto, folhas pequenas e muito perfumadas. Ótima variedade para uso ornamental e decoração de jardins. O seu broto também é muito comercializado em cozinhas gourmet.

Ü Couve-rábano roxa: planta vigorosa e altamente resistente ao frio. Seu caule é globular e de cor roxa, pode ser cultivada com facilidade em vasos e jardineiras. Na culinária são usadas tanto a raiz como as folhas´. A raiz cozida pode ser preparada em saladas, sopas e cozidos. Possui sabor muito delicado, fazendo lembrar o do rabanete, do nabo e das couves. Seu broto também é muito comercializado em cozinhas gourmet.

Ü Alho-poró: folhas eretas, lisas e verde-escuras. Na cozinha pode ser consumido cru, cozido, assado ou refogado. É uma planta que se adapta melhor ao clima ameno e resiste bem a baixas temperaturas. Cultivar de baixo teor calórico, é rico em ácido fólico, potássio, cálcio e vitamina C.

Ü Brotos de coentro e de rúcula: Com quantidades pequenas de calorias e altamente nutritivos, os brotos podem ser cultivados em pequenos espaços e com poucos recursos. Ainda são pouco consumidos pelos brasileiros, mas integram a culinária chinesa há cinco mil anos. Nos Estados Unidos e na Europa, a demanda por esses alimentos é crescente. São obtidos a partir de um estágio avançado de germinação da semente, com a capacidade de oferecer valiosa reserva nutritiva em decorrência do estádio da planta que ainda não completou seu ciclo produtivo, mantendo assim suas reservas.

Ü Tomate Verônica: variedade ideal para cultivo em estufa. Frutos muito diferenciados, redondo achatados com gomos bem salientes, de fácil corte e apresentação no mercado in natura, coloração vermelho intenso quando maduro, e excelente sabor.

Ü Tomate Sêneca: Variedade de alta produtividade com elevada carga de frutos por planta, ideal para cultivo em estufa. Frutos de formato pera com gomos, sabor muito diferenciado, perfumado e de coloração vermelho claro quando maduro.

Ü Tomate Tigre: frutos vermelhos tigrados em vermelho escuro, com boa conservação pós-colheita e ótima sanidade.

Ü Couve-brócolis romanesco: variedade diferenciada, em formato de pinha e coloração verde clara, tendendo ao verde limão. Muito saboroso, ideal para fins gastronômicos e mercados in natura.

Ü Berinjela Niobe: frutos redondos de coloração roxa brilhante e cálice roxo escuro, com poucos espinhos. Polpa branca, muito adocicada e com poucas sementes, excelente para fins gastronômicos. Baixo tempo de oxidação e índice de isoporização.

Ü Abobrinha Gioconda: novo segmento de abobrinhas. Frutos globulares muito uniformes, sem estrias e de coloração verde claro brilhante. Excelente para produção em períodos de entressafra devido à sua produtividade e precocidade. Adapta-se muito bem ao cultivo tanto em campo como estufa. Resistente ao vírus do mosaico da melancia e mosaico amarelo da abobrinha.

Ü Abóbora Mini Jack: abóbora do tipo moranga miniatura, de coloração alaranjada e polpa creme. Excelente apresentação e ótimo sabor, ideal para fins gastronômicos, principalmente recheada e assada, buffets ou pratos individuais. A variedade produz em média cinco frutos por planta. Excelente conservação pós-colheita (em torno de 60 dias).

Clube de assinaturas

As hortaliças gourmet podem ser encontradas em hortas de produtores que se dedicam e produzem esse diferenciado tipo de alimento. A Fazenda Maria, em Tatuí (SP), é um exemplo bem-sucedido neste nicho.

As hortaliças de alto valor agregado são o carro-chefe da produção no interior de São Paulo. A empresa, que é familiar, conta com um engenheiro agrônomo, duas psicólogas e uma publicitária, que trabalham com a intenção de melhorar a qualidade do cultivo no Brasil por meio de métodos sustentáveis e manejo orgânico, proporcionando saúde e bem-estar à mesa dos clientes.

Os produtos colhidos podem ser vendidos a grandes supermercados, e se encontram nas seções especiais, geralmente próximas à sessão de produtos orgânicos ou gourmet. Além desses canais, e graças ao aumento da atividade de compra online pelos consumidores, esses produtos também são ofertados pela internet através de sites especializados em vendas de hortaliças gourmet, para um público mais exigente e que quer desfrutar de novas experiências, e também para restaurantes de alta gastronomia.

Facilitando o acesso a comida fresca e produtos de qualidade sem sair de casa, foram criados os clubes de assinatura de frutas, legumes e vegetais, orgânicos ou não, que vêm se proliferando. De acordo com o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), o consumo desse tipo de produto no Brasil cresce cerca de 20% a cada ano.

De modo geral, você entra no site, escolhe a opção desejada, cadastra seus dados pessoais e começa a receber seus produtos em casa ou no seu estabelecimento.