Novo conceito de semeadura inteligente estará em debate no XXI CBSementes

0
150
Plantio/Créditos Pixabay

O sucesso para a implantação de uma lavoura depende basicamente da semeabilidade, um conceito que vem sendo muito utilizado para conferir qualidade na forma de fazer a semeadura. Para saber mais sobre este assunto, o XXI Congresso Brasileiro de Semente, que acontece em Curitiba entre os dias 12 e 15 de setembro próximo, traz um painel com diversos especialistas para debater a “Semeabilidade e o sucesso da implantação da lavoura”.

Conduzido pelo pesquisador da Embrapa Soja, Dr. Francisco Carlos Krzyzanowski, o painel  terá  como palestrantes o professor Paulo Roberto Arbex Silva, da Universidade Estadual de São Paulo  – Campus Botucatu, que vai falar sobre  “Semeadura Inteligente”, e, na sequência, os  consultores Samanta Almeida e Luiz Felipe de Moura Pinto farão as respectivas palestras: “Mecanização e Plantabilidade em culturas olerícolas” e “Plantabilidade em forrageiras”.

Em sua explanação, Paulo Arbex vai abordar os fatores que afetam a semeabilidade, quais as novas tecnologias de semeadura e como avaliar a semeabilidade. “A semeadura inteligente é aquela feita com capricho, estabelecendo os limites agronômicos das plantas”, afirma Arbex, acrescentando que isso implica depositar as sementes de forma uniforme no sulco, com a profundidade recomendada para aquela cultura e com população adequada para aquela cultivar.

O mediador do debate, Francisco  Krzyzanowski, destaca a importância da qualidade da semente e a  precisão da regulagem da semeadora para garantir a boa semeabilidade.  “A qualidade da distribuição da semente no solo está relacionada à qualidade da classificação da semente,  velocidade do deslocamento e  às condições operacionais da semeadora”, explica Krzyzanowski.

Quando esse processo é feito da forma correta, diz Krzyzanowski, é possível evitar perdas resultantes de falhas e plantas duplas na linha da semeadura. “Por isso, aprender como eliminar esses fatores limitantes é essencial para aumentar a produtividade das culturas, especialmente de lavouras de soja”, diz. “Em resumo, além de estar atento aos aspectos de regulagem, adequação e tipos de mecanismo utilizados na semeadora, o produtor precisa ter uma semente que atenda todos os critérios de qualidade fisiológica e de qualidade física (classificação por forma e tamanho) para garantir um estande correto e ter a oportunidade de conseguir boa produtividade sinônimo de uma boa safra”.

Banner do evento/Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!