26.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 24, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasQueimadas e incêndios no Cerrado

Queimadas e incêndios no Cerrado

Especialista comenta consequências na flora e fauna do segundo bioma mais afetado do país.

Divulgação

O cerrado brasileiro, com sua rica biodiversidade, está sob ameaça frequente durante o período seco, com áreas incendiadas. Com 2,15 milhões de hectares atingidos em 2023 em todas as matas brasileiras, o cerrado foi o segundo bioma mais afetado, com 639 mil áreas destruídas. De acordo com levantamento divulgado pela Mapbiomas, o montante representa 30% do total de queimadas no país. Professor de Ciências Biológicas do CEUB, Stefano Aires aponta seus impactos, a diferença entre queimadas e incêndios e suas consequências para a fauna, flora, recursos hídricos e clima da região.

Existe diferença entre queimada e incêndio?

SA: Queimadas são práticas de queima controlada usadas para gerenciar áreas rurais ou controlar o acúmulo de combustível, geralmente realizadas de forma planejada por órgãos ambientais. Por outro lado, os incêndios, frequentemente de origem acidental ou criminosa e muitas vezes causados pelo homem, tendem a fugir do controle, podendo envolver múltiplos focos e se espalhar rapidamente.

Quais são os principais fatores que contribuem para o aumento dos incêndios em Cerrado/ Vegetação nativa durante o período seco?

SA: Acúmulo de matéria seca (combustível), maior intensidade de vento e baixa umidade relativa são fatores que aumentam a propagação do fogo. A estação seca é muito utilizada para queima de pastagem e lixo e, com isso, o fogo foge do controle.

Como as queimadas incêndios naturais e as queimadas causados por atividades humanas diferem em termos de impacto nas florestas durante o tempo seco?

SA: Todos os incêndios que ocorrem na estação seca (nosso inverno) são de origem antrópica e acontecem quando o combustível está mais seco. Desta forma, apresentam maior intensidade e atingem áreas extensas, frequentemente se tornando extremamente difíceis de extinguir. Incêndios de origem antrópica podem ocorrer na mesma área por vários anos consecutivos, eliminando a capacidade natural da vegetação de se regenerar e ocasionando alta mortalidade de espécies vegetais e animais em um dado local. Incêndios de origem natural ocorrem no início da estação chuvosa (outubro) quando parte do combustível já está úmida e são iniciados por raios. Estes incêndios tendem a atingir áreas menores e ocorrem em maiores intervalos de tempo, permitindo uma regeneração da vegetação nativa.

Quais são os efeitos imediatos das queimadas fogo nas comunidades de plantas e animais nos ambientes florestais e desérticos?

SA: Flora: Remoção da cobertura do solo, deixando o mesmo exposto a chuva e agentes climáticos, podendo causar erosões e desmoronamentos em áreas de encosta. Exposição do solo a altas variações de temperatura, o que pode gerar morte dos microrganismos e, portanto, tornar o solo estéril e consequentemente dificultar plantio ou regeneração da vegetação nativa. Incêndios recorrentes exaurem a reserva energética das plantas, diminuindo sua capacidade de rebrota e frequentemente podem causar a morte dos indivíduos. Extinção local de espécies. Fauna: Diminuição da disponibilidade de alimento e água, morte direta de indivíduos, fuga e remoção de indivíduos da área, extinção local de espécies.

Como as espécies do cerrado se adaptaram ao longo do tempo para lidar com o risco de queimadas e incêndios?

SA: É um mito dizer que os incêndios que ocorrem anualmente são normais e sazonais. Queimadas naturais ocorrem em intervalos de 2 a 10 anos em áreas pequenas e de forma menos intensa. Queimadas naturais não ocorrem na mesma área de forma consecutiva, acontecendo de forma mais parecida com um mosaico. Plantas de cerrado ou ambientes com uma certa frequência de fogo natural (Outback, savanas, vegetações mediterrâneas, florestas de coníferas, entre outros) podem apresentar características que possibilitam uma rápida regeneração do extrato herbáceo-arbustivo. No Cerrado, a vegetação rasteira pode retornar em questão de meses após o incêndio, mas não significa que não há impacto causado pelo fogo. Árvores e arbustos de maior porte podem ser mais afetados e apresentam regeneração mais lenta.

Quais são os benefícios ecológicos das queimadas controladas em comparação com os danos causados por incêndios não controlados durante o tempo seco?

SA:_ Reduz-se a quantidade de combustível em uma dada área e caso haja um incêndio em área adjacente, ele não se propagará por uma área muito extensa. Desta forma, restringe-se o dano a áreas menores e pode-se proteger grandes áreas de vegetação natural com queimadas prévias nas duas bordas, dando descontinuidade ao combustível (aceiro negro)._

Como os incêndios podem afetar a biodiversidade das florestas e matas a longo prazo?

SA: Extinção de espécies e abertura dos ecossistemas para espécies exóticas invasoras agressivas que ocasionam uma ainda maior redução das espécies locais, tanto da fauna quanto da flora. A longo prazo, os incêndios podem provocar alterações climáticas severas através da liberação de carbono e mudanças na vegetação. O solo se torna estéril e improdutivo.

Que estratégias os gestores de áreas protegidas podem adotar para prevenir e controlar  incêndios  prejudiciais durante os períodos secos?

SA: Maior fiscalização, capacitação e manutenção de brigadas de incêndio permanentes próximas à área de interesse e possível ampliação do número de brigadistas, assim como renovação dos equipamentos e viaturas. Educação ambiental e conscientização da população sobre o perigo ocasionado pelo fogo, que pode gerar riscos aos assentamentos urbanos e à vida das pessoas.

Como o fogo em florestas pode influenciar os padrões climáticos locais e regionais durante o tempo seco?

SA: Aumento da temperatura por meio do excesso de CO2 advindo da queima das plantas, diminuição da umidade e consequentemente da chuva, pois não existem mais plantas para proporcionar a evaporação da água. Desta forma, inicia-se um ciclo de incêndios mais intensos devido à maior temperatura e estações chuvosas cada vez mais curtas.

Como a fragmentação de habitat influencia a propagação de incêndios florestais e seus impactos sobre as espécies durante esse período?

SA: Pastos e vegetação alterada tendem a ser mais inflamáveis e apresentam grande quantidade de combustível. Com a fragmentação, áreas urbanas e rurais se tornam muito próximas de áreas de proteção e geralmente os incêndios se originam da queima de pastos ou lixos nas ocupações humanas, esses focos se propagam até a vegetação nativa (agora próxima), ocasionando os incêndios.

Como os incêndios em florestas durante o tempo seco podem afetar os recursos hídricos locais e a qualidade da água?

SA: Rios e nascentes podem ficar expostos e sujeitos ao assoreamento. A diminuição da umidade devido à falta de evapotranspiração pode afetar a recarga dos lençóis freáticos, levando algumas nascentes e córregos menores a secar.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nutrição foliar pode ajudar a minimizar impactos

Técnica é complementar e faz com que a planta aproveite melhor os recursos que o solo oferta naturalmente.

Impacto da calagem na soja

Pesquisa realizada pela Fundação MT traz constatações acerca da importância da diversidade de cultivos para obter maior rendimento e controle de populações de nematoides

VANTs – Menor custo operacional na agricultura

Devido à constante busca e necessidade de se obter dados de maneira rápida e precisa para diversas etapas da produção (desde a análise do solo até a identificação de pragas), o uso de sensores remotos se torna cada vez mais importante e necessário.

Fogo pode ser fatal para as florestas

A queima da vegetação é hoje um dos métodos mais utilizados para limpeza de áreas ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!